orçamento loja virtual em Camacan


Encontre orçamento loja virtual em Camacan na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

Loja

Casa térrea.
Pavimento térreo de, uma casa.
Casa para venda de mercadorias.
Oficina.
Habitação assobradada, ao rés do chão.
Casa de associação maçónica.


Loja

Designação do ânus da cavalgadura.


Virtual

Que existe como faculdade, mas sem exercício ou efeito actual.
Possível; susceptível de se realizar.
Potencial.
Diz-se do foco de um espelho, determinado pelo encontro dos prolongamentos geométricos dos raios luminosos.

Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.?Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico) Nota: Para o grupo indígena brasileiro, veja Camacãs. Para a árvore da família das esterculiáceas, veja Camacã.Município de Camacã
"Terra do Cacau"
Vista Aérea da Serra Bonita, do município e a barragemBandeiraBrasãoHino
Aniversário31 de agosto
Fundação31 de agosto de 1961 (57 anos)
Gentílicocamacaense
Padroeiro(a)São Sebastião
CEP45880-000
Prefeito(a)Oziel Rodrigues da Cruz Bastos (PSD)(2017 – 2020)
Localização
Localização de Camacã na BahiaCamacã Localização de Camacã no Brasil
15° 25' 08" S 39° 29' 45" O15° 25' 08" S 39° 29' 45" O
Unidade federativaBahia
MesorregiãoSul Baiano IBGE/2008[1]
MicrorregiãoIlhéus-Itabuna IBGE/2008[1]
Municípios limítrofesItaju do Colônia, Jussari e Arataca (N), Potiraguá (S), Mascote e Santa Luzia (E), Pau Brasil (W).
Distância até a capital525 km
Características geográficas
Área632,926 km² [2]
População31 968 hab. estimativa IBGE/2018[3]
Densidade50,51 hab./km²
Altitude170 m
ClimaTropical
Fuso horárioUTC?3
Indicadores
IDH-M0,581 baixo PNUD/2010[4]
PIBR$ 266 622,701 mil IBGE/2015[5]
PIB per capitaR$ 8,031 53 IBGE/2015[6]
Página oficial
Prefeiturawww.camacan.ba.gov.br
Câmarawww.camara.camacan.ba.io.org.brCamacan ou Camacã é um município do estado da Bahia, Brasil. Sua população, conforme estimativas do IBGE de 2018, era de 31 968[3] habitantes.
Na década de 1970, o município foi considerado como um dos maiores produtores de cacau;[7] no entanto, a praga da vassoura-de-bruxa (Crinipellis perniciosa) devastou e destruiu sua lavoura, em 1989. Algumas alternativas, como a pecuária, o cultivo de café e seringa diversificaram a economia local. Contudo, a principal atividade continua sendo a cacauicultura, através da enxertia de cacaueiros resistentes a pragas, que substituem assim o cacaual doente.Índice1 Etimologia
2 História2.1 Expedições da família Ribeiro
2.2 Camacãs
2.3 Povoamento do Vargito
3 Processo de emancipação política3.1 Desenvolvimento pela força econômica do cacau
3.2 Conjunturas e desestabilização econômica
4 Economia4.1 Agricultura e pecuária
5 Geografia5.1 Serra Bonita
6 Referências
7 Bibliografia
8 Ligações externasEtimologia[editar | editar código-fonte]
A palavra Camacã se origina da classe linguística Kamakã, do tronco macro-jê. Maria Hilda Paraíso, em seu trabalho Caminhos de ir e vir e caminho sem volta: índios, estradas e rios no Sul da Bahia, de 1982, subdivide os Kamakã em outros grupos como os Mongoyó, Kutaxó, Menian e Massacará.[8]História[editar | editar código-fonte]
A história do município está diretamente ligada à expansão do cultivo do cacau. Segundo a tradição memorialista da região, o vale do rio Panelão começou a ser desbravado no ano de 1889, quando algumas famílias de Canavieiras, Bahia, passaram a buscar novas terras para o plantio de cacau por dois motivos principais: primeiro, por força das graves cheias do Rio Pardo que comprometiam a produção agrícola de Canavieiras e segundo, pelo declínio e desaparecimento dos diamantes do rio Salobro, tornando primordial a necessidade de novas fontes de produção.[9]
O distrito foi criado em 1938 com a denominação de Vargito e passou a ter sede em Camacã a partir de 1953, integrando o município de Canavieiras até ser emancipado, pela Lei Estadual nº 1.465, de 31 de agosto de 1961, com a denominação de Camacã.[10]
Os rios Panelão e Panelinha: segundo a tradição oral, essas denominações vem do encontro destes dois rios que, fisicamente, tem um aspecto que dá a ideia de um "panelão", daí terem sido batizados com estes nomes.
O primeiro foco da vassoura de bruxa em Camacã foi verificado exatamente na fazenda do Prefeito, o maior produtor de cacau do município, em 1989. Luciano José de Santana era considerado o maior produtor individual de cacau, não só em Camacã, mas, no mundo. O conjunto de suas propriedades alcançava grandes marcas de produção anuais, aproximando-se de 100 mil arrobas de cacau em amêndoas, na década de 1980.[11]Expedições da família Ribeiro[editar | editar código-fonte]
De acordo com a tradição memorialista, uma das famílias de Canavieiras que buscavam novas terras para o plantio de cacau, foi a de Leandro Ribeiro. Na realidade, a iniciativa de incursão na mata não foi do próprio Leandro, mas dos seus filhos e netos, nos últimos anos do século XIX. Do casamento com sua esposa, Felipa, o casal teve alguns filhos, entre eles João Elias Ribeiro. Nascido na fazenda Lagos, em Canavieiras, João Elias acompanhou o processo de expansão da cacauicultura e, mais ainda, experimentou as devastações provocadas pelas cheias do Pardo na propriedade de sua família. João Elias Ribeiro, sentindo a necessidade de melhores terras para expansão do cultivo de cacau da sua família, organizou uma expedição para o final do ano de 1888, e início de 1889, aproveitando assim o verão e as melhores condições do clima. O objetivo dessa empreitada era reunir 15 homens para subir de canoa o Rio Pardo até a confluência do Rio Panelão, semeando algumas sementes de cacau naquelas terras mais elevadas, protegidas de enchentes. Porém, João Elias Ribeiro adoece no período da expedição e transfere o comando desta para seu filho mais velho, Manoel Elias Ribeiro, que tinha apenas 19 anos em 1889. Para acompanhá-lo, pede a seu outro filho, Antonio Elias Ribeiro, com 16 anos, que embarque junto com o seu irmão e os outros 15 homens nessa jornada.
A marcha durou pouco mais de trinta dias e os expedicionários retornam à Fazenda Lagos com o sentimento de êxito. Em 1894, João Elias Ribeiro com a saúde recuperada, retorna com seus dois filhos, Manoel e Antonio, para verificar os resultados da primeira incursão. Comprovada a fertilidade das terras, a família Ribeiro abre as primeiras roças de cacau nesta região, ao longo do vale dos rios Panelão e Panelinha. O local da confluência do rio Panelão com o rio Panelinha passou a se chamar ?Vargito?, por conta das vargens (várzeas) características da localidade, inspirando o nome de uma nova linhagem daquela família, adotado pelo médico João Ribeiro Vargens (filho de João Elias e irmão de Manuel e Antônio Elias Ribeiro).[9] Vale lembrar que João Vargens foi intendente em Canavieiras entre os anos de 1920 e 1923 e chefiou um grupo político na região.Camacãs[editar | editar código-fonte]
De acordo com a tradição oral e a memória oficial do município, no período anterior à chegada dos plantadores de cacau, a área era habitada pelos índios da etnia Kamakã. O pesquisador João da Silva Campos[7] confirma a vertente de que os Kamakã residiam neste local. Desse grupo étnico originou-se o nome da cidade. A força da economia cacaueira foi significativamente superior à dos povos indígenas, como os Kamakã, que por se colocarem no caminho da propriedade e da monocultura dos cacauais, foram vítimas da depredação cultural e do extermínio.Povoamento do Vargito[editar | editar código-fonte]
Em 1914, a devastação provocada pelas cheias do rio Pardo marcou um novo fluxo migratório para o Vargito. Novas famílias dirigiam-se até a região para plantar cacau e, consequentemente, iam circunscrevendo a área povoada apenas naquela localidade. A localização geográfica de Camacã foi um pouco afastada do Vargito e, só mais tarde, ocorreria o seu povoamento. Relatos orais levam a crer que o Doutor João Vargens estimulou o desenvolvimento de um núcleo urbano na sua Fazenda Camacã, contribuindo para cessar o desenvolvimento do Vargito. Entre 1920 e 1940 houve o desenvolvimento e a sedimentação do plantio de cacau no território de Camacã. Famílias de Canavieiras e de outras localidades expandiram suas plantações para terras cada vez mais distantes e férteis. No final da década de 1940, o local despontava como promissor. Contudo, as autoridades canavieirenses não demonstravam muito interesse no desenvolvimento urbano de Camacã. A partir de 1953, com a elevação à distrito de Canaveiras, a revolta contra a administração municipal ganhou força, uma vez que ainda não havia água encanada, calçamento e rede elétrica. Camacã possuía nada mais que poucas casas de madeira. O censo demográfico realizado em 1960 pelo IBGE já apontava Camacã com 19.698 habitantes.Processo de emancipação política[editar | editar código-fonte]
O descontentamento da população de Camacã em relação ao descaso da administração canavieirense crescia na mesma proporção em que a família Moura/Vargens/Ribeiro despontava como liderança política pela emancipação do distrito. Essa liderança derivava do poder econômico que estes possuíam, liderados principalmente pelos irmãos José Ribeiro de Moura (suplente de Deputado Estadual entre 1959 e 1963) e Boaventura Ribeiro de Moura (primeiro prefeito municipal entre 1963 e 1966). Um plebiscito foi realizado no dia 11 de junho de 1961, de acordo com o consentimento do governador Juracy Magalhães, para que a população expressasse sua vontade em relação à emancipação. A votação trouxe resultado favorável à municipalização do distrito. Todo o trabalho dos articuladores do movimento pró-emancipação foi configurado em 31 de agosto de 1961, através da Lei Estadual nº 1.465, e publicado no Diário Oficial do dia seguinte. As eleições para prefeito ocorreram um ano depois.Desenvolvimento pela força econômica do cacau[editar | editar código-fonte]
As obras de infraestrutura da cidade iam se consolidando nas gestões iniciais da prefeitura, todas elas representando o continuísmo político dos Moura no poder municipal. A facilidade de angariar recursos, permitia o desenvolvimento da cidade de maneira rápida. De 1977 a 1982, a gestão do prefeito Luciano José de Santana marcou pelas obras de estruturação municipal. Àquela altura, Luciano era considerado o maior produtor de cacau individual do mundo.[7] e Camacã já possuía seis agências bancárias facilitando a linha de financiamento e crédito, três mil habitações rurais, dezesseis empresas privadas compradoras de cacau, duas cooperativas, além das presenças do ICB e CEPLAC. Luciano Santana iniciou uma série de implementos em Camacã. Ainda por cima, no mesmo ano que ele assumiu o poder executivo (1977) a cotação do cacau chegou a US$ 4.329/tonelada. Foi a maior cotação da história. Dessa forma, grandes obras de infra-estrutura como a urbanização da cidade, ampliação da Avenida Doutor João Vargens,[12] construção de escolas, pavimentação de ruas e esgotamento sanitário foram executadas. Foi também nessa gestão municipal que os caciques políticos camacaenses resolveram instituir a ?Festa Camacã e o Cacau?,[9] em comemoração à data de emancipação política do município. A festa tinha por objetivo realizar uma comemoração que fizesse jus ao porte econômico de Camacã. A exuberante produção camacaense, que no ano de 1983 atingiu um milhão e trezentas mil arrobas de cacau em amêndoas, gerava uma conjuntura econômica favorável, proporcionando a auto-suficiência dos produtores e a reproduzindo como nunca a ideia do eldorado. Segundo o IBGE, em 1980, a população de Camacã era de 40.498 moradores, sendo que 25.538 habitavam a zona rural. Assim, a prefeitura urbanizava a cidade com poucas dificuldades: um novo acesso de Camacã até a BR-101, além de jardins, um estádio de futebol, colégios e um novo prédio para a Prefeitura Municipal foram construídos na década de 1980.Conjunturas e desestabilização econômica[editar | editar código-fonte]
Entre 1986 e 1989, as taxas ascendentes da inflação, a estagnação dos preços internos e os impactos dos encargos financeiros ao crédito, além dos reajustes dos preços da mão-de-obra e de insumos provocados pelos malogrados planos econômicos do país, afetaram diretamente a economia cacaueira. Além disso, houve ainda uma prolongada estiagem neste período. O grande golpe para a desestruturação financeira da lavoura cacaueira de Camacã, foi o advento da vassoura-de-bruxa, em 1989.A crise perdura há quase três décadas e alterou drasticamente a vida socioeconômica e política camacaense: desemprego dos trabalhadores; êxodo rural; mudanças das relações políticas e sociais dos cacauicultores descapitalizados; degradação do ecossistema, com a derrubada dos remanescentes da Mata Atlântica; e à deterioração do espaço urbano foram algumas das principais consequências da crise da lavoura do cacau em Camacã. No auge da crise, foram publicados dois decretos de calamidade pública. Antes de ser atingido pelo colapso econômico da cacauicultura, o município mantinha uma produção exuberante e respondia por parte significativa da economia da Região Cacaueira.Economia[editar | editar código-fonte]
O comércio de Camacã desponta hoje como um pólo importante abrangendo sete municípios totalizando mais de 100 mil habitantes. Essas cidades juntas se tornam um agrossistema, que viabiliza a economia da cidade. Possui quatro agências bancárias, Postos do INSS e Receita Federal, Tribunal do Trabalho e vários órgãos estaduais além da CEPLAC.[13] O desemprego é preocupante como em todo o país. Mesmo assim, Camacã tem cerca de 600 pontos comerciais entre lojas e grandes empresas, com 202 indústrias e chegam a gerar 2.200 empregos além das usinas intermediárias do leite que geram em torno de R$ 2 milhões de reais por ano, garantindo cerca de 1.200 empregos.[13]Agricultura e pecuária[editar | editar código-fonte]
O Agrossistema tem uma forte relação com o município de Camacã, abrangendo a micro região interligada as cidades de Pau Brasil, Mascote, Santa Luzia, Arataca e Jussari. Juntas produzem cerca de 120 mil sacas de cacau ao ano, o que fortalece e muito o comércio local.[13] Mesmo com a chegada da Vassoura de Bruxa nos anos 90, os produtores encontraram novas alternativas no plantio de café, banana, pecuária (produção de leite), criação de gado, destacando o rebanho de muares.Geografia[editar | editar código-fonte]
Serra Bonita[editar | editar código-fonte]
A Reserva Serra Bonita é uma pioneira e inovadora iniciativa privada de conservação de florestas submontanas na região sul da Bahia. Almeja proteger a Mata Atlântica brasileira. É um "condomínio" de propriedades rurais de vários proprietários, contendo várias RPPNs, que conjuntamente formam 2.500 ha - a segunda maior área privada protegida do Corredor Central da Mata Atlântica. Vista aérea da Serra Bonita
As RPPNs contidas em cada propriedade são geridas pelo Instituto Uiraçu, por meio de acordos com os proprietários. Além de gerir essas RPPNs, o Instituto tem por objetivo expandir a proteção à totalidade da Serra Bonita, um dos últimos remanescentes de floresta submontana na região, que cobre uma área de cerca de 7 500 hectares, nos municípios de Camacã e Pau Brasil, Bahia.Referências? a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 ? IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 ? a b [hhttps://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/camacan/panorama «Estimativa populacional 2018 IBGE»]. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de agosto de 2018. Consultado em 25 de novembro de 2018 ? «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 23 de agosto de 2013 ? «Produto Interno Bruto dos Municípios». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 10 de agosto de 2018 ? «Produto Interno Bruto Por Cidade». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 10 de agosto de 2018 ? a b c Campos, João da Silva. Crônica da capitania de São Jorge dos Ilhéus. Editus - Editora da UESC, 2006. Texto escrito em 1936, reeditada em 1981, por ocasião das comemorações do centenário de elevação a município da antiga vila de São Jorge dos Ilhéus, reunindo rico acervo de informações capazes de auxiliar pesquisadores e historiadores interessados no aprofundamento de estudos desde o início da colonização da capitania que teve como primeiro donatário Jorge de Figueiredo Correia.? PARAÍSO, Maria Hilda Baqueiro. Caminhos de ir e vir e caminho sem volta: índios, estradas e rios no Sul da Bahia. Dissertação (Mestrado). Salvador: UFBA, 1982. Disponível em: http://www.ffch.ufba.br/IMG/pdf/1982maria_hilda_baqueiro_paraiso_Parte_1.pdf (primeira parte); http://www.ffch.ufba.br/IMG/pdf/1982maria_hilda_baqueiro_paraiso_Parte_2.pdf (segunda parte); http://www.ffch.ufba.br/IMG/pdf/1982maria_hilda_baqueiro_paraiso_Parte_3.pdf (terceira parte). Acesso em: 04 jul. 2017. ? a b c «Camacan. Histórico». IBGE. 2010. Consultado em 15 de novembro de 2012 ? [1]? «Assembleia Legislativa da Bahia - A Assembléia, História da ALBA». www.al.ba.gov.br. Consultado em 4 de julho de 2017 ? Foto da Avenida João Vargens? a b c Comunicação, Assessoria de. «Geografia». Prefeitura Municipal de Camacã
Bibliografia[editar | editar código-fonte]
SANTOS, Renato Zumaeta Costa dos. "Contratempos: Cacau e Cacauicultura em Camacan (1980 - 1990)". In: Antônio Pereira Sousa; Janete Ruiz Macêdo; Carlos Roberto Arléo Barbosa. (Org.). Cacauicultura: A Ceplac e a Vassoura de Bruxa em Camacan (Cadernos do CEDOC). Ilhéus: Editus - UESC, 2007, v. 08, p. 109-194.
Ligações externas[editar | editar código-fonte]
Website oficial
IBGE. Cidades @ Bahia: Camacan Informações. Histórico do município. Infográficos.
vde Hierarquia urbana do Brasil
Demografia do Brasil
Municípios do Brasil
vdeMetrópolesMetrópoles globais
São Paulo
Metrópoles nacionais
Brasília
Rio de Janeiro
Metrópoles regionais
Belém
Belo Horizonte
Curitiba
Fortaleza
Goiânia
Manaus
Porto Alegre
Recife
Salvador
vdeCapitais regionaisCapitais regionais A
Aracaju
Campinas
Campo Grande
Cuiabá
Florianópolis
João Pessoa
Maceió
Natal
São Luís
Teresina
Vitória
Capitais regionais B
Blumenau
Campina Grande
Cascavel
Caxias do Sul
Chapecó
Feira de Santana
Ilhéus/Itabuna
Joinville
Juiz de Fora
Londrina
Maringá
Ribeirão Preto
São José do Rio Preto
Uberlândia
Montes Claros
Palmas
Passo Fundo
Porto Velho
Santa Maria
Vitória da Conquista
Capitais regionais C
Araçatuba
Araguaína
Arapiraca
Araraquara
Barreiras
Bauru
Boa Vista
Cachoeiro de Itapemirim
Campos dos Goytacazes
Caruaru
Criciúma
Divinópolis
Dourados
Governador Valadares
Ijuí
Imperatriz
Ipatinga/Coronel Fabriciano/Timóteo
Juazeiro do Norte/Crato/Barbalha
Macapá
Marabá
Marília
Mossoró
Novo Hamburgo/São Leopoldo
Pelotas/Rio Grande
Petrolina/Juazeiro
Piracicaba
Ponta Grossa
Pouso Alegre
Presidente Prudente
Rio Branco
Santarém
Santos
São José dos Campos
Sobral
Sorocaba
Teófilo Otoni
Uberaba
Varginha
Volta Redonda/Barra Mansa
vdeCentros sub-regionaisCentros sub-regionais A
Alfenas
Anápolis
Apucarana
Bacabal
Bagé
Barbacena
Barra do Garças
Barretos
Bento Gonçalves
Botucatu
Cabo Frio
Caçador
Cáceres
Caicó
Cajazeiras
Campo Mourão
Castanhal
Catanduva
Caxias
Colatina
Crateús
Erechim
Floriano
Foz do Iguaçu
Franca
Francisco Beltrão
Garanhuns
Guanambi
Guarabira
Guarapuava
Iguatu
Irecê
Itajaí
Itaperuna
Itumbiara
Jacobina
Jaú
Jequié
Ji-Paraná
Joaçaba
Lages
Lajeado
Lavras
Limeira
Macaé
Manhuaçu
Muriaé
Nova Friburgo
Ourinhos
Paranaguá
Paranavaí
Parnaíba
Passos
Pato Branco
Patos
Patos de Minas
Pau dos Ferros
Paulo Afonso
Picos
Pinheiro
Poços de Caldas
Ponte Nova
Quixadá
Redenção
Rio Claro
Rio do Sul
Rio Verde
Rondonópolis
Santa Cruz do Sul
Santa Inês
Santa Rosa
Santo Ângelo
Santo Antônio de Jesus
São Carlos
São João da Boa Vista
São Mateus
Serra Talhada
Sinop
Sousa
Teixeira de Freitas
Toledo
Tubarão
Ubá
Umuarama
Uruguaiana
Centros sub-regionais B
Abaetetuba
Assu
Afogados da Ingazeira
Alagoinhas
Altamira
Andradina
Angra dos Reis
Araranguá
Araras
Araripina
Arcoverde
Ariquemes
Assis
Avaré
Balneário Camboriú
Balsas
Bom Jesus da Lapa
Bragança
Bragança Paulista
Breves
Brumado
Brusque
Cacoal
Cametá
Campo Maior
Capanema
Caratinga
Carazinho
Cataguases
Chapadinha
Cianorte
Concórdia
Conselheiro Lafaiete
Cruz Alta
Cruz das Almas
Cruzeiro do Sul
Currais Novos
Eunápolis
Frederico Westphalen
Guaratinguetá
Gurupi
Itabaiana
Itaberaba
Itaituba
Itajubá
Itapetininga
Itapeva
Itapipoca
Itaporanga
Ituiutaba
Ivaiporã
Janaúba
Linhares
Mafra
Palmares
Paragominas
Parintins
Pedreiras
Presidente Dutra
Registro
Resende
Ribeira do Pombal
Santana do Ipanema
Santo Antônio da Platina
São João del-Rei
São Lourenço
São Miguel do Oeste
São Raimundo Nonato
Senhor do Bonfim
Tefé
Teresópolis
Tucuruí
União da Vitória
Valença
Viçosa
Videira
Vilhena
Vitória de Santo Antão
Xanxerê
vdeCentros de zonaCentros de zona A
Acaraú
Açailândia
Adamantina
Além Paraíba
Almeirim
Almenara
Alta Floresta
Amparo
Aquidauana
Aracati
Aracruz
Araçuaí
Arapongas
Araxá
Assis Chateubriand
Barra do Corda
Barreiros
Bebedouro
Belo Jardim
Birigui
Bom Jesus
Caçapava do Sul
Cachoeira do Sul
Caetité
Caldas Novas
Camacan
Camaquã
Campo Belo
Campos Novos
Canindé
Canoinhas
Capelinha
Carangola
Carpina
Catalão
Catolé do Rocha
Caxambu
Ceres
Cerro Largo
Codó
Colinas do Tocantins
Conceição do Araguaia
Conceição do Coité
Cornélio Procópio
Corumbá
Corrente
Cruzeiro
Curitibanos
Cururupu
Curvelo
Diamantina
Diamantino
Dianópolis
Dois Vizinhos
Dracena
Encantado
Esperantina
Estância
Estrela
Fernandópolis
Formiga
Frutal
Governador Nunes Freire
Goiana
Goiás
Guanhães
Guaporé
Guaraí
Guaxupé
Ibaiti
Ibirubá
Icó
Imbituba
Ipiaú
Iporá
Irati
Itabaiana
Itabira
Itacoatiara
Itamaraju
Itapetinga
Ituverava
Jacarezinho
Jales
Jandaia do Sul
Januária
Jaru
Jataí
João Câmara
João Monlevade
Juína
Jundiaí
Lagarto
Lagoa Vermelha
Laranjeiras do Sul
Limoeiro
Limoeiro do Norte
Lins
Loanda
Macau
Macaúbas
Mamanguape
Marau
Maravilha
Marechal Cândido Rondon
Medianeira
Mineiros
Mirassol d'Oeste
Mogi Guaçu
Monteiro
Montenegro
Morrinhos
Mundo Novo
Naviraí
Nossa Senhora da Glória
Nova Andradina
Nova Prata
Nova Venécia
Oeiras
Olímpia
Osório
Ouricuri
Palmas
Palmeira das Missões
Palmeira dos Índios
Pará de Minas
Paraíso do Tocantins
Parauapebas
Patrocínio
Penápolis
Penedo
Pesqueira
Pinhalzinho
Pirapora
Pires do Rio
Piripiri
Pombal
Ponta Porã
Porangatu
Porto Nacional
Porto Seguro
Primavera do Leste
Propriá
Quirinópolis
Rolim de Moura
Russas
Salgueiro
Salinas
Santa Fé do Sul
Santa Inês
Santa Maria da Vitória
Santo Antônio de Pádua
Santiago
São Bento do Sul
São Borja
São Félix do Araguaia
São Gabriel
São Jerônimo
São José do Rio Pardo
São Luís de Montes Belos
São Luiz Gonzaga
São Miguel dos Campos
Sarandi
Seabra
Serrinha
Soledade
Sorriso
Surubim
Tabatinga
Taquara
Tatuí
Telêmaco Borba
Tijucas
Timbaúba
Timbó
Tocantinópolis
Torres
Três Corações
Três de Maio
Três Lagoas
Três Passos
Três Rios
Tupã
Unaí
União dos Palmares
Uruaçu
Vacaria
Venâncio Aires
Votuporanga
Xique-Xique
Centros de zona B
Abaeté
Abelardo Luz
Abre Campo
Afonso Cláudio
Água Boa
Água Branca
Águas Formosas
Aimorés
Alegrete
Alexandria
Alto Araguaia
Alto Longá
Alto Parnaíba
Amambai
Amarante
Amargosa
Andirá
Andradas
Anicuns
Anísio de Abreu
Aparecida
Apiaí
Apodi
Araguaçu
Araguari
Araguatins
Araioses
Araputanga
Arara
Araruama
Araruna
Arcos
Arinos
Arroio do Meio
Arvorezinha
Auriflama
Avelino Lopes
Baependi
Bambuí
Bariri
Barra
Barra Bonita
Barra de São Francisco
Barra do Bugres
Barras
Barracão
Bataguassu
Batalha
Bela Vista
Belém do São Francisco
Bicas
Boa Esperança
Boa Vista do Buricá
Bom Jardim de Minas
Bom Jesus do Itabapoana
Boquira
Braço do Norte
Brasileia
Brejo Santo
Buritis
Caculé
Camapuã
Cambuí
Camocim
Campina da Lagoa
Campo Novo do Parecis
Campos Altos
Campos Belos
Canguaretama
Canindé de São Francisco
Canto do Buriti
Capanema
Capão da Canoa
Capim Grosso
Capinzal
Capitão Poço
Capivari
Caracol
Carauari
Carmo do Paranaíba
Carutapera
Casca
Cassilândia
Castelo
Castelo do Piauí
Cerejeiras
Chapadão do Sul
Chopinzinho
Cícero Dantas
Coelho Neto
Colíder
Colinas
Coluna
Comodoro
Confresa
Congonhas
Constantina
Coronel Vivida
Coxim
Cristal do Sul
Crixás
Cruz
Cruzília
Curimatá
Delmiro Gouveia
Desterro
Dores do Indaiá
Entre Rios de Minas
Esperantinópolis
Espírito Santo do Pinhal
Espumoso
Euclides da Cunha
Eirunepé
Extrema
Fátima
Faxinal
Floresta
Fortaleza dos Nogueiras
Fronteiras
Gandu
Garça
Garibaldi
General Salgado
Getúlio Vargas
Gilbués
Goianésia
Goiatuba
Goioerê
Grajaú
Guaíra
Guajará-Mirim
Guaraciaba do Norte
Guararapes
Horizontina
Ibicaraí
Ibirama
Ibotirama
Ilha Solteira
Indaial
Inhumas
Ipanema
Ipu
Iracema
Itaberaí
Itacarambi
Itamonte
Itaocara
Itapaci
Itapajé
Itapiranga
Itápolis
Itapuranga
Itaqui
Itararé
Itaúna
Ituporanga
Iturama
Jaciara
Jacutinga
Jaguaquara
Jaguariaíva
Jaguaribe
Jaicós
Jardim
Joaíma
João Pinheiro
Juara
Jussara
Lábrea
Lago da Pedra
Lagoa da Prata
Lambari
Leme
Leopoldina
Livramento de Nossa Senhora
Lorena
Lucas do Rio Verde
Lucélia
Luzilândia
Machado
Malacacheta
Manga
Mantena
Maracaçumé
Matão
Matinhos
Miranda
Miracema do Tocantins
Mirinzal
Mococa
Monte Alegre
Monte Alto
Monte Aprazível
Monte Carmelo
Mostardas
Muçum
Nanuque
Natividade
Nazaré
Neópolis
Niquelândia
Nonoai
Nossa Senhora das Dores
Nova Londrina
Nova Mutum
Nova Petrópolis
Oliveira
Orlândia
Osvaldo Cruz
Olho d'Água das Flores
Ouro Fino
Ouro Preto do Oeste
Palmeira
Palmeira d'Oeste
Palmeirópolis
Pão de Açúcar
Paracatu
Paraguaçu Paulista
Paraisópolis
Paramirim
Paranacity
Paranaíba
Parelhas
Passa-e-Fica
Patu
Paulistana
Peçanha
Pedra Azul
Pedro II
Pedro Afonso
Peixoto de Azevedo
Piancó
Pinheiro Machado
Pio XII
Piraju
Piracuruca
Pitanga
Pitangui
Piumhi
Poções
Ponte Serrada
Pontes e Lacerda
Porteirinha
Porto Calvo
Porto União
Posse
Presidente Epitácio
Presidente Getúlio
Presidente Juscelino
Presidente Venceslau
Princesa Isabel
Prudentópolis
Quatis
Quedas do Iguaçu
Rancharia
Resplendor
Riachão do Jacuípe
Rio Bonito
Rio Negro
Rio Pomba
Rio Real
Rodeio Bonito
Roncador
Rubiataba
Salto do Jacuí
Salvador do Sul
Sananduva
Sanclerlândia
Santa Bárbara
Santa Cruz
Santa Cruz da Baixa Verde
Santa Cruz do Rio Pardo
Santa Filomena
Santa Helena
Santa Luzia
Santa Luzia do Paruá
Santa Maria do Suaçuí
Santa Vitória do Palmar
Santana
Santana do Livramento
Santo Antônio
Santo Antônio da Patrulha
Santo Augusto
Santos Dumont
São Bento (Maranhão)
São Bento (Paraíba)
São Benedito
São Domingos
São Francisco
São Gabriel da Palha
São Gotardo
São João Batista
São João do Ivaí
São João do Piauí
São João dos Patos
São João Nepomuceno
São Joaquim da Barra
São José do Cedro
São José do Egito
São João do Rio do Peixe
São João Evangelista
São José do Cedro
São Lourenço do Oeste
São Mateus do Sul
São Miguel
São Miguel do Araguaia
São Miguel do Tapuio
São Paulo do Potengi
São Sebastião
São Sebastião do Caí
São Valentim
São Vicente Férrer
Sapé
Seara
Sena Madureira
Senador Pompeu
Serafina Corrêa
Serra Dourada
Serro
Simões
Simplício Mendes
Sinimbu
Siqueira Campos
Sobradinho
Sombrio
Sumé
Tabira
Taguatinga
Taió
Taiobeiras
Tangará
Tapejara
Tapes
Taquaritinga
Tarauacá
Tauá
Tenente Portela
Terra Nova do Norte
Teutônia
Tietê
Tramandaí
Três Pontas
Tucumã
Tucunduva
Turmalina
Tutóia
Uiraúna
Umarizal
União
Uruçuí
Valença
Valença do Piauí
Valente
Várzea da Palma
Vazante
Venda Nova do Imigrante
Veranópolis
Viana
Vigia
Vila Rica
Virginópolis
Visconde do Rio Branco
Vitorino Freire
Xaxim
Xinguara
Wenceslau Braz
Zé Doca
Referências: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Regiões de Influência das Cidades 2007 (10 de outubro de 2008), [2] Configuração da Rede Urbana do Brasil (junho de 2001)
Portal da Bahia Portal do Brasil

POSTAGENS RELACIONADOS


ORÇAMENTO LOJA VIRTUAL EM CAMACHO


orçamento loja virtual em Camacho

Encontre orçamento loja virtual em Camacho na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO

ORÇAMENTO LOJA VIRTUAL EM CAMAÇARI


orçamento loja virtual em Camaçari

Encontre orçamento loja virtual em Camaçari na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO

ORÇAMENTO LOJA VIRTUAL EM CAMALAÚ


orçamento loja virtual em Camalaú

Encontre orçamento loja virtual em Camalaú na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO

ORÇAMENTO LOJA VIRTUAL EM CAMAMU


orçamento loja virtual em Camamu

Encontre orçamento loja virtual em Camamu na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO