desenvolvimento portais em Barra de Santo Antônio


Encontre desenvolvimento portais em Barra de Santo Antônio na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

Desenvolvimento

Acto ou efeito de desenvolver.
Crescimento.
Ampliação.
Minuciosidade.

 Nota: Para outros significados de Santo Antônio, veja Santo António.Município de Barra de Santo AntônioBandeira indisponívelBrasãoHino
Aniversário20 de agosto
Fundação1960 (59Â anos)
Gentílicobarrense
Prefeito(a)Emanuella Moura (PSDB)(2017 – 2020)
Localização
Localização de Barra de Santo Antônio em AlagoasBarra de Santo Antônio Localização de Barra de Santo Antônio no Brasil
09° 24' 18" S 35° 30' 25" O09° 24' 18" S 35° 30' 25" O
Unidade federativaAlagoas
MesorregiãoLeste Alagoano IBGE/2008[1]
MicrorregiãoMaceió IBGE/2008[1]
Região metropolitanaMaceió
Municípios limítrofesParipueira e São Luís do Quitunde
Distância até a capital37Â km
Características geográficas
Área137,977 km² [2]
População17,366 hab. IBGE/2010[3]
Densidade0,13 hab./km²
ClimaTropical
Fuso horárioUTC?3
Indicadores
IDH-M0,594 baixo PNUD/2000[4]
PIBR$ 50Â 766,956 mil IBGE/2008[5]
PIB per capitaR$ 3Â 585,49 IBGE/2008[5]Barra de Santo Antônio é um município brasileiro do estado de Alagoas, localizado na Região Metropolitana de Maceió. Sua população estimada em 2017 era de 17.366 habitantes.
A distância do município até a capital é de 37km, possui belas praias como Tabuba, com seus vistosos arrecifes de franja e barreiras, transformando o mar em uma grande piscina; a famosa Ilha da Crôa; a praia da Maré Mansa e Carro Quebrado, com seu extenso coqueiral e praias de rara beleza e ainda pouco exploradas, mantendo seu apelo selvagem e exótico.Índice1 História
2 Turismo
3 Referências
4 Ligações externasHistória[editar | editar código-fonte]
Barra de Santo Antônio deve sua colonização aos holandeses, que chegaram ao litoral por volta de 1631. A partir daí começou o progresso no povoado, que era constituído por poucas casas de taipa construídas à margem do rio Santo Antônio Grande, que corta a cidade em dois locais distintos: um mais urbano, sede da cidade (à margem direita) e o outro, mais turístico e nativo (à margem esquerda). Neste lado, durante muitos anos houve um cruzeiro construído pelos holandeses, que servia de ponto de partida para a procissão de Bom Jesus dos Navegantes, destruído pelo tempo.
Na época de progresso funcionou um estaleiro onde eram construídos barcos e navios de pequeno porte, com isso, o povoado foi crescendo. A pesca e a exploração da pedra calcárea sempre foram os pontos básicos da economia.
O movimento de emancipação política do distrito, então pertencente a São Luís do Quitunde, foi liderado por Manuel Monteiro de Carvalho. Em 1960, a cidade conseguiu a emancipação.
Até hoje na Tabuba e Santa Luzia, povoados da cidade, há casas pertencentes à imigrantes portugueses e italianos, além de casas de férias de algumas pessoas da capital e da região.Turismo[editar | editar código-fonte]
Barra de Santo Antônio tem no turismo sua vocação natural. Suas praias conservam característias selvagens e linhas de arrecifes formam piscinas naturais de uma limpidez incontestável. Cortada pelo Rio Santo Antônio Grande, a Barra se divide em duas partes, uma mais urbana que integra a estrutura da cidade, e, navegando pelo rio, a mais nativa, onde se concentram os principais pontos turísticos, uma delas é a Ilha da Crôa, cuja travessia era feita por balsas, e que a partir de abril de 2010, passou a ser pela ponte que liga o Centro da Cidade com a parte mais nativo da Ilha da Croa. Ainda como atrativos, as lindas praias de Carro Quebrado, das Enseadas e Tabuba.
Entre as festividades, destacam-se o carnaval, os festejos juninos, a São Sebastião (20 de janeiro), de Santo Antônio( 13 de junho) da Emancipação (20 de agosto), de Nossa Senhora da Conceição ( 08 de dezembro), Santa Luzia ( 13 de dezembro), Natal e de Ano Novo.Referências? a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008Â ? IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010Â ? «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010Â ? «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008Â ? a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010Â
Ligações externas[editar | editar código-fonte]
citybrazil.com.br
vdeRegião Metropolitana de MaceióBarra de São Miguel ? Barra de Santo Antônio ? Coqueiro Seco ? Maceió ? Marechal Deodoro ? Messias ? Paripueira ? Pilar ? Rio Largo ?Santa Luzia do Norte ? SatubaAlagoas, Brasil
Portal do Brasil Portal de Alagoas
Este artigo sobre municípios do estado de Alagoas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

POSTAGENS RELACIONADOS


DESENVOLVIMENTO PORTAIS EM BARRA DE SÃO FRANCISCO


desenvolvimento portais em Barra de São Francisco

Encontre desenvolvimento portais em Barra de São Francisco na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO

DESENVOLVIMENTO PORTAIS EM BARRA DE SÃO MIGUEL


desenvolvimento portais em Barra de São Miguel

Encontre desenvolvimento portais em Barra de São Miguel na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO

DESENVOLVIMENTO PORTAIS EM BARRA DO BUGRES


desenvolvimento portais em Barra do Bugres

Encontre desenvolvimento portais em Barra do Bugres na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO

DESENVOLVIMENTO PORTAIS EM BARRA DO CHAPÉU


desenvolvimento portais em Barra do Chapéu

Encontre desenvolvimento portais em Barra do Chapéu na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO