desenvolvimento de sites em em Pains

Encontre desenvolvimento de sites em em Pains na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

Desenvolvimento

Acto ou efeito de desenvolver.
Crescimento.
Ampliação.
Minuciosidade.


Em Pains


Paulo Paim
Retrato oficial de senador.Senador pelo Rio Grande do Sul
Período1º de fevereiro de 2003 até a atualidade
Deputado Federal pelo Rio Grande do Sul
Período1º de fevereiro de 1987até 31 de janeiro de 2003




Dados pessoais
Nascimento15 de março de 1950 (69 anos) Caxias do Sul, Rio Grande do Sul
PartidoPT (1985-atualmente) ProfissãoMetalúrgico
Assinatura Websitewww.senadorpaim.com.br















Paulo Renato Paim (Caxias do Sul, 15 de março de 1950) é um sindicalista e político brasileiro filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT). Atualmente exerce o cargo de Senador da República no Senado Federal do Brasil.Índice1 Biografia
2 Carreira política2.1 Sindicalista
2.2 Deputado Federal
2.3 Senador
3 Salário mínimo
4 Referências
5 Ligações externasBiografia[editar | editar código-fonte]
Paulo Paim nasceu na cidade de Caxias do Sul, RS, um dos dez filhos do casal Ignácio Alves Paim e Itália Ventura da Silva Paim.
De família sem recursos, começou a trabalhar com 8 anos de idade. Aos 12 anos conquistou uma vaga no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, onde fazia o curso técnico durante o dia, ao mesmo tempo em que fazia o ginásio no Ginásio Alberto Pasqualini, onde foi presidente do grêmio estudantil.[1][2]Carreira política[editar | editar código-fonte]
Sindicalista[editar | editar código-fonte]
Após formar-se metalúrgico pelo Senai trabalhou na Metalúrgica Abramo Eberle e Forjasul. Em 1981 tornou-se presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Canoas. Entre 1983 a 1986 galgou os cargos de secretário-geral e vice-presidente nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT).Deputado Federal[editar | editar código-fonte]
Em 1985 filiou-se ao PT e no ano seguinte foi eleito deputado federal pelo Rio Grande do Sul, sendo deputado constituinte. Foi vice-líder do partido entre 1989 e 1991. Foi reeleito deputado sucessivamente em 1990, 1994 e 1998. Entre 1993 e 1994 presidiu a Comissão de Trabalho, Administração Serviço Público da Câmara dos Deputados. Também provocou polêmica em 2001 quando, ao protestar contra projeto que alterava a CLT, rasgou um exemplar da Constituição Federal, e posteriormente o documento que pedia a cassação de seu mandato por este ato.[3]Senador[editar | editar código-fonte]
Paulo Paim e a presidente Dilma Rousseff em 2011.
Nas eleições de 2002 disputou o cargo de senador, sendo eleito após uma disputa bastante acirrada pela segunda vaga contra a colega de chapa Emília Fernandes.[4] Participou na mesa diretora do Senado como primeiro vice-presidente no biênio 2003/2005 e entre 2007/2009 foi presidente da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa.
Nas eleições no Rio Grande do Sul em 2010 disputou a reeleição ao Senado, sendo o mais votado com 33,83% dos votos válidos.[5]
Foi o autor do projeto de lei, apresentado em 1997 quando ainda era deputado federal, que criou o Estatuto do idoso.[6] Também de sua autoria mas ainda em discussão no Congresso Nacional, são os projetos de lei que institui o Estatuto da Igualdade Racial e o fim do fator previdenciário.[7]
É o co-autor do projeto original da lei brasileira de inclusão de 2015, que criou o Estatuto da Pessoa com Deficiência, entrando em vigência em março de 2016.[8]
Paim ganhou a categoria Defesa do Consumidor do prêmio Congresso em Foco.[9]
Em outubro de 2017 votou a contra a manutenção do mandato do senador Aécio Neves mostrando-se favorável a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal no processo onde ele é acusado de corrupção e obstrução da justiça por solicitar dois milhões de reais ao empresário Joesley Batista.[10][11]
Em 2018, foi reeleito ao cargo com 1.875.245 votos.[12] Com isso, Paim foi o único senador das regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste a ser reeleito.[13]Salário mínimo[editar | editar código-fonte]
Notabilizou-se nacionalmente pela defesa da adoção de salário mínimo de cem dólares quando era deputado.[14] Em 2011, o governo federal estava disposto a aumentar o salário mínimo para 545,00 reais, enquanto o senador Paim defendia 560,00 reais.[15]Referências? «História e Vida Pública». Paim Senador. Consultado em 25 de julho de 2016 ? «Político desde a adolescência, Paulo Paim celebra a liberdade». Senado Federal - Jornal do Senado. Consultado em 25 de julho de 2016. Arquivado do original em 13 de agosto de 2016 ? «Folha Online - Brasil - Deputado petista rasga documento que pedia sua cassação - 30/11/2001». www1.folha.uol.com.br ? «TRE-RS». Consultado em 31 de março de 2010. Arquivado do original em 3 de março de 2016 ? «Band» ? «Estatuto do Idoso completa três anos». 27 de setembro de 2006 ? Agência Senado, 3/2/2010? «Paulo Paim comemora vigência do Estatuto da Pessoa com Deficiência». Senado Federal. 9 de março de 2017. Consultado em 12 de março de 2017 ? «ANFFA Sindical, 08/11/2012». Consultado em 30 de setembro de 2016. Arquivado do original em 2 de outubro de 2016 ? «Veja como votou cada senador na sessão que derrubou afastamento de Aécio». Consultado em 17 de Outubro de 2017 ? «Janot denuncia Aécio Neves ao STF por corrupção e obstrução da Justiça». Consultado em 17 de Outubro de 2017 ? «Luis Carlos Heinze (PP) e Paulo Paim (PT) são eleitos senadores pelo Rio Grande do Sul» ? Ana Carolina Moreno (8 de outubro de 2018). «3 em cada 4 senadores que tentaram novo mandato perderam a eleição em 2018». G1. Consultado em 17 de março de 2019 ? Câmara dos Deputados? «Paim volta a defender mínimo de R$ 360 e fim do fator previdenciário». 18 de fevereiro de 2011
Ligações externas[editar | editar código-fonte]
Deputados Constituintes na Câmara de Deputados
Paulo Paim no Senado Federal
Paulo Paim no Twitter
vdeAtuais membros do Senado Federal do Brasil (56ª legislatura)Presidente: Davi Alcolumbre
AcreMailza Gomes (PP)[a]
Márcio Bittar (MDB)
Sérgio Petecão (PSD) AlagoasFernando Collor (PROS)
Renan Calheiros (MDB)
Rodrigo Cunha (PSDB) AmapáDavi Alcolumbre (DEM)
Lucas Barreto (PSD)
Randolfe Rodrigues (REDE) AmazonasEduardo Braga (MDB)
Omar Aziz (PSD)
Plínio Valério (PSDB) BahiaAngelo Coronel (PSD)
Jaques Wagner (PT)
Otto Alencar (PSD) CearáCid Gomes (PDT)
Eduardo Girão (PODE)
Tasso Jereissati (PSDB) Distrito FederalIzalci Lucas (PSDB)
Leila Barros (PSB)
José Reguffe (S/ partido) Espírito SantoFabiano Contarato (REDE)
Marcos do Val (PODE)
Rose de Freitas (PODE) GoiásJorge Kajuru (PATRI)
Luiz Carlos do Carmo (MDB)[a]
Vanderlan Cardoso (PP) MaranhãoEliziane Gama (CDN)
Roberto Rocha (PSDB)
Weverton Rocha (PDT) Mato GrossoJayme Campos (DEM)
Selma Arruda (PSL)
Wellington Fagundes (PL) Mato Grosso do SulNelsinho Trad (PSD)
Simone Tebet (MDB)
Soraya Thronicke (PSL) Minas GeraisAntonio Anastasia (PSDB)
Carlos Viana (PSD)
Rodrigo Pacheco (DEM) ParáJader Barbalho (MDB)
Paulo Rocha (PT)
Zequinha Marinho (PSC) ParaíbaDaniella Ribeiro (PP)
José Maranhão (MDB)
Veneziano Vital do Rêgo (PSB) ParanáÁlvaro Dias (PODE)
Flávio Arns (REDE)
Oriovisto Guimarães (PODE) PernambucoFernando Bezerra (MDB)
Jarbas Vasconcelos (MDB)
Humberto Costa (PT) PiauíCiro Nogueira (PP)
Elmano Férrer (PODE)
Marcelo Castro (MDB) Rio de JaneiroArolde de Oliveira (PSD)
Flávio Bolsonaro (PSL)
Romário (PODE) Rio Grande do NorteJean-Paul Prates (PT)[a]
Styvenson Valentim (PODE)
Zenaide Maia (PROS) Rio Grande do SulLasier Martins (PODE)
Luis Carlos Heinze (PP)
Paulo Paim (PT) RondôniaAcir Gurgacz (PDT)
Confúcio Moura (MDB)
Marcos Rogério (DEM) RoraimaChico Rodrigues (DEM)
Mecias de Jesus (REP)
Telmário Mota (PROS) Santa CatarinaDário Berger (MDB)
Esperidião Amin (PP)
Jorginho Mello (PL) São PauloJosé Serra (PSDB)
Major Olímpio (PSL)
Mara Gabrilli (PSDB) SergipeAlessandro Vieira (CDN)
Maria do Carmo (DEM)
Rogério Carvalho (PT) TocantinsEduardo Gomes (MDB)
Irajá Abreu (PSD)
Kátia Abreu (PDT)Legenda:a. ^ Suplente efetivado
MDB (12) ? PSD (9) ? PSDB (8) ? PODE (9) ? PT (6) ? PP (6) ? DEM (7) ? PDT (4) ? PSL (4) ? CDN (2) ? PROS (3) ? REDE (3) ? PL (2) ? PSB (2) ? PATRI (1) ? REP (1) ? PSC (1) ? Sem partido (1)
vdeAtuais parlamentares do Rio Grande do Sul no Congresso Nacional do Brasil (56ª legislatura)SenadoresLasier Martins (PODE) · Luis Carlos Heinze (PP) · Paulo Paim (PT)Deputados federaisAfonso Hamm (PP) · Afonso Motta (PDT) · Alceu Moreira (MDB) · Bibo Nunes (PSL) · Bohn Gass (PT) · Carlos Gomes (PRB) · Daniel Trzeciak (PSDB) · Danrlei (PSD) · Darcísio Perondi (MDB) · Fernanda Melchionna (PSOL) · Giovani Cherini (PR) · Giovani Feltes (MDB) · Heitor Schuch (PSB) · Henrique Fontana (PT) · Jerônimo Goergen (PP) · Liziane Bayer (PSB) · Lucas Redecker (PSDB) · Marcel van Hattem (NOVO) · Marcelo Brum (PSL) · Marcelo Moraes (PTB) · Márcio Biolchi (MDB) · Dionilso Marcon (PT) · Maria do Rosário (PT) · Marlon Santos (PDT) · Maurício Dziedricki (PTB) · Nereu Crispin (PSL) · Paulo Pimenta (PT) · Pedro Westphalen (PP) · Pompeo de Mattos (PDT) · Ronaldo Santini (PTB) · Sanderson (PSL)Senado: PODE (1) ? PP (1) ? PT (1)Câmara: PT (5) ? MDB (4) ? PSL (4) ? PDT (3) ? PP (3) ? PTB (3) ? PSB (2) ? PSDB (2) ? NOVO (1) ? PR (1) ? PRB (1) ? PSD (1) ? PSOL (1)
vdeSenadores do Brasil pelo Rio Grande do SulSéculo XXI
Martins
Lemos
Paim
Simon
Zambiasi
Fernandes
Domeneghini
Fogaça
Século XX
Bisol
Hoffmann
Chiarelli
Saldanha
Cardoso
Dutra
Brossard
Krieger
Mondin

Fonseca
Lindgren
Pasqualini
Câmara
Beck
Simch
Pinheiro
Mércio
Dorneles
Vargas
S. Filho
Cunha
Lopes
P. Filho
Abreu
Barbosa
Santos
Corrêa
Monteiro
Assunção
Machado
Nascimento
Fortuna
Frota
Barcelos
Século XIX
D'Avila
Martins
Câmara
Caxias
Abreu e Silva
Osório
Ribeiro
Braga
Chaves
Soledade

Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.vde Portal de biografias Portal da política Portal do Rio Grande do Sul
Controle de autoridade
: Q7155276
WorldCat
VIAF: 78242539
LCCN: n2007207193