desenvolvimento portal em Júlio de Castilhos

Encontre desenvolvimento portal em Júlio de Castilhos na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

Desenvolvimento

Acto ou efeito de desenvolver.
Crescimento.
Ampliação.
Minuciosidade.


Portal

Porta principal de um edifício; portada.


Portal

Abertura em muro, sebe ou valado, que se fecha com estacas ou cancela.


Portal

Ombreira de porta ou portão.


Júlio De Castilhos

Nota: Para outros significados, veja Júlio de Castilhos (desambiguação).Júlio de Castilhos
Presidente do Rio Grande do Sul
Períodode 15 de julho de 1891a 11 de novembro de 1891e de 25 de janeiro de 1893a 24 de janeiro de 1898 AntecessorFernando Abbott SucessorJunta GovernativaAntônio Augusto Borges de Medeiros




Dados pessoais
Nascimento29 de junho de 1860 Cruz Alta , Rio Grande do Sul Morte24 de outubro de 1903 (43 anos) Porto Alegre, Rio Grande do Sul
PartidoPRR ReligiãoPositivismo ProfissãoAdvogado
















Constituição brasileira de 1891, página da assinatura de Júlio de Castilhos (décima assinatura). Acervo Arquivo Nacional
Júlio Prates de Castilhos (São Martinho, então distrito de Cruz Alta (atual Júlio de Castilhos), 29 de junho de 1860 ? Porto Alegre, 24 de outubro de 1903) foi um jornalista e político brasileiro, eleito Patriarca do Rio Grande do Sul pelos seus conterrâneos. Foi presidente do Rio Grande do Sul por duas vezes e principal autor da Constituição Estadual de 1891.[1] Disseminou o ideário positivista no Brasil.Índice1 Biografia
2 Influência
3 Seguidores
4 Galeria de imagens
5 Ver também
6 Referências
7 Ligações externasBiografia[editar | editar código-fonte]
Júlio de Castilhos.
Tornou-se órfão com pouco mais de dez anos, e mais tarde, herdou a fortuna de seu pai para investir em sua educação.[2]
Embora formado pela Faculdade de Direito de São Paulo, atuou como jornalista e político. Membro do Partido Republicano Riograndense (PRR), dirigiu o jornal A Federação de 1884 a 1889, onde fez propaganda das idéias republicanas. Rapidamente, tornou-se um dos principais líderes do PRR.[1]
Em 1891 elegeu-se deputado para a Assembleia Constituinte, quando destacou-se por se opôr a Rui Barbosa no capítulo que versava sobre a discriminação de rendas, defendendo os pequenos estados da federação. Neste mesmo ano, redigiu praticamente sozinho a Constituição do Estado do Rio Grande do Sul, usando depois todos os meios possíveis para obter sua aprovação.
Em 15 de julho de 1891, Júlio de Castilhos foi eleito presidente do estado do Rio Grande do Sul e foi deposto em novembro do mesmo ano em decorrência do Golpe de Três de Novembro[3]. Pouco mais de um ano depois, Júlio de Castilhos disputa nova eleição (sem concorrentes), obtendo 26.377 votos, e volta a ocupar o antigo posto. Sua posse ocorreu em 25 de janeiro de 1893.[1] Neste mesmo ano, contém a Revolução Federalista, de tendência parlamentarista e liderada por Gaspar Silveira Martins.
Júlio de Castilhos morreu prematuramente em 1903, vítima de câncer na garganta. A última casa em que viveu foi adquirida pelo governo do Estado em 1905 e ainda neste ano ali instalou o Museu Júlio de Castilhos, no centro de Porto Alegre. O político foi também homenageado na capital gaúcha com a construção de um grande monumento na Praça da Matriz.[1]Influência[editar | editar código-fonte]
Júlio de Castilhos exerceu influência singular sobre a política gaúcha. A constituição estadual de 1891, elaborada por ele, inspirava-se muito fortemente no positivismo do filósofo francês Auguste Comte e garantia ao governante os meios legais de implementar a política de inspiração positivista. Essa foi a primeira constituição estadual da república a ser concluída, e acabou servindo de base a diversas outras no país, disseminando assim seus ideais.
Embora tida por autoritária, tal constituição pretendia implementar no caráter do regime republicano aspectos racionais, baseados na História e na Ciência a fim de superar aspectos populares ou metafísicos.
O chamado castilhismo consolidou-se como corrente política e teve voz ativa por cerca de quarenta anos, principalmente no Rio Grande do Sul, mas também no restante do Brasil. Borges de Medeiros, sucessor de Castilhos, seguiu firmemente os ideais do mestre à frente do governo estadual. No plano nacional, Getúlio Vargas procurou implementar o castilhismo no Estado Novo (1937-1945).[carece de fontes?].Seguidores[editar | editar código-fonte]
Borges de Medeiros
Carlos Barbosa
Flores da Cunha
Getúlio Vargas
Pinheiro Machado
Augusto Pestana
Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]
Retrato (óleo sobre tela) de Júlio de Castilhos (V. Cervásio, 1913)
Reconstituição do dormitório de Júlio de Castilhos
Monumento positivista a Júlio de Castilhos, em Porto Alegre
Casa de Júlio de Castilhos, em Porto Alegre
Ver também[editar | editar código-fonte]
Museu Júlio de Castilhos
Monumento a Júlio de Castilhos
Colégio Estadual Júlio de Castilhos
Referências? a b c d «Júlio Prates de Castilhos». UOL - Educação. Consultado em 24 de outubro de 2012 ? Soares, Mozart Pereira (1998). O positivismo no Brasil: 200 anos de Augusto Comte. [S.l.]: Editora AGE Ltda. p. 132. 206 páginas. ISBN 8585627565 ? - Os 120 anos do Cerco da Lapa e o preço da consolidação da República Floriano Peixoto implantou uma ditadura militar no início da República e com isso gerou uma série de rebeliões. O Cerco da Lapa faz parte desse cenário de luta pelo poder e de debilidade política Jornal Paranaense - Gazeta do Povo
Ligações externas[editar | editar código-fonte]
Revista Província de São Pedro, n.1, Editora Globo, 1945. Edição Eletrônica Precedido porFernando Abbott
Presidente do Rio Grande do Sul1891
Sucedido porJunta governativa gaúcha de 1891 Precedido porFernando Abbott
Presidente do Rio Grande do Sul1893 ? 1898
Sucedido porBorges de MedeirosvdeGovernadores do Rio Grande do Sul (1889 ? 2019)República Velha(1ª República)
Correia da Câmara ?
Falcão da Frota ?
Silva Tavares ?
Machado Bittencourt ?
Candido da Costa ?
Abbott ?
Júlio de Castilhos ?
Junta governativa gaúcha de 1891 ?
Correia da Câmara ?
Vitorino Monteiro ?
Abbott ?
Júlio de Castilhos ?
Borges de Medeiros ?
Barbosa Gonçalves ?
Borges de Medeiros ?
Getúlio Vargas2ª República
Osvaldo Aranha ?
Sinval Saldanha ?
Flores da Cunha3ª República
Daltro Filho ?
Maurício Cardoso ?
Cordeiro de Farias ?
Ernesto Dorneles ?
Samuel Figueiredo4ª República
Pompílio Cylon ?
Walter Jobim ?
Ernesto Dorneles ?
Meneghetti ?
Brizola ?
MeneghettiDitadura Militar(5ª República)
Meneghetti ?
Peracchi ?
Triches ?
Guazzelli ?
Amaral de Sousa ?
Jair SoaresNova República(6ª República)
Simon ?
Guazzelli ?
Alceu Collares ?
Antônio Britto ?
Olívio Dutra ?
Rigotto ?
Yeda Crusius ?
Tarso Genro ?
José Ivo Sartori?
Eduardo Leite? Presidentes da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul (1822?1889)
Portal de biografias Portal da política Portal do Rio Grande do Sul Portal da história
Controle de autoridade
: Q10313495
WorldCat
VIAF: 72732756
BNE: XX1656486
BNF: 13557390s
FAST: 89309
ISNI: ID
LCCN: n82040088
NTA: 074564846