criar site brusque em Joinville

Encontre criar site brusque em Joinville na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

Criar

Dar existência a.
Originar.
Inventar.
Gerar; produzir: _criou muitos filhos_.
Instituir, fundar: _criar asilos_.
Amamentar.
Educar.
Promover a procriação de: _criar gado_.
Cultivar.
Adquirir.


Criar

Encher-se de pus (uma ferida), resultante de picada: _tenho um dedo a criar_.


Criar

Ter dinheiro.


Criar

Afagar, acarinhar.


Joinville

Nota: Artigo sobre o município brasileiro; para outros significados, veja Joinville (desambiguação).Município de Joinville
"Cidade das Flores""Cidade dos Príncipes""Cidade da Dança""Manchester Catarinense"
Panorâmica do Centro de JoinvilleBandeiraBrasãoHino
Fundação9 de março de 1851 (168 anos)
Gentílicojoinvilense[1][2][3]
LemaMea autem brasiliæ magnitudo"A minha grandeza se identifica com a grandeza do Brasil"
Prefeito(a)Udo Döhler (MDB)(2017 – 2020)
Localização
Localização de Joinville em Santa CatarinaJoinville Localização de Joinville no Brasil
26° 18' 14" S 48° 50' 45" O26° 18' 14" S 48° 50' 45" O
Unidade federativaSanta Catarina
MesorregiãoNorte Catarinense IBGE/2008[4]
MicrorregiãoJoinville IBGE/2008 [4]
Região metropolitanaRegião Metropolitana do Norte/Nordeste Catarinense
Municípios limítrofesAraquari, Campo Alegre, Garuva, Guaramirim, Jaraguá do Sul, São Francisco do Sul e Schroeder
Distância até a capital180 km
Características geográficas
Área1 126,106 km² (BR: 1277º)[5]
População583 144 hab. (SC: 1°; BR: 36º) ? estimativa IBGE/2018[6]
Densidade517,84 hab./km²
Altitude4 m
Climasubtropical Cfa
Fuso horárioUTC?3
Indicadores
IDH-M0,809 (SC: 4°) ? muito alto PNUD/2010 [7]
PIBR$ 18 299 283 mil (BR: 25°) ? IBGE/2012[8]
PIB per capitaR$ 34 767 17 IBGE/2012 [8]
Página oficial
Prefeiturawww.joinville.sc.gov.br
Câmarawww.cvj.sc.gov.brJoinville é um município localizado na região norte do estado de Santa Catarina. Com 583 144 habitantes (conforme estimativa IBGE de 2018) é a maior cidade do estado, à frente da capital Florianópolis, e é a terceira mais populosa cidade da Região Sul do Brasil atrás apenas de Porto Alegre e Curitiba (da qual é distante apenas 130 quilômetros, sendo assim, mais próxima da capital paranaense do que a do próprio estado).[9] Possui uma área de 1 126,106 quilômetros quadrados. Pertence à Microrregião de Joinville e à Mesorregião do Norte Catarinense e é sede da Região Metropolitana do Norte/Nordeste Catarinense, a qual contava, no último censo, aproximadamente 1,34 milhões de habitantes, assim sendo, a mais populosa região metropolitana do estado de Santa Catarina.[10]
A cidade possui um elevado índice de desenvolvimento humano (0,809) entre os municípios brasileiros, ocupando a 21ª posição nacional. Um estudo apontou Joinville como a segunda melhor cidade para se viver no Brasil.[11] Joinville ostenta os títulos de "Manchester Catarinense", "Cidade das Flores", "Cidade dos Príncipes", e "Cidade da Dança". É ainda conhecida por sediar o Festival de Dança de Joinville (considerado o maior festival de dança do mundo)[12], a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil (a única no mundo fora da Rússia) e o Joinville Esporte Clube.
"Manchester Catarinense", "Cidade dos Príncipes", são os apelidos que Joinville ostenta.[13] O município ora em estudo tem um dos melhores IDHs de Santa Catarina. A cidade foi criada ao mesmo tempo que Blumenau (segunda metade do século XIX), com grupo étnico semelhante ao da sua cidade contemporânea.[13] O povo germânico, que veio de uma região com baixas temperaturas para um país com temperaturas elevadas, impôs sua determinação na construção da cidade conhecida pela sua população trabalhadora[13] e pelas indústrias metal-mecânica, de tecidos, de alimentos, softwares, eletrodomésticos, computadores, máquinas, etc.[13] Joinville tem o maior Produto Interno Bruto do estado de Santa Catarina.[14]Índice1 Etimologia
2 História2.1 Primórdios
2.2 Origens e povoamento
2.3 Imigração, formação administrativa e história recente
3 Geografia3.1 Clima
4 Demografia4.1 Composição étnica
5 Política5.1 Cidades-irmãs
6 Economia
7 Infraestrutura7.1 Transportes
7.2 Educação
7.3 Saúde
7.4 Abastecimento de água
7.5 Mídia
8 Cultura8.1 Patrimônio
8.2 Esportes
9 Ver também
10 Referências
11 Ligações externasEtimologia[editar | editar código-fonte]
O primeiro nome de Joinville foi Colônia Dona Francisca,[15] cuja história se iniciou quando a princesa Francisca de Bragança, irmã de Pedro II do Brasil, casou-se em 1843 com o príncipe francês Francisco Fernando de Orléans, recebendo este o título de príncipe de Joinville. O nome da cidade foi mudado para Joinville, em homenagem ao príncipe, que recebeu aquelas terras como dote.[15] Em 1848, o casal negociou as terras pelo menos em parte, com a Sociedade Colonizadora Hamburguesa, pois o pai de Francisco, o rei da França Luís Felipe havia sido destronado e a família encontrava-se em dificuldades financeiras.[16] O empreendedorismo dos imigrantes alemães, suíços e noruegueses construiu e deu continuidade ao seu crescimento, tornando Joinville uma das maiores potências regionais.[15]História[editar | editar código-fonte]
Primórdios[editar | editar código-fonte]
A casa enxaimel é um exemplo da herança germânica de Joinville.
A pitoresca cidade de Joinville e imponente serra que lhe fica próxima, coleção João Baptista de Campos Aguirra, Museu Paulista.
Bombeiros em treinamento, coleção João Baptista de Campos Aguirra, Museu Paulista.
Os registros dos primeiros habitantes da região de Joinville datam de 4800 a.C. Os indícios de sua presença encontram-se nos mais de 40 sambaquis e sítios arqueológicos do município. O homem-do-sambaqui praticava a agricultura, mas tinha na pesca e coleta de moluscos as atividades básicas para sua subsistência.[carece de fontes?]
Índios tupis-guaranis (especificamente, carijós)[17] ainda habitavam as cercanias quando chegaram os primeiros imigrantes europeus. No século XVIII, estabeleceram-se, na região, famílias de origem portuguesa, com seus escravos negros, vindos provavelmente da capitania de São Vicente (hoje estado de São Paulo) e da vizinha cidade de São Francisco do Sul. Adquiriram lotes de terra (sesmarias) nas regiões do Cubatão, Bucarein, Boa Vista, Itaum, Morro do Amaral e aí passaram a cultivar mandioca, cana-de-açúcar, arroz e milho, entre outros produtos.[carece de fontes?]Origens e povoamento[editar | editar código-fonte]
Ver artigo principal: Colônia Dona Francisca
A história de Joinville tem ligação com a princesa do Brasil Francisca de Bragança, que se casou, em 1843, com o Francisco Fernando de Orléans, Príncipe de Joinville, terceiro filho do rei Luís Filipe I.[13] Ela ganhou como prêmio de casamento, 25 léguas cúbicas, em plena Mata Atlântica, que situavam-se na região do município que ganhou o nome de um dos descendentes do monarca francês.[13]
Porém, depois que o rei Luís Filipe I foi destronado em 1848 e o Príncipe de Joinville se refugiou na Inglaterra, foi que apareceu a ideia de colonizar esse terreno.[13] O Príncipe de Joinville e o senador Christian Mathias Schroeder (que ganhou sem custo algum oito léguas cúbicas) aceitaram organizar a colônia, que seria habitada por europeus.[13]
As pessoas que idealizaram foram, além dos já referidos, Léonce Aubé, Jerônimo Francisco Coelho, João Otto, Ottokar Doerffel, Frederico Brustlein e demais indivíduos. Porém, o imenso reconhecimento compete aos imigrantes (quase todos agricultores), que passaram a chegar desde 1851. A barca Colon transportou os imigrantes iniciais. Eram 191 no total, a maioria de suiços, além de alemães e noruegueses.[13] De acordo com o historiador Apolinário Ternes, o projeto iniciou?se um ano antes da chegada da barca Colon, que partiu de Hamburgo em 1851. Em 1850, veio o vice-cônsul Léonce Aubé, acompanhado de duas famílias de trabalhadores braçais, mais o engenheiro responsável das primeiras benfeitorias e demarcações do que viria a ser a
nova colônia, e também do cozinheiro franco-suíço Louis Duvoisin. Louis Duvoisin veio ao Brasil anos antes com a expedição do 1842, o Benoît Jules Mure, na instalação fracassada do Falanstério do Saí. A barca Colon partiu de Hamburgo levando os primeiros imigrantes. No dia 9 de março do mesmo ano, a barca chegou ao local e foi fundada a Colônia Dona Francisca. A população foi reforçada com a chegada da barca Emma & Louise, com 114 pessoas. Em 1852, foi decidido que, em homenagem ao príncipe François, a cidade passaria a se chamar Joinville.[18]
Uma residência foi construída para administrar os bens do Príncipe de Joinville, com um caminho de palmeiras em frente à casa. A casa que foi construída é atualmente o "Museu Nacional de Imigração e Colonização", e a via à sua frente tornou-se a Rua das Palmeiras, hoje atrativo turístico da cidade.[carece de fontes?]Imigração, formação administrativa e história recente[editar | editar código-fonte]
A malária, doença desconhecida na Europa, foi causa de morte de muitos dos imigrantes.[13] Porém, a imigração andou para frente de qualquer maneira com a chegada de novas levas de alemães e Joinville progrediu muito devido a isso e em 1858 se elevou à categoria de freguesia. Criou-se o município por meio da Lei nº 566, de 15 de março de 1866, com o nome de São Francisco Xavier de Joinville que, em seguida, se reduziu para Joinville. O novo município foi instalado em 7 de janeiro de 1869.[13]
Se a agricultura era a fonte de renda que predominava nos primórdios de Joinville, na atualidade mais de cem indústrias do município são a sua principal atividade econômica.[13] Sua área é de 1.131 km². Joinville é um município pertencente à Microrregião homônima.Panorâmica da área leste de Joinville, com vista da Baia da Babitonga.Geografia[editar | editar código-fonte]
Joinville vista da Estação Espacial Internacional.
Raio durante tempestade.
O rio Cachoeira passa pelo centro da cidade e desemboca na baía da Babitonga. O município ainda conta com extensas áreas de manguezais (mangue).[carece de fontes?]
A cidade é em geral plana, situando-se ao lado da baía da Babitonga - um dos atrativos naturais do município, ocorrendo algumas pequenas elevações conforme vai-se afastando. A altitude da sede é de 4,5 metros, embora, na parte central da cidade, a altitude chegue a apenas 4 metros, o que, em dias de maré muito alta, causa alagamentos. Há morros elevados em torno da cidade.[carece de fontes?]
A área em torno do rio Cachoeira é quase toda urbanizada, mantendo alguns manguezais preservados.
O ponto culminante é o pico Serra Queimada, com 1 325 metros de altitude, na Serra Queimada. A vegetação em torno da cidade e nos morros em sua área urbana é constituída por remanescentes da mata Atlântica.Clima[editar | editar código-fonte]
De acordo com a classificação climática Köppen-Geiger, a cidade de Joinville, como todo o estado de Santa Catarina, apresenta clima subtropical.[19] Entretanto, devido à sua baixa altitude média (verificada como sendo de quatro metros), praticamente a nível do mar, apresenta, em média, temperaturas mais elevadas do que o interior catarinense, principalmente nas regiões de maior altitude do estado.
O mês mais quente é janeiro, com temperatura média em torno de 25 °C, e o mês mais frio é julho, de 17 °C. As precipitações são abundantes durante todo o ano, ocorrendo com frequência no verão.[20]
Em Joinville ocorreram algumas enchentes com graves consequências. Entre elas, destacam-se as de 2008[21] e 2011.[22] Neve no município é algo raro, mas conforme a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), no dia 23 de julho de 2013 houve registro do fenômeno na cidade.[23]
Dados climatológicos para Joinville
MêsJanFevMarAbrMaiJunJulAgoSetOutNovDezAno
Temperatura máxima média (°C)29,329,128,22623,822,121,321,722,624,226,327,7 25,2
Temperatura média (°C)25,125,124,121,819,51817,117,618,820,622,423,6 21,1
Temperatura mínima média (°C)2121,120,117,615,31412,913,615,11718,519,5 17,1
Precipitação (mm)212246204134110917793121149126143 1 706
Fonte: Climate-Data.org[20] Demografia[editar | editar código-fonte]
Panorama de Joinville.
Em 2018, a população do município foi estimada em 583 144 habitantes, sendo o município mais populoso do estado e o 37º do país, apresentando uma densidade populacional de 457,58 habitantes por quilômetro quadrado.[6]Composição étnica[editar | editar código-fonte]
As tradições portuguesas, como o boi-de-mamão e o terno-de-reis, são manifestações autênticas em vários bairros, como Morro do Amaral, por exemplo, que antes da fundação da cidade já possuía moradores descendentes de portugueses, quando as áreas pertenciam ao município de São Francisco do Sul. A cidade possui também a maior população de afrodescendentes em Santa Catarina: 17,4 por cento da população é de etnia negra,[24] migrados principalmente a partir da década de 1960.Política[editar | editar código-fonte]
Fórum de Joinville.
Corpo de Bombeiros de Joinville.
De acordo com a Constituição de 1988, Joinville está localizada em uma república federativa presidencialista. Foi inspirada no modelo estadunidense, no entanto, o sistema legal brasileiro segue a tradição romano-germânica do Direito positivo.[25] A administração municipal se dá pelo poder executivo e pelo poder legislativo.[26]
Até 2015, Joinville teve 45 mandatos no cargo de prefeito. O eleito nas eleições municipais no Brasil em 2012 para ocupar o cargo de 2013 a 2016 foi Udo Döhler, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Nas eleições municipais de 2016, Döhler foi reeleito.[27]
O Poder legislativo da cidade de Joinville é constituído pela Câmara Municipal), composta por 19 vereadores eleitos para mandatos de quatro anos (em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição.[28]Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]
Zhengzhou, China[29]
Chesapeake, EUA[29]
Spi?ska Nová Ves, Eslováquia[29]
Langenhagen, Alemanha[30]
Joinville-le-Pont, França[29]
Schaffhausen, Suíça[31][32]
Economia[editar | editar código-fonte]
Imagem do centro de Joinville
O Pórtico e Moinho é a atração que mais chama a atenção dos turistas.
A abastada classe de industriais da região criou, logo no início do século XX, a Associação Comercial e Industrial de Joinville (atual Associação Empresarial de Joinville). Hoje, a região produz 18,9 por cento (valor adicionado fiscal) do produto interno bruto do estado de Santa Catarina.[carece de fontes?]
Joinville é cortada por várias rodovias e linha férreas que também contribuíram para tornar a cidade o 3º maior polo industrial da Região Sul do Brasil. Apesar do progressivo aumento do sector terciário do centro, a atividade industrial continua com grande relevância, laborando, na sua cintura industrial, grandes conglomerados do setor metal-mecânico, químico, plásticos, têxtil e de desenvolvimento de software, tornando-a um grande polo dessa tecnologia.[carece de fontes?]
Sendo a cidade mais importante industrialmente em Santa Catarina, possui muitos dos mais importantes grupos econômicos do país, em diversos setores ? tais como a Cipla, Buschle & Lepper, Amanco (antiga Akros), Schulz S.A, Franklin Electric (Schneider), Neogrid, Docol, Döhler, Embraco, Ciser, Lepper, Tigre, Tupy, Totvs, Britânia, KaVo Dental, Krona, General Motors, Whirlpool, Wetzel, Laboratório Catarinense, Siemens, entre outras.[carece de fontes?]
Joinville é o maior polo metalúrgico de Santa Catarina, sendo a Fundição Tupy a maior do Estado. Outra marca importante da cidade é que ela é o maior polo industrial de ferramentaria do estado.[carece de fontes?]Infraestrutura[editar | editar código-fonte]
Transportes[editar | editar código-fonte]
O Aeroporto de Joinville.
Rua das Palmeiras
O Aeroporto de Joinville - Lauro Carneiro de Loyola - está localizado a 13 km do Centro da cidade, a 75 km do Aeroporto de Navegantes, a 110 km do Aeroporto de Curitiba e a 163 km do Aeroporto de Florianópolis. Em 2012, o Aeroporto de Joinville registrou um movimento de 484742 passageiros e cerca de 10 000 pousos e decolagens. Para 2014, a tendência é de crescimento de 40% em pousos e decolagens, através da implantação do sistema de aproximação ILS. No dia 8 de março de 2004, em meio às comemorações de 153 anos de Joinville, o Aeroporto inaugurou um novo terminal de passageiros de quatro mil metros quadrados e capacidade para atender a até 500 000 passageiros por ano. Também foram construídos um prédio administrativo e uma torre de controle. O aeroporto se adequou ao conceito de "aeroshopping" que a Infraero implementa em seus aeroportos. O número de lojas passou de oito para 22 no novo terminal. A expectativa é que a implementação do aeroshopping aumente em 40 por cento o número de empregos gerados pelo aeroporto. De Joinville, existem diversos voos diários para São Paulo (Congonhas, Guarulhos e Campinas), e Porto Alegre, através das Companhias: Gol, LATAM e Azul Linhas Aéreas.[33]
A Rodoviária de Joinville, Estação Rodoviária Harold Nielson está localizada na Rua Paraíba, 769, bairro Anita Garibaldi. É administrada pela Seinfra e possui dois andares e dezoito companhias, com ônibus que fazem viagens intermunicipais e interestaduais diariamente. O tráfego de passageiros ocorre vinte e quatro horas por dia, com venda de passagens variando de empresa para empresa. A rodoviária também possui duas amplas salas de espera climatizadas, administradas por duas companhias de viagem, que juntas reservam em torno de 210 lugares aos clientes, banheiros, estacionamento para ônibus, táxis, carros e motos no piso térreo; praça de alimentação com lanchonetes, loja de presentes e artesanatos, revistaria, tabacaria e sanitários no segundo piso. Além disso, oferece circuito interno para televisões por satélite e internet sem fio para computadores e celulares. A Rodoviária Harold Nielson opera oficialmente desde 9 de março de 1974, e passou por uma grande reforma que culminou na reinauguração no ano de 2001. Entre os anos de 2007 a 2009 ficou abandonada, até a Conurb se oferecer para administrá-la em 2010. Desde então a rodoviária ganhou um grande estacionamento para os veículos, aumento na segurança e os sanitários voltaram a ser gratuitos. Joinville conta com dez terminais operando em sistema integrado: Terminal Central (Deputado Aderbal T. Lopes); Terminal Norte (João Colin); Terminal Sul (Vera Cruz); Terminal Tupy; Estação Da Cidadania Itaum (Gov. Pedro Ivo F. de Campos); Estação Da Cidadania Iririú (Osvaldo R. Colin); Estação Da Cidadania Guanabara (Deputado Nagib Zattar); Estação Da Cidadania Pirabeiraba (Max Luktër); Estação Da Cidadania Vila Nova (Prof. Beno Harger) e Estação Da Cidadania Nova Brasília (Abílio Bello).[carece de fontes?]Educação[editar | editar código-fonte]
Joinville orgulha-se de ter a melhor educação pública de Santa Catarina, reconhecida pelo ministério da educação[carece de fontes?]. As escolas, no geral, possuem boa infraestrutura[carece de fontes?], com exceção das escolas estaduais, com um problema crônico de estrutura, desvalorização do governo do estado com relação aos professores e sistema de seleção de diretores por indicação que dificulta o diálogo entre cidadãos e instituição.[carece de fontes?] Biblioteca Rolf Colin
Por dois anos consecutivos (2010 e 2011) os primeiros colocados gerais no vestibular da Universidade Federal de Santa Catarina foram da cidade dos príncipes e por quatro anos consecutivos teve o melhor desempenho escolar do Exame Nacional do Ensino Médio do estado (Posiville em 2007, 2008, segundo melhor em 2009 e melhor em 2010, com 61% de participação dos estudantes, segundo o jornal A Notícia, e Bom Jesus Ielusc em 2009 e 2010, com 78% dos alunos inscritos, segundo a mesma fonte). No ensino superior, predominam os cursos de engenharia, sobretudo na Universidade do Estado de Santa Catarina e na Universidade Federal de Santa Catarina, devido às empresas de bens de consumo existentes na cidade. Por outro lado, a cidade carece de cursos voltados a áreas essenciais como as de licenciatura, obrigando muitos de seus moradores a mudarem-se para a capital, Florianópolis ou mesmo outros estados.[carece de fontes?] Entre as principais instituições de ensino superior de Joinville estão o Instituto Federal de Santa Catarina, a Universidade do Estado de Santa Catarina, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Centro Universitário - Católica de Santa Catarina, Universidade da Região de Joinville, entre outras.[carece de fontes?]
Em 2015, os alunos dos anos iniciais da rede pública da cidade tiveram nota média de 6.9 no IDEB. Para os alunos dos anos finais, essa nota foi de 5.5. Na comparação com cidades do mesmo estado, a nota dos alunos dos anos iniciais colocava esta cidade na posição 18 de 295. Considerando a nota dos alunos dos anos finais, a posição passava a 24 de 295. A taxa de escolarização (para pessoas de 6 a 14 anos) foi de 97.3 em 2010. Isso posicionava o município na posição 230 de 295 dentre as cidades do estado e na posição 3221 de 5570 dentre as cidades do Brasil.[34]Saúde[editar | editar código-fonte]
Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem em seu antigo endereço
Joinville possui clínicas especializadas principalmente em cirurgia (geral, cabeça, pescoço, pediátrica, plástica, torácica e vascular), pediatria, psiquiatria, obstetrícia, odontologia, neurologia, oftalmologia, otorrinolaringologia, ginecologia, urologia, endocrinologia, ortopedia, nefrologia, entre outras. Há registra (até 5 de março de 2011) de sete hospitais, 635 consultórios médicos, 86 consultórios odontológicos, 54 postos de saúde, 146 farmácias, quatro prontos-socorros e 36 ambulâncias.[carece de fontes?]
Além dos sete hospitais, a cidade ainda possui: Maternidade Darci Vargas, situada no bairro Anita Garibaldi e próxima ao Hospital São José; Instituto Pró-Rim, referência no país, localizado na Rua Xavier Arp, no bairro Iririú; Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem, localizado na rua Camboriú no bairro Glória.[carece de fontes?]
A taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 7.57 para 1000 nascidos vivos. As internações devido a diarreias são de 0.2 para cada 1.000 habitantes. Comparado com todos os municípios do estado, fica nas posições 155 de 295 e 235 de 295, respectivamente. Quando comparado a cidades do Brasil todo, essas posições são de 3759 de 5570 e 4284 de 5570, respectivamente.[34]Abastecimento de água[editar | editar código-fonte]
A Águas de Joinville é uma companhia de saneamento de capital misto, majoritariamente pertencente à prefeitura de Joinville, responsável por administrar o tratamento de água e esgoto da cidade desde 2005 (ano em que a concessão mudou de estadual para municipal).
A reserva de água tratada totaliza 53 milhões de litros. São 13 reservatórios e duas Estações de Tratamento de Água (ETAs): Cubatão e Piraí, com capacidade total de 1850 l/s, que abastecem 99 por cento do município. A Águas de Joinville também administra quatro Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs): Jarivatuba, Profipo, Morro do Amaral e Espinheiros.[carece de fontes?]Mídia[editar | editar código-fonte]
NSC TV Joinville
O Jornal A Notícia e o Jornal Notícias do Dia, são os jornais diários, editados na cidade. A Gazeta de Joinville é o jornal semanal alternativo. Também existem jornais menores com periodicidade indefinida: Jornal da Cidade e o Correio Joinvilense, além do jornal O Vizinho.[carece de fontes?]
A cidade possui duas emissoras comerciais de televisão, sendo NSC TV Joinville (afiliada Rede Globo) e RIC TV Joinville (afiliada Record TV). A TV Brasil Esperança, é uma emissora educativa de caráter comunitário na cidade. A cidade também dispõe de duas emissoras de TV comercial em canal fechado (TV a cabo): TV Cidade e TV Babitonga.[carece de fontes?]
Joinville possui também 12 emissoras de rádio, 4 em AM, sendo Colon 1090, Cultura 1250, Difusora Arca da Aliança 1480 e Clube 1590 e 8 em FM que são, 89 FM 89,5 - Jovem Pan 91,1 - Udesc 91,9 - Rádio Globo 95,3 - Nativa FM 103,1 - Atlântida 104,3 - Joinville Cultural 105,1 e 107 FM em 107,5, também conta com mais 4 emissoras comunitárias em FM, que são, Leste FM 87,9 - União Sul FM 87,9 - Nova Brasília FM 87,9 e Pirabeiraba FM 87,9.[carece de fontes?]Cultura[editar | editar código-fonte]
Apresentação do Festival de Dança de Joinville no Shopping Cidade das Flores.
Complexo Centreventos Cau Hansen
Por seus atributos culturais, Joinville recebeu diversos títulos ao longo das décadas de 1940, 60 e 80, tornando-se conhecida como "Cidade dos Príncipes", "Cidade das Flores", "Cidade das Bicicletas", "Manchester Catarinense", e "Cidade da Dança".[carece de fontes?]
A cidade destaca-se por importantes museus e pontos de interesse histórico, tais como o Museu de Arte de Joinville, Museu Nacional de Imigração e Colonização, Estação da Memória, Museu Casa Fritz Alt, Museu da Bicicleta de Joinville, Galeria de Artes Victor Kursancew, Museu Arqueológico de Sambaqui de Joinville e Casa da Memória.[carece de fontes?]
Inúmeros eventos culturais são marcantes na cidade. A Festa das Flores acontece há 75 anos. O Festival de Dança de Joinville - reconhecido como o maior do mundo em seu gênero (consta no Guinness Book) - chega a sua 32ª edição em 2014. A Coletiva de Artistas de Joinville acontece há 31 anos ininterruptos. Recentemente, a cidade passou a sediar também um festival de música instrumental, o Joinville Jazz Festival.[carece de fontes?]
Uma filial da Escola do Teatro Bolshoi, a única fora da Rússia, é destaque na formação de bailarinos e bailarinas, oferecendo formação de qualidade a estudantes carentes. A produção artística acontece em centros culturais, museus, casa da cultura, centro de eventos, mercado público, teatros, na Cidadela Cultural Antarctica (antiga fábrica de cervejas), e também em escolas, universidades, associações de moradores, igrejas e praças públicas. [carece de fontes?]
A Joinville contemporânea se caracteriza por ser rica na diversidade cultural de seu povo. O aspecto pluralista permite as mais diferentes expressões, das mais diversas culturas e etnias formadoras, da dança clássica ao hip hop, dos corais étnicos à música lírica, da música clássica ao chorinho, do pop rock à música sertaneja e gauchesca. O carnaval de rua, aberto a todos, foi resgatado em 2005. Hoje, a Rua Visconde de Taunay é uma via gastronômica, devido ao movimento noturno e à quantidade de bares e restaurantes no local. Filho de joinvilense, o músico carioca Mú Carvalho, tecladista do grupo instrumental A Cor do Som, emprestou o nome da cidade a uma de suas composições, gravada em seus CDs solo Óleo sobre Tela e Ao Vivo.[carece de fontes?]Patrimônio[editar | editar código-fonte]
Museu Nacional de Imigração e Colonização
Palácio dos Príncipes de Joinville
O patrimônio cultural, ainda preservado, permite a convivência harmoniosa entre o passado e o presente. No patrimônio arquitetônico, destacam-se as construções que mesclam as influências dos imigrantes com as adaptações necessárias ao local. Casas autênticas em enxaimel, centenárias, ainda podem ser vistas no centro, nos bairros e na área rural. Casarões do século chamam a atenção pela angulação dos telhados, em "V". Antigas fábricas ainda preservam suas grandes chaminés, como marcos do desenvolvimento da cidade com vocação industrial.[carece de fontes?]
A Fundação Cultural de Joinville mantém cinco museus, sendo o mais famoso o Museu Nacional de Imigração e Colonização de Joinville, que conta um pouco da história dos primeiros imigrantes da cidade. Outro importante museu é o Museu de Arte de Joinville, em uma das mais antigas construções da cidade, com acervo importante de arte local, estadual e nacional. Na antiga casa de Fritz Alt, há o Museu Casa Fritz Alt, com peças do artista. O Museu da Bicicleta de Joinville, o MuBi, com acervo de mais de 16 mil peças, é único do gênero em toda América Latina.[carece de fontes?]
O patrimônio arqueológico é outro destaque, já que existem mais de 40 sambaquis no município, sendo dez deles em área urbana. O Museu Arqueológico de Sambaqui é referência internacional no assunto, já que conserva em seu acervo mais de 20 mil peças. Um sambaqui preservado pode ser visitado no Parque Municipal da Caieira, uma área de preservação permanente junto à Baía da Babitonga, que integra manguezais, mata atlântica, sítios arqueológicos e ruínas da antiga fábrica de cal, que utilizava os "casqueiros" dos sambaquis como matéria-prima.[carece de fontes?]
Como patrimônio imaterial (ligado aos saberes e fazeres), o destaque é a culinária. A cachaça, o melado, os produtos coloniais e a culinária colonial típica, principalmente suíça e alemã, ainda resistem aos processos de industrialização. As confeitarias da cidade - uma atração cultural à parte - são reconhecidas por suas tortas, cucas e pelo apfelstrudel (strudel de maçã). Existe em Joinville a Praça dos Suíços, em homenagem a expressiva imigração Suíça na cidade. Há várias fábricas de chocolate caseiro. O artesanato local é simples e com forte predominância dos artigos confeccionados com tecidos e roupas feitos à mão, pintados ou bordados. Recentemente, tem-se destacado o artesanato com fibra de bananeira, uma cultura agrícola ainda abundante no meio rural.[carece de fontes?]
Além da língua nacional, o português, outros idiomas originados na Europa são falados por alguns moradores e integrantes da população joinvilense com um pouco mais de idade: dentre eles, o alemão e o italiano.[carece de fontes?]Esportes[editar | editar código-fonte]
Joinville Basquete Associados
O tiro ao alvo e a ginástica foram os primeiros esportes praticados pelos imigrantes, mas atualmente o futebol é o esporte de maior popularidade entre os joinvilenses, especialmente a partir do início século XX.[35] Joinville conta com um grande clube desportivo em atividade, o Joinville Esporte Clube. Outro clube de grande porte na cidade foi o extinto Caxias Futebol Clube. Existem ainda numerosos clubes de menor dimensão dedicados ao futebol amador, mas com função social de grande relevo em seus bairros. Ao longo do tempo, clubes dedicados ao remo, modalidade anteriormente praticada junto ao rio Cachoeira, foram gradualmente desaparecendo.[36][37] Clubes recreativos tradicionais, como o América Futebol Clube, também possuem boa estrutura esportiva, oferecendo possibilidade de prática em esportes variados como futebol, futsal, futebol americano (Joinville Gladiators e Red Lions Football), ginástica artística, ginástica rítmica, handebol, judô, natação, tênis e voleibol.[carece de fontes?]
Em esportes individuais, alguns atletas joinvilenses conseguiram grande destaque internacional. Na natação, Eduardo Fischer conquistou a medalha de bronze no Campeonato Mundial de Natação em Piscina Curta de 2002, na modalidade 50 metros peito. Maurício Gugelmin, piloto de Fórmula 1, foi o terceiro colocado no Grande Prêmio do Brasil de 1989. Daniel Orzechowski, na natação, e Márcia Narloch, no atletismo, tiveram êxito em competições continentais, conquistando medalhas nos Jogos Sul-Americanos e nos Jogos Pan-Americanos, respectivamente. O nadador Talisson Glock conquistou duas medalhas nos Jogos Paralímpicos de Verão de 2016. O lutador de artes marciais mistas Vitor Miranda e o jogador de basquete Tiago Splitter também alcançaram grande fama internacional participando, respectivamente, das competições Ultimate Fighting Championship (UFC) e National Basketball Association (NBA).Arena JoinvilleVer também[editar | editar código-fonte]
Lista de municípios de Santa Catarina
Lista de municípios de Santa Catarina por data de criação
Lista de municípios de Santa Catarina por população
Lista de municípios de Santa Catarina por subdivisão
Lista de municípios de Santa Catarina por IDH
Lista de municípios de Santa Catarina por PIB
Lista de municípios do Brasil acima de cem mil habitantes
Lista de prefeitos de Joinville
Lista de bairros de Joinville
Lista dos primeiros imigrantes da Colônia Dona Francisca
Kolonie Zeitung ? Primeiro jornal impresso de Joinville.
Colônias alemãs em Santa Catarina
Luiz Henrique Schwanke
Referências? Dicionário Aurélio? Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa? «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.academia.org.br ? a b «Divisão Territorial do Brasil» (Zip). Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 5 de janeiro de 2011 ? «Área da unidade territorial - 2017». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de agosto de 2018. Consultado em 26 de outubro de 2018 ? a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de agosto de 2018). «Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em 1º de julho de 2018». Consultado em 29 de agosto de 2018 ? «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2013. Consultado em 29 de julho de 2013 ? a b «Produto Interno Bruto dos municípios - 2012» ? «Google». www.google.com.br. Consultado em 16 de junho de 2016 ? Censo, BR: IBGE, 2010 .? «Joinville é a 2ª melhor cidade do Brasil para se viver, aponta pesquisa». A Notícia. Consultado em 16 de junho de 2016 ? «Maior festival de dança do mundo ocorre na cidade de Joinville». Globo Repórter. 26 de julho de 2013. Consultado em 16 de junho de 2016 ? a b c d e f g h i j k l El-Khatib 1970, pp. 52-53.? «Joinville é cidade mais rica de Santa Catarina, aponta pesquisa do IBGE». Santa Catarina. 18 de dezembro de 2015 ? a b c Carneiro 2006, pp. 101-102.? PRADO, Emanuel Marcos Cruz (2013). Clube de Autores, ed. Contos Catarinenses. [S.l.: s.n.] 64 páginas ? BUENO, E (2003), Brasil: uma história 2ª rev ed. , São Paulo: Ática, pp. 18-19 .? MÜLLER, Kelly (2007), «Um presente real, terra de sonhos», A Notícia: 12-14 .? «Cidade de Joinville». www.suapesquisa.com ? a b «CLIMA: JOINVILLE». Climate-Data.org. Consultado em 6 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 15 de julho de 2015 ? «Municípios com decretos - 08 Dez 08». web.archive.org ? «Sobe para seis o número de mortos pela chuva em Santa Catarina». g1.globo.com ? «Primeira ocorrência de neve em Joinville é registrada pela Epagri» ? «Joinville tem maior população negra de SC». JusBrasil. 26 de Outubro de 2009. Consultado em 18 de julho de 2010 [ligação inativa]? Organization of American States (OAS). «The Brazilian Legal System» (em inglês). Consultado em 16 de maio de 2011 ? Flávio Henrique M. Lima (8 de fevereiro de 2006). «O Poder Público Municipal à frente da obrigação constitucional de criação do sistema de controle interno». JusVi. Consultado em 16 de maio de 2011. Arquivado do original em 8 de setembro de 2012 ? «Udo Döhler (PMDB) é reeleito prefeito de Joinville». G1. 30 de outubro de 2016. Consultado em 30 de outubro de 2016 ? DJI. «Constituição Federal - CF - 1988 / Art. 29». Consultado em 16 de maio de 2011 ? a b c d Cidade Brasil (9 de novembro de 2012). «O Município de Joinville». cidade-brasil.com.br. Consultado em 10 de junho de 2015 ? Prefeitura de Joinville (15 de abril de 2015). «Joinville estreita relações com cidade-irmã na Alemanha e projeta melhor intercâmbio». joinville.sc.gov.br. Consultado em 10 de junho de 2015. Arquivado do original em 10 de junho de 2015 ? Turismo (24 de julho de 2014). «Turismo de Joinville poderá ter intercâmbio com cidade suíça». joinville.sc.gov.br. Consultado em 9 de junho de 2015. Arquivado do original em 10 de junho de 2015 ? Gabinete (27 de outubro de 2011). «Parte da história de Joinville na visita a Schaffhausen». joinville.sc.gov.br. Consultado em 9 de junho de 2015. Arquivado do original em 10 de junho de 2015 ? «Companhias Aéreas». www4.infraero.gov.br. Consultado em 29 de julho de 2018 ? a b «Dados Joinville». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 29 de agosto de 2018 ? «Paixão por futebol gera obras de esporte e lazer», BR, AN, 1997, arquivado do original em |arquivourl= requer |arquivodata= (ajuda) Parâmetro desconhecido |dataarquivo= ignorado (ajuda); Parâmetro desconhecido |dataacceso= ignorado (|acessodata=) sugerido (ajuda).? «Ex-timoneiro quer volta do remo na cidade», AN, 15 de março de 1998, arquivado do original em |arquivourl= requer |arquivodata= (ajuda) Parâmetro desconhecido |dataacceso= ignorado (|acessodata=) sugerido (ajuda); Parâmetro desconhecido |dataarquivo= ignorado (ajuda).? «Lembranças da época de ouro do remo», AN, 6 de dezembro de 2004, arquivado do original em |arquivourl= requer |arquivodata= (ajuda) Parâmetro desconhecido |dataacceso= ignorado (|acessodata=) sugerido (ajuda); Parâmetro desconhecido |dataarquivo= ignorado (ajuda).
Ligações externas[editar | editar código-fonte]Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Textos originais no Wikisource
Imagens e media no Commons
Commons
WikisourceJoinville, SC: Prefeitura
Fundação Cultural de Joinville, consultado em 11 de julho de 2007, cópia arquivada em |arquivourl= requer |arquivodata= (ajuda) ? Parâmetro desconhecido |fechaarchivo= ignorado (|arquivodata=) sugerido (ajuda)
«Joinville», Biblioteca (PDF), IBGE, consultado em 12 de dezembro de 2010, cópia arquivada (PDF) em |arquivourl= requer |arquivodata= (ajuda) ? Parâmetro desconhecido |fechaarchivo= ignorado (|arquivodata=) sugerido (ajuda)
Joinvillevde Hierarquia urbana do Brasil
Demografia do Brasil
Municípios do Brasil
vdeMetrópolesMetrópoles globais
São Paulo
Metrópoles nacionais
Brasília
Rio de Janeiro
Metrópoles regionais
Belém
Belo Horizonte
Curitiba
Fortaleza
Goiânia
Manaus
Porto Alegre
Recife
Salvador
vdeCapitais regionaisCapitais regionais A
Aracaju
Campinas
Campo Grande
Cuiabá
Florianópolis
João Pessoa
Maceió
Natal
São Luís
Teresina
Vitória
Capitais regionais B
Blumenau
Campina Grande
Cascavel
Caxias do Sul
Chapecó
Feira de Santana
Ilhéus/Itabuna
Joinville
Juiz de Fora
Londrina
Maringá
Ribeirão Preto
São José do Rio Preto
Uberlândia
Montes Claros
Palmas
Passo Fundo
Porto Velho
Santa Maria
Vitória da Conquista
Capitais regionais C
Araçatuba
Araguaína
Arapiraca
Araraquara
Barreiras
Bauru
Boa Vista
Cachoeiro de Itapemirim
Campos dos Goytacazes
Caruaru
Criciúma
Divinópolis
Dourados
Governador Valadares
Ijuí
Imperatriz
Ipatinga/Coronel Fabriciano/Timóteo
Juazeiro do Norte/Crato/Barbalha
Macapá
Marabá
Marília
Mossoró
Novo Hamburgo/São Leopoldo
Pelotas/Rio Grande
Petrolina/Juazeiro
Piracicaba
Ponta Grossa
Pouso Alegre
Presidente Prudente
Rio Branco
Santarém
Santos
São José dos Campos
Sobral
Sorocaba
Teófilo Otoni
Uberaba
Varginha
Volta Redonda/Barra Mansa
vdeCentros sub-regionaisCentros sub-regionais A
Alfenas
Anápolis
Apucarana
Bacabal
Bagé
Barbacena
Barra do Garças
Barretos
Bento Gonçalves
Botucatu
Cabo Frio
Caçador
Cáceres
Caicó
Cajazeiras
Campo Mourão
Castanhal
Catanduva
Caxias
Colatina
Crateús
Erechim
Floriano
Foz do Iguaçu
Franca
Francisco Beltrão
Garanhuns
Guanambi
Guarabira
Guarapuava
Iguatu
Irecê
Itajaí
Itaperuna
Itumbiara
Jacobina
Jaú
Jequié
Ji-Paraná
Joaçaba
Lages
Lajeado
Lavras
Limeira
Macaé
Manhuaçu
Muriaé
Nova Friburgo
Ourinhos
Paranaguá
Paranavaí
Parnaíba
Passos
Pato Branco
Patos
Patos de Minas
Pau dos Ferros
Paulo Afonso
Picos
Pinheiro
Poços de Caldas
Ponte Nova
Quixadá
Redenção
Rio Claro
Rio do Sul
Rio Verde
Rondonópolis
Santa Cruz do Sul
Santa Inês
Santa Rosa
Santo Ângelo
Santo Antônio de Jesus
São Carlos
São João da Boa Vista
São Mateus
Serra Talhada
Sinop
Sousa
Teixeira de Freitas
Toledo
Tubarão
Ubá
Umuarama
Uruguaiana
Centros sub-regionais B
Abaetetuba
Assu
Afogados da Ingazeira
Alagoinhas
Altamira
Andradina
Angra dos Reis
Araranguá
Araras
Araripina
Arcoverde
Ariquemes
Assis
Avaré
Balneário Camboriú
Balsas
Bom Jesus da Lapa
Bragança
Bragança Paulista
Breves
Brumado
Brusque
Cacoal
Cametá
Campo Maior
Capanema
Caratinga
Carazinho
Cataguases
Chapadinha
Cianorte
Concórdia
Conselheiro Lafaiete
Cruz Alta
Cruz das Almas
Cruzeiro do Sul
Currais Novos
Eunápolis
Frederico Westphalen
Guaratinguetá
Gurupi
Itabaiana
Itaberaba
Itaituba
Itajubá
Itapetininga
Itapeva
Itapipoca
Itaporanga
Ituiutaba
Ivaiporã
Janaúba
Linhares
Mafra
Palmares
Paragominas
Parintins
Pedreiras
Presidente Dutra
Registro
Resende
Ribeira do Pombal
Santana do Ipanema
Santo Antônio da Platina
São João del-Rei
São Lourenço
São Miguel do Oeste
São Raimundo Nonato
Senhor do Bonfim
Tefé
Teresópolis
Tucuruí
União da Vitória
Valença
Viçosa
Videira
Vilhena
Vitória de Santo Antão
Xanxerê
vdeCentros de zonaCentros de zona A
Acaraú
Açailândia
Adamantina
Além Paraíba
Almeirim
Almenara
Alta Floresta
Amparo
Aquidauana
Aracati
Aracruz
Araçuaí
Arapongas
Araxá
Assis Chateubriand
Barra do Corda
Barreiros
Bebedouro
Belo Jardim
Birigui
Bom Jesus
Caçapava do Sul
Cachoeira do Sul
Caetité
Caldas Novas
Camacan
Camaquã
Campo Belo
Campos Novos
Canindé
Canoinhas
Capelinha
Carangola
Carpina
Catalão
Catolé do Rocha
Caxambu
Ceres
Cerro Largo
Codó
Colinas do Tocantins
Conceição do Araguaia
Conceição do Coité
Cornélio Procópio
Corumbá
Corrente
Cruzeiro
Curitibanos
Cururupu
Curvelo
Diamantina
Diamantino
Dianópolis
Dois Vizinhos
Dracena
Encantado
Esperantina
Estância
Estrela
Fernandópolis
Formiga
Frutal
Governador Nunes Freire
Goiana
Goiás
Guanhães
Guaporé
Guaraí
Guaxupé
Ibaiti
Ibirubá
Icó
Imbituba
Ipiaú
Iporá
Irati
Itabaiana
Itabira
Itacoatiara
Itamaraju
Itapetinga
Ituverava
Jacarezinho
Jales
Jandaia do Sul
Januária
Jaru
Jataí
João Câmara
João Monlevade
Juína
Jundiaí
Lagarto
Lagoa Vermelha
Laranjeiras do Sul
Limoeiro
Limoeiro do Norte
Lins
Loanda
Macau
Macaúbas
Mamanguape
Marau
Maravilha
Marechal Cândido Rondon
Medianeira
Mineiros
Mirassol d'Oeste
Mogi Guaçu
Monteiro
Montenegro
Morrinhos
Mundo Novo
Naviraí
Nossa Senhora da Glória
Nova Andradina
Nova Prata
Nova Venécia
Oeiras
Olímpia
Osório
Ouricuri
Palmas
Palmeira das Missões
Palmeira dos Índios
Pará de Minas
Paraíso do Tocantins
Parauapebas
Patrocínio
Penápolis
Penedo
Pesqueira
Pinhalzinho
Pirapora
Pires do Rio
Piripiri
Pombal
Ponta Porã
Porangatu
Porto Nacional
Porto Seguro
Primavera do Leste
Propriá
Quirinópolis
Rolim de Moura
Russas
Salgueiro
Salinas
Santa Fé do Sul
Santa Inês
Santa Maria da Vitória
Santo Antônio de Pádua
Santiago
São Bento do Sul
São Borja
São Félix do Araguaia
São Gabriel
São Jerônimo
São José do Rio Pardo
São Luís de Montes Belos
São Luiz Gonzaga
São Miguel dos Campos
Sarandi
Seabra
Serrinha
Soledade
Sorriso
Surubim
Tabatinga
Taquara
Tatuí
Telêmaco Borba
Tijucas
Timbaúba
Timbó
Tocantinópolis
Torres
Três Corações
Três de Maio
Três Lagoas
Três Passos
Três Rios
Tupã
Unaí
União dos Palmares
Uruaçu
Vacaria
Venâncio Aires
Votuporanga
Xique-Xique
Centros de zona B
Abaeté
Abelardo Luz
Abre Campo
Afonso Cláudio
Água Boa
Água Branca
Águas Formosas
Aimorés
Alegrete
Alexandria
Alto Araguaia
Alto Longá
Alto Parnaíba
Amambai
Amarante
Amargosa
Andirá
Andradas
Anicuns
Anísio de Abreu
Aparecida
Apiaí
Apodi
Araguaçu
Araguari
Araguatins
Araioses
Araputanga
Arara
Araruama
Araruna
Arcos
Arinos
Arroio do Meio
Arvorezinha
Auriflama
Avelino Lopes
Baependi
Bambuí
Bariri
Barra
Barra Bonita
Barra de São Francisco
Barra do Bugres
Barras
Barracão
Bataguassu
Batalha
Bela Vista
Belém do São Francisco
Bicas
Boa Esperança
Boa Vista do Buricá
Bom Jardim de Minas
Bom Jesus do Itabapoana
Boquira
Braço do Norte
Brasileia
Brejo Santo
Buritis
Caculé
Camapuã
Cambuí
Camocim
Campina da Lagoa
Campo Novo do Parecis
Campos Altos
Campos Belos
Canguaretama
Canindé de São Francisco
Canto do Buriti
Capanema
Capão da Canoa
Capim Grosso
Capinzal
Capitão Poço
Capivari
Caracol
Carauari
Carmo do Paranaíba
Carutapera
Casca
Cassilândia
Castelo
Castelo do Piauí
Cerejeiras
Chapadão do Sul
Chopinzinho
Cícero Dantas
Coelho Neto
Colíder
Colinas
Coluna
Comodoro
Confresa
Congonhas
Constantina
Coronel Vivida
Coxim
Cristal do Sul
Crixás
Cruz
Cruzília
Curimatá
Delmiro Gouveia
Desterro
Dores do Indaiá
Entre Rios de Minas
Esperantinópolis
Espírito Santo do Pinhal
Espumoso
Euclides da Cunha
Eirunepé
Extrema
Fátima
Faxinal
Floresta
Fortaleza dos Nogueiras
Fronteiras
Gandu
Garça
Garibaldi
General Salgado
Getúlio Vargas
Gilbués
Goianésia
Goiatuba
Goioerê
Grajaú
Guaíra
Guajará-Mirim
Guaraciaba do Norte
Guararapes
Horizontina
Ibicaraí
Ibirama
Ibotirama
Ilha Solteira
Indaial
Inhumas
Ipanema
Ipu
Iracema
Itaberaí
Itacarambi
Itamonte
Itaocara
Itapaci
Itapajé
Itapiranga
Itápolis
Itapuranga
Itaqui
Itararé
Itaúna
Ituporanga
Iturama
Jaciara
Jacutinga
Jaguaquara
Jaguariaíva
Jaguaribe
Jaicós
Jardim
Joaíma
João Pinheiro
Juara
Jussara
Lábrea
Lago da Pedra
Lagoa da Prata
Lambari
Leme
Leopoldina
Livramento de Nossa Senhora
Lorena
Lucas do Rio Verde
Lucélia
Luzilândia
Machado
Malacacheta
Manga
Mantena
Maracaçumé
Matão
Matinhos
Miranda
Miracema do Tocantins
Mirinzal
Mococa
Monte Alegre
Monte Alto
Monte Aprazível
Monte Carmelo
Mostardas
Muçum
Nanuque
Natividade
Nazaré
Neópolis
Niquelândia
Nonoai
Nossa Senhora das Dores
Nova Londrina
Nova Mutum
Nova Petrópolis
Oliveira
Orlândia
Osvaldo Cruz
Olho d'Água das Flores
Ouro Fino
Ouro Preto do Oeste
Palmeira
Palmeira d'Oeste
Palmeirópolis
Pão de Açúcar
Paracatu
Paraguaçu Paulista
Paraisópolis
Paramirim
Paranacity
Paranaíba
Parelhas
Passa-e-Fica
Patu
Paulistana
Peçanha
Pedra Azul
Pedro II
Pedro Afonso
Peixoto de Azevedo
Piancó
Pinheiro Machado
Pio XII
Piraju
Piracuruca
Pitanga
Pitangui
Piumhi
Poções
Ponte Serrada
Pontes e Lacerda
Porteirinha
Porto Calvo
Porto União
Posse
Presidente Epitácio
Presidente Getúlio
Presidente Juscelino
Presidente Venceslau
Princesa Isabel
Prudentópolis
Quatis
Quedas do Iguaçu
Rancharia
Resplendor
Riachão do Jacuípe
Rio Bonito
Rio Negro
Rio Pomba
Rio Real
Rodeio Bonito
Roncador
Rubiataba
Salto do Jacuí
Salvador do Sul
Sananduva
Sanclerlândia
Santa Bárbara
Santa Cruz
Santa Cruz da Baixa Verde
Santa Cruz do Rio Pardo
Santa Filomena
Santa Helena
Santa Luzia
Santa Luzia do Paruá
Santa Maria do Suaçuí
Santa Vitória do Palmar
Santana
Santana do Livramento
Santo Antônio
Santo Antônio da Patrulha
Santo Augusto
Santos Dumont
São Bento (Maranhão)
São Bento (Paraíba)
São Benedito
São Domingos
São Francisco
São Gabriel da Palha
São Gotardo
São João Batista
São João do Ivaí
São João do Piauí
São João dos Patos
São João Nepomuceno
São Joaquim da Barra
São José do Cedro
São José do Egito
São João do Rio do Peixe
São João Evangelista
São José do Cedro
São Lourenço do Oeste
São Mateus do Sul
São Miguel
São Miguel do Araguaia
São Miguel do Tapuio
São Paulo do Potengi
São Sebastião
São Sebastião do Caí
São Valentim
São Vicente Férrer
Sapé
Seara
Sena Madureira
Senador Pompeu
Serafina Corrêa
Serra Dourada
Serro
Simões
Simplício Mendes
Sinimbu
Siqueira Campos
Sobradinho
Sombrio
Sumé
Tabira
Taguatinga
Taió
Taiobeiras
Tangará
Tapejara
Tapes
Taquaritinga
Tarauacá
Tauá
Tenente Portela
Terra Nova do Norte
Teutônia
Tietê
Tramandaí
Três Pontas
Tucumã
Tucunduva
Turmalina
Tutóia
Uiraúna
Umarizal
União
Uruçuí
Valença
Valença do Piauí
Valente
Várzea da Palma
Vazante
Venda Nova do Imigrante
Veranópolis
Viana
Vigia
Vila Rica
Virginópolis
Visconde do Rio Branco
Vitorino Freire
Xaxim
Xinguara
Wenceslau Braz
Zé Doca
Referências: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Regiões de Influência das Cidades 2007 (10 de outubro de 2008), [1] Configuração da Rede Urbana do Brasil (junho de 2001)vde50 cidades mais populosas do Brasil São Paulo
Rio de Janeiro
Brasília
Salvador
Fortaleza
Belo Horizonte
Manaus
Curitiba
Recife
Goiânia

Belém
Porto Alegre
Guarulhos
Campinas
São Luís
São Gonçalo
Maceió
Duque de Caxias
Campo Grande
NatalTeresina
São Bernardo do Campo
Nova Iguaçu
João Pessoa
Santo André
São José dos Campos
Jaboatão dos Guararapes
Osasco
Ribeirão Preto
UberlândiaSorocaba
Contagem
Aracaju
Feira de Santana
Cuiabá
Joinville
Aparecida de Goiânia
Juiz de Fora
Londrina
AnanindeuaPorto Velho
Niterói
Belford Roxo
Serra
Caxias do Sul
Campos dos Goytacazes
Macapá
Florianópolis
Vila Velha
São João de Meritivde Santa CatarinaCapitalFlorianópolisDivisão regional vigente (desde 2017)Regiões geográficas intermediárias e imediatasDivisão regional extinta (vigente até 2017)Mesorregiões e microrregiõesRegiões metropolitanasAlto Vale do Itajaí ? Carbonífera ? Chapecó ? Contestado ? Extremo Oeste ? Florianópolis ? Foz do Rio Itajaí ? Lages ? Norte-Nordeste Catarinense ? Tubarão ? Vale do ItajaíMunicípios >500.000 habitantesJoinvilleMunicípios >200.000 habitantesFlorianópolis ? Blumenau ? São José ? Chapecó ? Criciúma ? ItajaíMunicípios >100.000 habitantesJaraguá do Sul ? Palhoça ? Lages ? Balneário Camboriú ? Brusque ? Tubarão PortalvdeRegião Metropolitana do Norte-Nordeste CatarinenseNúcleo metropolitanoAraquari * JoinvilleÁrea de expansãoBalneário Barra do Sul * Barra Velha * Campo Alegre * Corupá * Garuva * Guaramirim * Itaiópolis * Itapoá * Jaraguá do Sul * Mafra * Massaranduba * Monte Castelo * Papanduva * Rio Negrinho * São Bento do Sul * São Francisco do Sul * São João do Itaperiú * Schroeder Santa Catarina, BrasilvdePrefeitos de Joinville (1869 ? 2019)
João Adolfo Haltenhoff ?
Frederico Lange ?
Ottokar Doerffel ?
Augusto Stock ?
Carlos Monich ?
Vitorino de Sousa Bacelar ?
João Paulo Schmalz ?
Frederico Bruestlein ?
Ernesto Canac ?
Eugênio João Schmidt ?
Abdon Batista ?
Abdon Batista ?
Abdon Batista ?
João Paulo Schmalz ?
Frederico Bruestlein ?
Gustavo Adolfo Richlin ?
Procópio Gomes de Oliveira ?
Oscar Antônio Schneider ?
Procópio Gomes de Oliveira ?
Abdon Batista ?
Abdon Batista ?
Marinho de Sousa Lobo ?
Ulisses Gérson Alves da Costa ?
Plácido Olímpio de Oliveira ?
João Acácio Gomes de Oliveira ?
Max Colin ?
Aristides Largura ?
Joaquim Wolf ?
Nabor de Lima Monteiro ?
Arnaldo Moreira Douat ?
Arlindo Pereira de Macedo ?
Geraldo Wetzel ?
Paulino João de Bem ?
João Herbert Érico Colin ?
Rolf João Max Colin ?
João Herbert Érico Colin ?
Dario Geraldo Salles ?
Baltasar Buschle ?
Helmuth Fallgater ?
Nilson Wilson Bender ?
Harald Karmann ?
Pedro Ivo Campos ?
Luiz Henrique da Silveira ?
Violantino Rodrigues ?
Wittich Freitag ?
Wittich Freitag ?
Luiz Henrique da Silveira ?
Marco Tebaldi ?
Carlito Merss ?
Udo Döhler
vde Mercado Comum de Cidades ? MercocidadesMercado Comum do Sul ? Mercosul ArgentinaAvellaneda ? Bahía Blanca ? Barranqueras ? Bovril ? Bragado ? Buenos Aires ? Carlos Pellegrini ? Comodoro Rivadavia ? Córdova ? Florencio Varela ? General San Martín ? Gualeguaychú ? Guaymallén ? Hurlingham ? Junín ? La Matanza ? La Plata ? Rioja ? Las Bandurrias ? Lomas de Zamora ? Luján ? Malvinas Argentinas ? Mar del Plata ? María Susana ? Mendoza ? Montecarlo ? Morón ? Necochea ? Olavarría ? Paraná ? Pergamino ? Piamonte ? Quilmes ? Rafaela ? Reconquista ? Realicó ? Resistência ? Río Cuarto ? Rosário ? Salta ? Salto ? San Antonio de los Cobres ? San Fernando del Valle de Catamarca ? San Isidro ? San Jorge ? San Juan ? San Luis ? San Miguel de Tucumán ? San Salvador de Jujuy ? Santa Fé ? Santiago del Estero ? Tandil ? Trelew ? Ushuaia ? Vicente López ? Viedma ? Villa Gesell ? Villa María ? Villa Mercedes ? Zapala • Zárate BrasilAlvorada ? Anápolis ? Aracaju ? Araraquara ? Barra do Ribeiro ? Bela Vista ? Belém ? Belo Horizonte ? Brasília ? Camaçari ? Campinas ? Caxias do Sul ? Contagem ? Coronel Sapucaia ? Cuiabá ? Curitiba ? Diadema ? Dourados ? Esteio ? Florianópolis ? Fortaleza ? Foz do Iguaçu ? Goiânia ? Gravataí ? Guaíra ? Guarulhos ? Jacareí ? Joinville ? Juiz de Fora ? Londrina ? Macaé ? Maringá ? Mauá ? Mossoró ? Niterói ? Osasco ? Paranhos ? Penápolis ? Petrolina ? Piracicaba ? Porto Alegre ? Praia Grande ? Recife ? Ribeirão Preto ? Rio Claro ? Rio de Janeiro ? Rio Grande ? Salvador ? Santa Maria ? Santa Vitória do Palmar ? Santana de Parnaíba ? Santo André ? Santos ? São Bernardo do Campo ? São Borja ? São Carlos ? São Caetano do Sul ? São José do Rio Preto ? São Leopoldo ? São Paulo ? São Vicente ? Sumaré ? Suzano ? Taboão da Serra ? Teresina ? Uberlândia ? Várzea Paulista ? Viamão ? Vitória ? Vitória da Conquista ParaguaiAssunção ? Bella Vista Norte ? Cambyretá ? Capiatá ? Carlos Antonio López ? Concepción ? Coronel Oviedo ? Fernando de la Mora ? Hernandarias ? Horqueta ? Jesús ? Limpio ? San Pedro del Ycuamandiyú ? Pedro Juan Caballero ? Pilar ? Salto del Guairá ? San Lázaro ? Villeta ? Ypehú UruguaiCanelones ? Cerro Largo ? Colônia do Sacramento ? Durazno ? Flores ? Florida ? Maldonado ? Montevidéu ? Paysandú ? Río Negro ? Rivera ? Rocha ? Salto ? San José de Mayo ? Tacuarembó ? Treinta y Tres VenezuelaBarquisimeto ? Caracas ? Cumaná ? Libertador BolíviaCochabamba ? La Paz ? Santa Cruz de la Sierra ? Tarija ChileArica ? Calama ? Chillán Viejo ? Concepción ? El Bosque ? Los Andes ? Puerto Montt ? Quilpué ? Rancagua ? Santiago ? Valparaíso ? Viña del Mar PeruJesús María ? Lima ? Lurin ? La VictoriaCidades fundadoras em itálico.Fonte: Red de Mercociudades: Ciudades Miembrosvde Canais de televisão de JoinvilleSinal digital
5.1 (33) NSC TV (Globo)
8.1 (30) RIC TV (RecordTV)
11.1 (21) TV Brasil Esperança (TV Brasil)
13.1 (46) SBT Santa Catarina (SBT)
20.1 Rede Vida
22.1 (18) CNT (TV Universal)
25.1 RCI (TV Pai Eterno)
31.1 (28) Record News SC (Record News)
39.1 (38) TV Barriga Verde (Band)
41.1 Rede Família (TV Universal)
48.1 RIT
56.1 (15) TV Canção Nova
Autorizados ouem implantação
14 RBTV
23 Top TV
26 NTV (Rede Minas)
36 TV Câmara
50 TV Brasil
51 Top TV
Por assinatura
TV Babitonga
TV da Cidade Joinville
Extintas
Geradoras
05 NSC TV (Globo) (2017-2018)
08 RIC TV (RecordTV) (2008-2018)
11 TV Brasil Esperança (TV Brasil) (2003-2018)
Retransmissoras
13 SBT Santa Catarina (SBT) (2008-2018)
22 CNT (TV Universal) (????-2018)
29 Rede Vida (1999-2018)
27 Record News SC (Record News) (2008-2018)
39 TV Catarina (Band) (????-2018)
47 RIT (????-2018)
55 TV Canção Nova (????-2018)
Predefinições deregiões adjacentes
Blumenau
Brusque
Itajaí
Predefinição:Rádios de Joinville
Portal de Santa Catarina
Controle de autoridade
: Q156819
WorldCat
VIAF: 25144898625950290547
BNF: 16086136c
BRE: 1983394
EBID: ID
GEC: 0034735
GND: 4780214-5
OSM: 296650
MusicBrainz: ID
WOEID: 455873
GeoNames: 3459712