criar site rio de janeiro em Alcobaça


Encontre criar site rio de janeiro em Alcobaça na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

Criar

Dar existência a.
Originar.
Inventar.
Gerar; produzir: _criou muitos filhos_.
Instituir, fundar: _criar asilos_.
Amamentar.
Educar.
Promover a procriação de: _criar gado_.
Cultivar.
Adquirir.


Criar

Encher-se de pus (uma ferida), resultante de picada: _tenho um dedo a criar_.


Criar

Ter dinheiro.


Criar

Afagar, acarinhar.


Rio

Curso de água natural, permanente ou temporário, navegável ou não, procedente de uma fonte única ou formado pela reunião de regatos ou correntes mais pequenas, e que desagua em outro curso de água ou no mar.


Rio

Aquilo que corre como um rio.
Grande quantidade de líquido: _chorou rios de lágrimas_.
Grande quantidade: _custou rios de dinheiro_.


Janeiro

Primeiro mês do ano, segundo a cronologia moderna e entre os antigos Romanos.


Janeiro

O cio dos gatos.


Janeiro

O mesmo que _durázio_.


Janeiro

Anos de idade: _já conta sessenta janeiros_.

Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.?Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)Coordenadas: 39° 33' N 8° 59' WAlcobaça Fachada do Mosteiro de AlcobaçaGentílicoAlcobacense
Área408,14Â km²
População56Â 693 hab. (2011)
Densidade populacional138,9Â hab./km²
N.º de freguesias13
Presidente dacâmara municipalPaulo Inácio (PSD)
Fundação do município(ou foral)9 Abril 1153 Foral. Povoação mais antiga que a nacionalidade.
Região (NUTS II)Centro
Sub-região (NUTS III)Oeste
DistritoLeiria
ProvínciaEstremadura
OragoSantíssimo Sacramento
Feriado municipal20 de Agosto, dia de S. Bernardo
Código postal2460, 2461, 2475
Sítio oficialMunicípio de Alcobaça
Municípios de Portugal Alcobaça DmTE (português europeu:Â [a?ku??as?]) é uma cidade portuguesa do distrito de Leiria, situada na histórica província da Estremadura e integrando a Comunidade Intermunicipal do Oeste na região do Centro, com cerca de 7Â 000 [1] habitantes no seu núcleo central.
No entanto, a área urbana abrange cerca de 18 000 habitantes distribuído pelas freguesias de Alcobaça e Vestiaria e por parte das freguesias de Aljubarrota, Maiorga, Évora de Alcobaça[carece de fontes?]. Foi elevada ao estatuto de cidade em 1995. É célebre pela existência da Real Abadia do Mosteiro de Alcobaça, o qual tornou-se num monumento de forte atração turística.
É sede de um município com 408,14Â km² de área[2] e 56Â 693 habitantes (2011),[3][4] o segundo mais populoso da Comunidade Intermunicipal do Oeste e do distrito de Leiria, subdividido em 13 freguesias.[5] O município é limitado a norte pelo município da Marinha Grande, a leste por Leiria, Porto de Mós e Rio Maior, a sudoeste pelas Caldas da Rainha e a oeste pela Nazaré (que rodeia por três lados), tendo dois troços de costa atlântica, a noroeste e sudoeste.
A cidade está localizada a 92Â km a norte de Lisboa (124Â km via A8, ou 110Â km via IC2 / A1), e 88Â km a sudoeste de Coimbra (114Â km via A8 / A17 / IC8 / A1, ou 105Â km via IC2 / A1).[6]
Alcobaça é banhada pelos rios Alcoa e Baça, nomes de cuja aglutinação a tradição faz derivar o seu nome ? o que está longe de ser consensual.[7]Índice1 População
2 História
3 Política3.1 Eleições autárquicas
3.2 Eleições legislativas
4 Freguesias
5 Bairros da Cidade de Alcobaça
6 Galeria de imagens
7 Património natural7.1 Litoral
7.2 Miradouros
8 Património edificado8.1 Castelo de Alcobaça
8.2 Mosteiro de Alcobaça
9 Economia
10 Desporto e Cultura10.1 Artesanato
10.2 Gastronomia
10.3 Museus
10.4 Clubes e Associações
10.5 Rádio
10.6 Projectos Culturais
11 Alcobacenses famosos11.1 Artistas oriundos de Alcobaça
12 Geminações
13 Notas
14 Ver também
15 Ligações externasPopulação[editar | editar código-fonte]
Número de habitantes [8]
186418781890190019111920193019401950196019701981199120012011
21 21723 27126 14028 96933 02334 58338 46243 51847 90550 02748 02852 34754 38255 37656 693(Obs.: Número de habitantes "residentes", ou seja, que tinham a residência oficial neste concelho à data em que os censos se realizaram.)Número de habitantes por Grupo Etário [9]
190019111920193019401950196019701981199120012011
0-14 Anos9 91110 95411 53612 64013 94013 86013 72912 19512 52910 2038 8448 282
15-24 Anos4 7296 2936 1286 8377 4048 4308 0478 0658 2448 3307 5805 995
25-64 Anos11 79413 19914 16715 87718 14221 11623 60322 74025 42127 08829 49330 710
= ou > 65 Anos2 0312 0732 4143 3003 3533 8024 6484 2906 1537 4529 45911 706
> Id. desconh75457664108(Obs: De 1900 a 1950 os dados referem-se à população "de facto", ou seja, que estava presente no concelho à data em que os censos se realizaram. Daí que se registem algumas diferenças relativamente à designada população residente)História[editar | editar código-fonte]
Ver artigo principal: História de Alcobaça
A actual cidade de Alcobaça cresceu nos vales do rio Alcoa e do rio Baça.
A área do actual concelho de Alcobaça foi habitada pelos Romanos, mas a denominação ficou-lhe dos Árabes, cuja ocupação denota uma era de progresso a julgar pelos numerosos topónimos das terras adjacentes que os recordam, tais como Alcobaça, Alfeizerão, Aljubarrota, Alpedriz e ainda outros topónimos.
Quando Alcobaça foi reconquistada, a localidade tinha acesso ao mar que perto formava a grande Lagoa da Pederneira que atingia Cós e permitia navegarem as embarcações que transportavam para o resto do País os frutos deliciosos produzidos na região graças à técnica introduzida pelos monges de Cister.
Afonso Henriques doou aos monges Cistercienses a 8 de Abril de 1153 as Terras de Alcobaça, com a obrigação de as arrotearem; as doações feitas ao longo dos diversos reinados vieram a constituir um vastíssimo território - Os Coutos de Alcobaça - que ia desde cerca de São Pedro de Moel a São Martinho do Porto e de Aljubarrota a Alvorninha, tendo o território atingido o seu máximo no reinado de D. Fernando I.
Os monges de Cister chegaram a ser senhores de 14 vilas das quais 4 eram portos de mar: Alfeizerão, São Martinho do Porto, Pederneira e Paredes da Vitória.
Os monges de Alcobaça, além da sua actividade religiosa e cultural- tiveram aulas públicas desde 1269 e nelas, além de Humanidades, Lógica e Teologia, ensinaram técnicas agrícolas - desenvolveram uma acção colonizadora notável e perdurável, pondo em prática as inovações agrícolas experimentadas noutros mosteiros e graças às quais arrotearam as terras, secaram pauis, introduziram culturas adequadas a cada terreno e organizaram explorações ou quintas, a que chamavam granjas, criando praticamente a partir do nada uma região agrícola que se manteve até aos nossos dias como uma das mais produtivas de Portugal. Joaquim Vieira Natividade refere-se aos monges de Alcobaça, como os monges-agrónomanos.
Os concelhos de Alcobaça e Nazaré, bem como parte do norte do concelho de Caldas da Rainha, foi arroteada e administrada pelos monges alcobacenses. Este vasto território denominava-se os Coutos de Alcobaça.
Eram 14 as vilas dos coutos de Alcobaça:Alcobaça;
Alfeizerão;
Aljubarrota;
Alvorninha;
Cela;
Cós;
Évora de Alcobaça;
Maiorga;
Paredes da Vitória;
Pederneira
Salir de Matos
Santa Catarina;
São Martinho do Porto;
Turquel.
A cidade de Alcobaça recebeu foral de D. Manuel I em 1514. As outras 12 vilas receberam forais na mesma época.
Em 1567, o mosteiro de Alcobaça separou-se de Cister, a casa-mãe em França, para se tornar cabeça da Congregação Portuguesa, por bula do Papa Pio V.
Em meados do século XVII, a maioria das terras dos coutos de Alcobaça pertencia já aos habitantes das vilas e dos seus concelhos.
Em 1755, por causa do grande terramoto, Alcobaça foi destruída e sofreu uma enorme inundação. O marquês de Pombal impulsionou o município após essa tragédia.
Durante as invasões francesas, no início do século XIX, o mosteiro de Alcobaça foi pilhado.
O mosteiro esteve novamente a saque durante 11 dias em 1833, após o abandono forçado dos monges, em virtude da vitória liberal na guerra civil. Com a extinção das ordens religiosas decretada em 1834, parte do Mosteiro de Alcobaça foi vendido em hasta pública. Das 14 vilas-concelho apenas Alcobaça e Pederneira (a actual Nazaré) são hoje sede de concelho, tendo os outros sido entretanto extintos.
Nos antigos coutos, administrados pelos monges cistercienses durante quase 700 (setecentos) anos, subsistem, para além da atividade agrícola por eles introduzida, uma profusão de elementos arquitéctónicos sobretudo manuelinos, alguns pelourinhos e muitas casas rurais e anexos agrícolas, como lagares de varas que no século XVII e século XIX foram utilizados para a extracção do azeite a partir dos olivais da Serra dos Candeeiros.
Foi feita Dama da Antiga e Muito Nobre Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito a 26 de Abril de 1919.[10]
A 30 de agosto de 1995, Alcobaça foi elevada a cidade.
Até 12 de julho de 2001, fazia também parte do município a freguesia da Moita, a qual entretanto foi transferida para o vizinho concelho da Marinha Grande.Política[editar | editar código-fonte]
Eleições autárquicas[editar | editar código-fonte]
Data%V%V%V%V%V
PSPPD/PSDCDS-PPAPU/CDUAD
197639,73331,69316,0017,99-
197939,113ADAD8,07-49,794
198240,273ADAD7,56-48,964
198522,74264,8758,27-
198943,49335,95311,7014,87-
199351,10530,1824,08-6,37-
199728,53243,9643,66-19,731
200123,50246,8943,33-22,191
200517,12155,0852,84-15,981
200920,89244,9345,20-15,281
201319,79236,07317,53111,981
201721,58243,98415,2517,64-Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]
Data%
PSPSDCDSPCPUDPADAPU/CDUFRSPRDPSNB.E.PANPàF
197635,9129,4917,286,460,68
197926,41ADADAPU1,3854,0010,16
1980FRS0,8458,668,6424,55
198337,3134,3914,710,588,03
198522,0639,5010,270,746,7715,36
198721,2659,285,92CDU0,504,993,12
199125,2260,624,203,590,541,43
199539,2242,6610,200,433,71
199937,6140,978,867,320,251,26
200231,1450,878,173,971,95
200537,3740,257,673,835,08
200930,7735,6311,494,928,78
201121,6347,5011,994,624,741,11
201525,40PàFPàF4,538,581,1349,49Freguesias[editar | editar código-fonte]
Freguesias do concelho de Alcobaça.
O concelho de Alcobaça está dividido em 13 freguesias:Alcobaça e Vestiaria
Alfeizerão
Aljubarrota
Bárrio
Benedita
Cela
Cós, Alpedriz e Montes
Évora de Alcobaça
Maiorga
Pataias e Martingança
São Martinho do Porto
Turquel
Vimeiro
Até 2001, a freguesia da Moita (Marinha Grande) fez parte do concelho de Alcobaça.Bairros da Cidade de Alcobaça[editar | editar código-fonte]
Mapa da Cidade de Alcobaça.
Bairro da Quinta Nova
Bairro da Fonte Nova
Bairro Quinta da Roda
Bairro dos Ganilhos
Bairro da Ponte Jardim
Bairro Hipólito
Bairro da Bela Vista
Bairro do Lameirão
Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]
Panorama da praça frente ao Mosteiro
Centro da Cidade Alcobaça
Zona Histórica Alcobaça
Mosteiro Stª Maria
Cascata da Levadinha
Baía S. Martinho do Porto
S. Martinho do Porto
Igreja Paroquial de Pataias
Património natural[editar | editar código-fonte]
Entrada para a baía de São Martinho do Porto.
O concelho é densamente povoado, acima da média nacional; por isso, a paisagem rural fora dos centros populacionais é um misto de habitação, agricultura, mato e floresta, sem grandes espaços sem marca humana.
As maiores manchas florestais do concelho são as seguintes:Pinhal: na freguesia de Pataias (matas particulares)
Serra dos Candeeiros (eucaliptal)
Vimeiro (Carvalhal do Gaio)
Parte da zona oriental do concelho está inscrita no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros (freguesias de São Vicente, Prazeres, Évora e Turquel).
A 3Â km da cidade, na freguesia da Vestiaria, situam-se as Termas da Piedade.Litoral[editar | editar código-fonte]
O concelho conta com zona litoral nas freguesias de Pataias, a norte, e São Martinho do Porto, a sul. Todo o litoral é constituído por arribas, a maioria delas com uma pequena praia na base. A excepção é a concha de São Martinho do Porto, uma baía natural ladeada por dois promontórios de rocha. A concha foi em tempos muito mais vasta: até ao século XIV o mar chegava à vila de Alfeizerão, hoje a 4Â km de distância.
No litoral norte encontram-se sete praias: Água de Madeiros, Praia da Pedra do Ouro, Polvoeira,Paredes da Vitória,Vale furado, Légua e Falca. No litoral sul, encontramos as praias da Gralha e de São Martinho do Porto. Apesar de algumas destas praias terem tido bandeira azul em anos anteriores, nenhuma obteve esse galardão no ano de 2009.[11]Miradouros[editar | editar código-fonte]
O melhor miradouro da cidade e dos seus campos adjacentes encontra-se no morro do castelo em ruínas. Nos seus arredores oferecem belas panorâmicas o adro da Capelinha de Santa Rita, na serra do Monte em Coz; o lugar de Montes; a capela de Santo António, em São Martinho do Porto; e a Portela do Pereiro, no cimo da serra dos Candeeiros.Património edificado[editar | editar código-fonte]
Ver artigo principal: Lista de património edificado em Alcobaça
Freguesia
Imóvel
Constr.
Classif.
Link
Alcobaça
Mosteiro de Alcobaça
Séc. XII-XIX
PM, MN
IGESPAR
Alcobaça
Capela de Nossa Senhora do Desterro, na Cerca do Mosteiro
Séc. XVIII
MN
IGESPAR
Alcobaça
Castelo de Alcobaça
Séc. XII
IIP
IGESPAR
Alcobaça
Capela de Nossa Senhora da Conceição
Séc. XVII
IIP
IGESPAR
Alcobaça
Edifício na Rua Dr. Brilhante n.º 5
Séc. XVIII
IIM
IGESPAR
Alcobaça
Edifício onde viveu Manuel Vieira Natividade
Séc. XX
IIM
IGESPAR
Alcobaça
Cine-Teatro de Alcobaça
Séc. XX
?Alcobaça
Escola Adães Bermudes
Séc. XX
?Alcobaça
Challet da Fonte Nova
Séc. XX
?Alcobaça
Palacetes de final do século XIX e início do século XX
Séc. XX
?Alcobaça
Armazém das Artes
Séc. XXI
?Alfeizerão
Pelourinho de Alfeizerão
IGESPAR
Alfeizerão
Castelo de Alfeizerão
Séc. XII
Em vias
IGESPAR
Alfeizerão
Casa do Relego
?
?
Aljubarrota (Prazeres)
Pelourinho de Aljubarrota
Séc. XVI
IIP
IGESPAR
Aljubarrota (S. Vicente)
Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres
Séc. XIII
IIP
IGESPAR
Aljubarrota (S. Vicente)
Janela manuelina, num prédio na Rua Direita, 49
Séc. XVI
IIP
IGESPAR
Aljubarrota (S. Vicente)
Casa do Monge Lagareiro ("Lagar dos Frades")
Séc. XVIII
IIP
IGESPAR
Aljubarrota (S. Vicente)
Ermida de São João Baptista, Olheiros
Séc. XVII
Em vias
IGESPAR
Alpedriz
Pelourinho de Alpedriz
Séc. XVI
IIP
IGESPAR
Bárrio
Vila Romana de Parreitas
Séc. I-IV
?
Cela
Pelourinho de Cela Nova
Séc. XVI
IIP
IGESPAR
Cela
Capela de São Bento, na Quinta da Cela Velha
Séc. XVIII
IIM
IGESPAR
Cela
Monumento ao General Humberto Delgado do escultor José Aurélio
Séc. XX
?
Cós
Mosteiro de Santa Maria de Cós
Séc. XIII
História BMC
IIP IGESPAR
Cós
Ermida do Bom Jesus do Calvário de Cós (vulgo Capela de Santa Rita)
Séc. XVIIHistória
Cós
Igreja de Santa Eufémia (Igreja da Misericórdia)
?
?
?
Cós
Santuário da Senhora da Luz (Castanheira)
?
?
Fotos
Cós
Fonte Santa (Castanheira)
?
?
BMC
Cós
Capela de Santa Marta (Castanheira)
?
?
?
Cós
Capela de Nossa Senhora da Graça (Póvoa)
?
?
Foto
Maiorga
Pelourinho da Maiorga
Séc. XVI
IIP
IGESPAR
Maiorga
Açude da Fervença
?
?
Pataias
Fornos de Cal
?
Em vias
(http://www.pataias.net[ligação inativa])
São Martinho do Porto
Casa em São Martinho do Porto
Séc. XX
IIM
IGESPAR
São Martinho do Porto
Centro Histórico de São Martinho do Porto
Séc. XIX-XX
-Turquel
Pelourinho de Turquel
Séc. XVI
IIP
IGESPAR
Turquel
Quinta de Vale-de-Ventos
?
Em vias
IGESPAR
Vestiaria
Igreja Matriz de Vestiaria
Séc. XVI
MN
IGESPAR
Vimeiro
Núcleo construído da Quinta (ou Granja) do Vimeiro
?
Em vias
IGESPARCastelo de Alcobaça[editar | editar código-fonte]
Ver artigo principal: Castelo de Alcobaça
O castelo de Alcobaça remonta, provavelmente, ao período visigótico. Terá sido conquistado pelos mouros no século VIII e, posteriormente, por D. Afonso Henriques em 1148. Após o abandono da função como castelo, serviu como prisão. Entrou em estado de degradação devido a sucessivos terramotos. No século XIX, a quase totalidade das pedras da sua muralha foram vendidas pelo Município para a construção de casas particulares. Encontra-se hoje em ruínas.Mosteiro de Alcobaça[editar | editar código-fonte]
Ver artigo principal: Mosteiro de Alcobaça
Fonte no Mosteiro de Alcobaça.
Alcobaça é conhecida pelo seu mosteiro cisterciense, em torno do qual se desenvolveu a povoação, a partir do século XV. O mosteiro foi fundado por D. Afonso Henriques em 1148, e concluído em 1222, em estilo gótico. Durante a Idade Média, chegou mesmo a rivalizar com outras grandes abadias cistercienses da Europa; os coutos de Alcobaça constituíram um dos maiores domínios privados dentro do reino de Portugal, abarcando um dos concelhos vizinhos de Alcobaça, a Nazaré, e parte do de Caldas da Rainha, para além de possuir inúmeras terras adquiridas por escambo, emprazamento, aforamento ou arrendamento um pouco por todo o país.
O mosteiro foi parcialmente incendiado pelos invasores franceses, chefiados por André Massena, em 1810, secularizado em 1834, e depois gradualmente restaurado. Parte da sua enorme biblioteca, com mais de cem mil tomos e manuscritos, foi salva do saque e incêndio dos franceses e do saque dos portugueses durante as guerras liberais, achando-se hoje preservada em parte na Biblioteca Pública de Braga e na Biblioteca Nacional de Lisboa.
Nos braços sul e norte do transepto da igreja do mosteiro, acham-se duas obras-primas da escultura gótica em Portugal: os túmulos dos eternos apaixonados, o rei D. Pedro (1357-1367) e D.Inês de Castro. São as melhores realizações escultórias da tumularia medieval portuguesa.
O mosteiro de Alcobaça foi classificado pela UNESCO, em 1989, Património Mundial.Economia[editar | editar código-fonte]
As actividades de maior destaque económico no concelho são:fruticultura, com destaque para a Maçã de Alcobaça e para a Pêra-rocha do Oeste. A Associação de Produtores de Maçã de Alcobaça (APMA) é a entidade gestora da Indicação Geográfica Protegida do fruto produzido entre os concelhos de Leiria e Torres Vedras. Com 15 organizações e agrupamentos associados, a APMA reúne mais de mil produtores certificados, responsáveis pela produção integrada em 1200 hectares de pomares.[12]
suinicultura
cerâmica de barro vermelho, faiança e cristalaria
indústria de moldes para plásticos
fabrico de cimento
Turismo
Desporto e Cultura[editar | editar código-fonte]
Artesanato[editar | editar código-fonte]
No concelho de Alcobaça há fabrico de olaria, cerâmica, vergas, juncos, lenços, toalhas, tapeçarias e cutelaria.Gastronomia[editar | editar código-fonte]
Frango na púcara.
Ginja de Alcobaça.
O prato típico da região de Alcobaça é o frango na púcara: um frango guisado aos pedaços com bastante molho de receita secreta, mas que inclui cebolinho, acompanhado de arroz branco e batatas fritas.
No campo da doçaria há a destacar: trouxas de ovos, delícias de Frei João e Pudim de ovos do mosteiro de Alcobaça. E o pão-de-ló de Alfeizerão (conhecidíssimo), já em 1906 referenciado por M. Vieira Natividade no seu opúsculo Alcobaça d´Outros Tempos.
Todos os anos decorre uma Mostra de Doçaria Conventual e Tradicional, que para além de Alcobaça conta com representações do país e do estrangeiro, nomeadamente de Braga, Arouca, Louriçal, Alentejo, Galiza, Espanha e França.
O licor de ginja de Alcobaça é também muito apreciado pelos visitantes da cidade, tendo vindo a ser produzido desde 1930.[13]Museus[editar | editar código-fonte]
O concelho de Alcobaça possui o seguinte património museológico:[14]Casa-Museu Vieira Natividade (em estado de avançada degradação, propriedade do IGESPAR)
Museu do Vinho de Alcobaça (reaberto)
Museu Agrícola, da EPACIS
Museu dos Coutos de Alcobaça (em fase de instalação / inactivo, ver artigo)
Museu da fábrica de cristal Atlantis
Museu Raul Bernarda
Museu Monográfico do Bárrio
Clubes e Associações[editar | editar código-fonte]
Alguns dos clubes radicados no concelho de Alcobaça:[15]ABCD - Associação Beneditense de Cultura e Desporto
ADEPA ? Associação de Defesa e Valorização do Património Cultural da Região de Alcobaça
HCT - Hóquei Clube de Turquel- disputa atualmente a 1a divisão nacional de hóquei em patins masculino
AACD - Associação Alcobacense de Cultura e Desporto, que disputa o Campeonato Nacional Feminino - Região Sul P1 em hóquei em patins e a 3a divisão nacional masculino em hóquei em patins
Alcobaça Clube de Ciclismo
Alcobaça Moto-Clube
Associação Hípica de Alcobaça
Clube Alcobacense, um clube de sociedade
CCC - Centro Cénico da Cela
CCCA - Clube de Campismo e Caravanismo de Alcobaça, que explora um parque de campismo dentro da cidade [1]
CCDS Casal Velho - Centro Cultural Desportivo e Social Casal Velho - disputa atualmente a 2.ª divisão nacional de futsal masculino Série E
CCRD Burinhosa - Centro Cultural Recreativo e Desportivo da Burinhosa - disputa atualmente a 1.ª divisão nacional de futsal masculino
Cister Sport de Alcobaça (andebol)- E-Mail:cistersportalcobaca@netvisao.pt
Associação Recreativa Desportiva Cultural e Social do Casal Pardo
SUA - Sport União Alfeizerense
CNAL - Clube de Natação de Alcobaça (www.natacaoalcobaca.com)
CTA - Clube de Ténis de Alcobaça
UDT - União Desportiva de Turquel
GCA - Ginásio Clube de Alcobaça, que já disputou o campeonato nacional de futebol da 1.ª divisão na época de 1982-1983
ARRCPF - Associação Recreativa das Rosas, Casal Pinheiro e Fragosas com rancho folclórico
Rotary Clube de Alcobaça
Grupo Desportivo Concha Azul
diversas associações de caça e/ou pesca a nível das freguesias
Clubes que não sendo sediados no concelho, aqui desenvolvem actividades:Associação Mushing do Centro
Rádio[editar | editar código-fonte]
Rádio Cister emissão em frequência modulada 95.5Â MHz e online em www.cister.fm [2]
Benedita FM emissão em frequência modulada 88.1Â MHz e online em www.beneditafm.pt [3]
Projectos Culturais[editar | editar código-fonte]
Projecto Cultural do Bazar das Monjas de Coz, na freguesia de Cós [4]
Casa das Artes
Cine-Teatro de Alcobaça - João d'Oliva Monteiro
Alcobacenses famosos[editar | editar código-fonte]
Entre os alcobacenses famosos há a registar:Fernando dos Santos, matador de toiros
Frei António Brandão (1584-1637), historiador
Frei Fortunato de São Boaventura (1777-1844), polígrafo
Manuel Vieira de Natividade (1860-1918), arqueólogo
Virgínia Vitorino (1895 - 1967), poetisa e dramaturga
João d'Oliva Monteiro (1903-1949), industrial, fundador da Crisal e do cine-teatro
Joaquim Vieira Natividade, engenheiro agrónomo e historiador local
Humberto Delgado (1906-1965), general e combatente contra o Salazarismo, viveu na Cela Velha
Tarcísio Trindade, o único presidente de câmara do tempo da ditadura que não foi eleito pelas listas da União Nacional; deposto após a Revolução dos Cravos
Artistas oriundos de Alcobaça[editar | editar código-fonte]
João Santos, mestre oleiro[16]
José Aurélio, escultor
The Gift, banda electrónica
Mário Fróis Tanqueiro, ceramista
Mário Costa de Oliveira Tanqueiro, Industrial Ceramica, Vereador Câmara Municipal de Alcobaça
Sérgio Carolino, músico
Rúben da Luz, músico
Hugo Trindade, músico
Daniel Bernardes, músico
Diana Nicolau, actriz
Geminações[editar | editar código-fonte]
O concelho de Alcobaça é geminado com as seguintes cidades:[17] Chicopee, Massachusetts, Estados Unidos
Aubergenville, Yvelines, França
Cacuaco, Província de Luanda, Angola
Notas? INE (2013). look_parentBoui=209714927&att_display=n&att_download=y Anuário Estatístico da Região Centro 2012 Verifique valor |url= (ajuda). Lisboa: Instituto Nacional de Estatística. p. 33. ISBN 978-989-25-0217-5. ISSN 0872-5055. Consultado em 5 de maio de 2014 ? Instituto Geográfico Português (2013). «Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013». Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013. Direção-Geral do Território. Consultado em 28 de novembro de 2013. Arquivado do original (XLS-ZIP) em 9 de dezembro de 2013 ? INE (2012). Censos 2011 Resultados Definitivos ? Região Centro. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística. p. 117. ISBN 978-989-25-0184-0. ISSN 0872-6493. Consultado em 27 de julho de 2013 ? INE (2012). «Quadros de apuramento por freguesia» (XLSX-ZIP). Censos 2011 (resultados definitivos). Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_CENTRO". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 27 de julho de 2013 ? Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.? Google Maps. Alcobaça?Lisboa via A8 / via IC2. Alcobaça?Coimbra via A8 / via IC2. Acedido em 2009-10-01.? «Alcobaça». Guia de Turismo ? Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes? INE - http://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=CENSOS&xpgid=censos_quadros? «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Cidade de Alcobaça". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 2 de dezembro de 2014 ? Câmara Municipal de Alcobaça. Bandeira Azul Arquivado em 8 de outubro de 2007, no Wayback Machine.. Acedido em 2009-09-30.? «Maçã de Alcobaça estima atingir 50 mil toneladas». Correio da Manhã. 11 de outubro de 2014 ? «Ginja M.S.R. de Alcobaça». Consultado em 29 de Dezembro de 2010 ? Câmara Municipal de Alcobaça. Museus Arquivado em 20 de novembro de 2009, no Wayback Machine.. Acedido em 2009-10-11.? Governo Civil de Leiria. Associações do Concelho de Alcobaça[ligação inativa]. Acedido em 27 Fev 2007.? O "nosso Mestre" João Santos[ligação inativa]. Acedido em 2009-10-02.? http://www.anmp.pt/anmp/pro/mun1/gem101l0.php?cod_ent=M2460
Ver também[editar | editar código-fonte]
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Alcobaça (Portugal)Mosteiro de Alcobaça
Abadia de Alcobaça
Bazar das Monjas de Coz
Pelourinho de Turquel
Maçã de Alcobaça
Ligações externas[editar | editar código-fonte]
História de Alcobaça - Priscovero
Site Oficial da Câmara Municipal de Alcobaça
Site sobre Alcobaça
Portal de Alcobaça
vdeTópicos sobre Alcobaça (Portugal)Freguesias (e localidades)Alcobaça e Vestiaria ? Alfeizerão ? Aljubarrota (Casais de Santa Teresa ? Cumeira de Baixo ? Mogo ? Olheiros) ? Bárrio ? Benedita ? Cela ? Cós, Alpedriz e Montes ? Évora de Alcobaça (Casal Pinheiro ? Nova Alcobaça) ? Maiorga ? Pataias e Martingança (Burinhosa ? Paredes da Vitória) ? São Martinho do Porto (Serra dos Mangues) ? Turquel ? VimeiroNaturezaLagoa de Pataias ? Mata Nacional do Gaio ? Praia da Gralha ? Rio Alcoa (Rio Alcobaça) ? Rio Baça ? Serra dos Candeeiros (Parque Natural) ? Termas da Piedade ? Vale do MogoPatrimónioCapela de Nossa Senhora do Desterro ? Capela de N.ª Sr.ª da Luz de Cós ? Castelo de Alcobaça ? Castelo de Alfeizerão ? Convento de Santa Maria Madalena (Capuchos)1 ? Igreja Paroquial de Alfeizerão ? Igreja de São Vicente de Aljubarrota ? Mosteiro de Alcobaça (Túmulos de D. Pedro I e de Inês de Castro) ? Mosteiro de Santa Maria de Cós ? Pelourinho de Alfeizerão ? Pelourinho de Aljubarrota ? Pelourinho de Alpedriz ? Pelourinho de Cela Nova ? Pelourinho da Maiorga ? Pelourinho de Turquel ? Quinta de Vale-de-VentosHistóriaHistória de Alcobaça ? Cronologia de Alcobaça ? Abadia de Alcobaça ? Coutos de Alcobaça ? Esmoler-mor do ReinoCulturaADEPA ? Armazém das Artes ? Bazar das Monjas de Coz1 ? Biblioteca do Mosteiro de Alcobaça1 ? Biblioteca Municipal de Alcobaça ? Cine-Teatro de Alcobaça ? Cister FM ? Cistermúsica ? Lenço de Alcobaça ? Museu dos Coutos de Alcobaça ? Salão Cine-Moderno1DesportoAssociação Beneditense de Cultura e Desporto ? Clube de Campismo e Caravanismo de Alcobaça ? Clube de Ténis de Alcobaça ? Ginásio Clube de Alcobaça ? Hóquei Clube de TurquelFigurasilustresAntónio Brandão ? João d'Oliva Monteiro ? Joaquim Vieira Natividade ? José Aurélio ? Manuel Vieira Natividade ? The GiftNotas:1: já não existenteConcelhos da Região do Oeste
Alcobaça
Alenquer
Arruda dos Vinhos
Bombarral
Cadaval
Caldas da Rainha
Lourinhã
Nazaré
Óbidos
Peniche
Sobral de Monte Agraço
Torres Vedras
Concelhos do distrito de LeiriaAlcobaçaAlvaiázereAnsiãoBatalhaBombarralCaldas da RainhaCastanheira de PeraFigueiró dos VinhosLeiriaMarinha GrandeNazaréÓbidosPedrógão GrandePenichePombalPorto de Mós Portal de Portugal

POSTAGENS RELACIONADOS


CRIAR SITE RIO DE JANEIRO EM ALDEIAS ALTAS


criar site rio de janeiro em Aldeias Altas

Encontre criar site rio de janeiro em Aldeias Altas na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO

CRIAR SITE RIO DE JANEIRO EM ALECRIM


criar site rio de janeiro em Alecrim

Encontre criar site rio de janeiro em Alecrim na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO

CRIAR SITE RIO DE JANEIRO EM ALEGRE


criar site rio de janeiro em Alegre

Encontre criar site rio de janeiro em Alegre na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO

CRIAR SITE RIO DE JANEIRO EM ALEGRETE


criar site rio de janeiro em Alegrete

Encontre criar site rio de janeiro em Alegrete na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO