atualizar site em Campos Novos

Encontre atualizar site em Campos Novos na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

Campos Novos

Nota: Para outros significados de Campos Novos, veja Campos Novos (desambiguação).
Coordenadas: 27° 24' 7" S 51° 13' 30" OMunicípio de Campos Novos
"Celeiro catarinense[1]"
Vista parcial de Campos NovosBandeiraBrasãoHino
Fundação30 de março de 1881 (138 anos)
Gentílicocampos-novense[2]
Prefeito(a)Silvio Alexandre Zancanaro (PSD)(2017 – 2020)
Localização
Localização de Campos Novos em Santa CatarinaCampos Novos Localização de Campos Novos no Brasil
27° 24' 07" S 51° 13' 30" O27° 24' 07" S 51° 13' 30" O
Unidade federativaSanta Catarina
MesorregiãoSerrana IBGE/2013[3]
MicrorregiãoCuritibanos IBGE/2013[3]
Municípios limítrofesNorte: Erval Velho, Ibiam e Monte Carlo; Sul: Barracão (RS), Celso Ramos e Anita Garibaldi; Leste: Vargem, Brunópolis e Abdon Batista; Oeste: Capinzal, Zortea, Ouro, Lacerdópolis, Herval d'Oeste.
Distância até a capital370 km
Características geográficas
Área1 659,625 km² [4]
População35 710 hab. estatísticas estimadas IBGE/2017[5]
Densidade21,52 hab./km²
Altitude946,7 m
Climasubtropical mesotérmico brando superúmido
Fuso horárioUTC?3
Indicadores
IDH-M0,742 alto PNUD/2010[6]
PIBR$ 910 300 mil IBGE/2011[7]
PIB per capitaR$ 27 523,96 IBGE/2011[8]
Página oficial
Prefeiturawww.camposnovos.sc.gov.br
Câmaracamaracamposnovos.sc.gov.br/Campos Novos é um município brasileiro no interior do estado de Santa Catarina, Região Sul do Brasil. Pertence à Mesorregião Serrana e Microrregião de Curitibanos e localiza-se a oeste da capital do estado, distando desta cerca de 370 km. Ocupa uma área de aproximadamente 1 660 km², e sua população foi estimada em 2017 em 35 710 habitantes, sendo então o 40º mais populoso do estado.
A região começou a ser desbravada no decorrer do século XVIII, sendo que até então era povoada exclusivamente pelos índios kaigangs. Fundada em 1881, passou por um período de crescimento demográfico no começo do século XX, com a vinda de imigrantes à procura de emprego e de refugiados da Guerra do Contestado. Foi nessa época em que Campos Novos descobre sua vocação agrícola, sendo atualmente um dos principais produtores de alimentos como milho, soja, feijão, trigo e cevada do estado, além de se destacar na pecuária e na apicultura.
Campos Novos também possui alguns atrativos turísticos de valor cultural ou histórico, como a Igreja Matriz de São João Batista, a Casa da Cultura Coronel Gasparino Zorzi e a Romaria de Nossa Senhora Aparecida, que chega a atrair uma média de 70 mil fiéis. A Usina Hidrelétrica de Campos Novos, construída em 2006, é a responsável pela geração de energia de um quarto de Santa Catarina..mw-parser-output .toclimit-2 .toclevel-1 ul,.mw-parser-output .toclimit-3 .toclevel-2 ul,.mw-parser-output .toclimit-4 .toclevel-3 ul,.mw-parser-output .toclimit-5 .toclevel-4 ul,.mw-parser-output .toclimit-6 .toclevel-5 ul,.mw-parser-output .toclimit-7 .toclevel-6 ul{display:none}Índice1 Etimologia
2 História2.1 Origens
2.2 Formação administrativa
2.3 Após a emancipação
3 Geografia3.1 Geomorfologia e hidrografia
3.2 Clima
3.3 Ecologia e meio ambiente
4 Demografia4.1 Pobreza e desigualdade
4.2 Religião4.2.1 Igreja Católica Apostólica Romana
4.2.2 Igrejas protestantes
4.3 Etnias
5 Política e administração
6 Subdivisões
7 Economia
8 Estrutura urbana8.1 Saúde
8.2 Educação
8.3 Segurança pública e criminalidade
8.4 Habitação, serviços e comunicação
8.5 Transportes
9 Cultura9.1 Artes cênicas e eventos
9.2 Atrativos
9.3 Esportes
9.4 Feriados
10 Ver também
11 Referências
12 Ligações externasEtimologia[editar | editar código-fonte]
Certamente, os atrativos para imigrantes vindos de São Paulo, do Paraná e mesmo vizinhos fazendeiros lageanos foram as enormes terras e fazendas. Os paulistas, paranaenses e vizinhos fazendeiros de Lages aí chegaram atrás de terras para a criação de gado. Em seguida, os imensos campos originaram a denominação do município.[9]História[editar | editar código-fonte]
Origens[editar | editar código-fonte] Equipamentos para animais de montaria e de tração usados pelos colonizadores, em exposição no Museu Histórico e Arqueológico Sebastião Paz de Almeida.
A história de Campos Novos, da mesma forma que a de qualquer município constituinte do grande Oeste Catarinense, começou quando os portugueses e espanhóis tentaram colonizar a Região Sul do Brasil. Desse modo, é lógico afirmar que, numa época anterior ao aparecimento, em 1650, das povoações de São Francisco, Desterro e Laguna (trabalho dos paulistas vicentinos que foram lançados ao mar em busca de novas peripécias),[10] já o Oeste Catarinense se aproximava dos espanhóis os quais, seguidos dos jesuítas, passavam pela região que existia do rio Iguaçu até o rio Uruguai.[11] Depois, em 1663, o bandeirante Antônio Raposo Tavares caminhou por estas paradas e, como se aliou aos índios Coroados, começou a perseguir fortemente os aldeamentos de silvícolas, que resultaram da obra de empreendimento catequético daqueles sacerdotes. Até 1770, entretanto, ano no qual abandonaram a viagem ao sul, já que eles se interessaram pelo ouro das capitanias de Goiás e de Mato Grosso ? os paulistas nunca tentaram por estas terras, ao menos, povoar a região.[1][12]
De algum modo a crônica histórica deste município passa a ser delineada com a expedição liderada pelo major Atanagildo Martins que, conduzida pelo índio Jongong, em 1814, objetivava contatar com as Missões. No desvio da rota tracejada, como o medo dos índios Guaranis foi provocado em seu guia, essa expedição chegou aos campos de Vacaria, depois de, sem dúvida, ter percorrido os campos em que atualmente é encontrado este município. Não é duvidoso, no entanto, que certos proprietários de fazenda, que vieram de Lages, por ali já se instalaram por definitivo no ano de 1839.[1]
João Gonçalves de Araújo, proprietário rural, em Curitibanos, descobriu Campos Novos. Como a fumaça das queimadas causadas pelos índios o atraiu, uma expedição foi organizada pelo fazendeiro que dirigiu-se para a Serra do Espinilho. Desse modo, foram estabelecidos na terra os povoadores iniciais, logo ajudados no trabalho do povoamento pelos gaúchos que fugiram da Revolução Farroupilha. Entre estes, os nomes de Chico Ferro, Chivida e Miguel dos Anjos tiveram ligação aos trabalhos iniciais de que originaram este município. Em 1848, o reaparecimento dos paulistas fez com que os campos de São Jorge fossem ocupados por estes brasileiros que vieram até estas paradas. Ou melhor, perto dos forasteiros que vieram de Curitiba, Palmas, Lages, Guarapuava e dos campos do Rio Grande do Sul, consistiram-se em elemento importante entre os quais colaboraram muito mais para que a comunidade fosse estruturada.[1]
Não se iniciou o povoamento no próprio local onde é hoje encontrada, próspera, a cidade de Campos Novos. Anteriormente, o povoamento, propriamente dito, foi processado em local longe de um quilômetro da cidade, na beira de um regato. A primeira casa no interior do perímetro desta próspera cidade foi construída por Salvador Vieira que se afastou do local que estava se formando. Certo momento depois, em que já se delineou a povoação, a igreja matriz de São João Batista foi construída por Domingos Matos Cordeiro.[1]Formação administrativa[editar | editar código-fonte] Atual prédio da prefeitura, que foi inaugurado em 1975.
Pela Lei provincial nº 377, de 16 de junho de 1854, o distrito de Campos Novos, já que existia há certos anos, se desmembrou da Vila de Nossa Senhora dos Prazeres para, então, formar uma freguesia à parte. Suas primeiras autoridades foram João Fernandes da Caripuna, natural de Pernambuco, e Domiciano de Azevedo. Em 1869, de acordo com a Lei nº 625, de 11 de junho, Campos Novos passou a formar, com Palmas e Curitibanos, um distrito do município de Curitibanos, fundado recentemente na época. Depois, pela Lei nº 923, de 30 de março de 1881, o distrito de Campos Novos se elevou à categoria de município denominado de São João dos Campos Novos; no mesmo momento, a freguesia de São João Batista de Campos Novos passou a se considerar vila. Seu primeiro Intendente foi o Coronel Manoel Ferreira da Silva Farrapo.[1]
Até o ano de 1933, Campos Novos era limitado por Lages, Curitibanos, Cruzeiro do Sul (hoje Joaçaba), Porto União e o estado vizinho do Rio Grande do Sul. Teve uma superfície, portanto, de mais de 15 mil km². Em 25 de março de 1934, pelo Decreto nº 408, os distritos campos-novenses de Rio das Antas e Caçador foram perdidos; em 1943, o desmembramento atingiu mais uma vez o seu território, já que dele foram apartados os distritos de Herval, Rio Uruguai, Rio Bonito e Perdizes. Ao invés disso, viu integrados ao seu território os distritos de Ypira e Ouro para, de novo, em 1949, serem perdidos os de Piratuba e Ypira, além de parte dos de Tupitinga, Capinzal e Ouro. Em 1997, uma parte da extensão territorial de Campos Novos foi perdida quando o município de Zortéa foi criado.[2] Hoje são sete distritos restantes, além da Sede, sendo eles: Bela Vista, Dal'Pai, Espinilho, Encruzilhada, Guarani, Ibicuí e Leão.[13][14]Após a emancipação[editar | editar código-fonte]
Armas de fogo utilizadas na Guerra do Contestado, em exposição no Museu Histórico e Arqueológico Sebastião Paz de Almeida.
Em 1893, depois que os revolucionários, sob a liderança do Coronel Demétrio Ramos, incursionaram, as consequências trazidas por uma guerra civil foram sofridas de novo pelo território do município. A vila foi assaltada na madrugada de 19 de maio daquele ano. Surpreendidos, os que defendiam a praça, aliando-se dentre moradores do lugar, recolheram-se com suas famílias na residência do Coronel Henrique Rupp, que, por ser feita de material de construção de excelente qualidade era um imóvel residencial pelo qual foi oferecida satisfatória defesa aos invasores. Ordenada a resistência, foi de competência do Tenente-Coronel Atanázio de Matos, seguidos de seis soldados, a missão de tomar de volta a Intendência, obtendo dali, com coragem, a expulsão dos revolucionários. Foi travado, depois de segunda luta, desta vez para que fossem expulsos os que assaltaram a trincheira em que se localizavam. Derrotaram-se de novo estes, margeando uma fuga desalinhada e a dispersão das forças de ataque. Defendendo a cidade de Campos Novos, morreram cinco bravos defensores que tombaram no dever cumprido.[15] Praça Lauro Müller, em 2011.
Igreja Matriz de São João Batista, em 2016.
No começo do século XX a cidade passa por um período de desenvolvimento, com a chegada de imigrantes atraídos pela busca por melhores condições de vida no Brasil. Vieram principalmente alemães e italianos que ajudaram, inicialmente, na agricultura e na construção da Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande e, após algum tempo, após a década de 1920, na construção de pequenas indústrias.[1] Também vieram poloneses, russos e libaneses, além de um grande número de descendentes de alemães e italianos, principalmente gaúchos, que chegaram após o término da Guerra do Contestado.[1]
Dado o desenvolvimento demográfico da cidade, houve a necessidade de investimentos em infraestrutura. Conforme citado anteriormente, no começo do século XX ocorreu a chegada da ferrovia e de pequenas indústrias. Em 1922 foi criada a primeira clínica médica, que funcionava na casa de Dr. Jose Athanásio, onde hoje funciona o Hospital Dr. José Athanásio. Em 29 de março de 1954, ocorreu a fundação do Colégio Auxiliadora e em 1957 foi fundada a Rádio Cultura de Campos Novos. A agricultura fortaleceu-se com a criação da Copercampos, em 8 de novembro de 1970, que deu início ao cooperativismo, sendo que hoje a cidade é um grande produtor de grãos, principalmente milho, soja, feijão, trigo e cevada, e destaque ainda na pecuária, com a produção de leite.[1]Geografia[editar | editar código-fonte]
A área do município, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é de 1 659,625 km², sendo que 4,5211 km² constituem a zona urbana e os 1 655,1 km² restantes fazem parte da zona rural e é a terceira maior de Santa Catarina, perdendo apenas para Lages e São Joaquim.[16] Situa-se a 27º24?07? de latitude sul e 51º13?30? de longitude oeste e está a uma distância de 370 quilômetros a oeste da capital catarinense. Limita-se com: Erval Velho, Ibiam e Monte Carlo, a norte; Barracão (Rio Grande do Sul), Celso Ramos e Anita Garibaldi, a sul; Vargem, Brunópolis e Abdon Batista, a leste; e Capinzal, Zortea, Ouro, Lacerdópolis, Herval d'Oeste, a oeste.[17]Geomorfologia e hidrografia[editar | editar código-fonte]
Reservatório na Usina Hidrelétrica de Campos Novos.
O relevo da cidade é predominantemente ondulado de forma suave, sendo profundo e bem drenado e havendo boas condições físicas para um desenvolvimento radicular. É pouco susceptível à erosão e favorece ainda o uso de máquinas e implementos agrícolas. Em algumas partes do território municipal há ondulações mais fortes, sendo que essas áreas são mais sujeitas à erosão e a maiores impedimentos à mecanização da agricultura, principalmente quando o tipo de solo é o cambissolo, que apresenta pedras em sua composição. Apesar de grande parte da área do município apresentar relevo favorável à agricultura, os solos de Campos Novos são ácidos, em grande parte contaminados por alumínio trocável, e têm reduzida reserva de nutrientes, porém, quando manejados adequadamente, tornam-se adequados tanto para cultivos anuais quando para menos intensivos, como a fruticultura, a pastagem e o reflorestamento.[18]
A cidade pertence à região hidrográfica do Planalto de Lages e à bacia hidrográfica do rio Canoas, que é uma das principais do estado de Santa Catarina. O rio Canoas banha, além de Campos Novos, outros onze municípios e ao unir suas águas com as do rio Pelotas, dá início ao rio Uruguai.[19] No Canoas funciona ainda a Usina Hidrelétrica de Campos Novos, que entrou em funcionamento em 2007 e hoje produz um quarto do consumo do estado de Santa Catarina.[20]Clima[editar | editar código-fonte]
Lavouras em Campos Novos em um dia ensolarado.
O clima campos-novense é classificado, segundo o IBGE, como subtropical mesotérmico brando superúmido (tipo Cfa segundo Köppen),[21] tendo elevados índices de umidade relativa do ar (URA) e temperatura média compensada anual em torno de 17 °C, com verões amenos e invernos frios.[22][23][24] Com mais de 2 200 horas anuais de insolação, o índice pluviométrico é de cerca de 2 100 milímetros (mm) anuais, regularmente distribuídas durante o ano, sem a existência de uma estação seca.[25]Maiores acumulados de precipitação em 24 horasregistrados em Campos Novos por meses (INMET)[26]
MêsAcumuladoDataMêsAcumuladoData
Janeiro94,7 mm24/01/1969Julho143,4 mm03/07/1999
Fevereiro115,2 mm06/02/1977Agosto141,8 mm30/08/2011
Março99,1 mm20/03/2006Setembro129,1 mm27/09/2015
Abril131,5 mm02/04/2005Outubro112,8 mm23/10/2012
Maio130,9 mm01/05/2014Novembro92,2 mm11/11/1977
Junho122,2 mm14/06/2015Dezembro92,8 mm05/12/2003
Período: 01/01/1969 a 31/12/1983, 01/01/1985 a 31/12/1985,01/01/1988 a 31/12/1989 e de 01/01/1992 a 31/12/2017Nos últimos anos, entretanto, os dias quentes e secos durante veranicos têm sido cada vez mais frequentes, não raro ultrapassando a marca dos 28 °C, especialmente no verão. Nestes períodos de estiagem são comuns registros de queimadas em matagais, principalmente na zona rural, o que contribui com o desmatamento e com o lançamento de poluentes na atmosfera, prejudicando ainda a qualidade do ar. Estas queimadas são muitas vezes propositais, sendo usadas para preparo da terra onde se pretende cultivar, porém elas são recorrentemente proibidas.[27] Geadas não são incomuns e costumam ocorrer em média de 12 a 22 vezes por ano.[24] Já a ocorrência de neve não é muito frequente, mas há registros oficiais em 12 de julho de 2000[28] e, com forte intensidade, em 22 de julho de 2013.[29]
Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de 1969 a 1983, 1985, 1988 a 1989 e de 1992 a 2017, a menor temperatura registrada em Campos Novos foi de -5,6 °C em 14 de julho de 2000,[30] e a maior atingiu 35,6 °C em novembro de 1985, nos dias 15 e 16.[31] O maior acumulado de precipitação em 24 horas atingiu 143,4 mm em 3 de julho de 1999. Outros grandes acumulados iguais ou superiores a 100 mm foram: 141,8 mm em 30 de agosto de 2011, 131,5 mm em 2 de abril de 2005, 130,9 mm em 1° de maio de 2014, 129,1 mm em 27 de setembro de 2015, 124,6 mm em 28 de abril de 1998, 122,2 mm em 14 de junho de 2015, 115,2 mm em 6 de fevereiro de 1977, 113,1 mm em 31 de maio de 2017, 112,8 mm em 23 de outubro de 2012, 109,8 mm em 1° de fevereiro de 1997, 108,6 mm em 23 de abril de 2010, 104,2 mm em 16 de agosto de 2006, 103,8 mm em 2 de outubro de 1975, 102,7 mm em 1° de julho de 1992, 102,4 mm em 31 de julho de 1983, 101,1 mm em 27 de junho de 2014 e 100,6 mm em 28 de setembro de 2009 e 13 de outubro de 2011.[26]
Dados climatológicos para Campos Novos
MêsJanFevMarAbrMaiJunJulAgoSetOutNovDezAno
Temperatura máxima recorde (°C)35,432,833,730,42926,22731,333,532,235,634,8 35,6
Temperatura máxima média (°C)26,626,325,62319,418,217,920,320,522,92526,6 22,7
Temperatura média compensada (°C)20,820,519,517,113,612,612,113,714,516,918,820,4 16,7
Temperatura mínima média (°C)16,516,415,6139,78,789,110,312,61415,6 12,5
Temperatura mínima recorde (°C)77,23,9-0,8-2,9-3,8-5,6-4,1-2,21,425 -5,6
Precipitação (mm)208,6175,4137,4167172,5139,4201133,9195,7242,9155,4164,4 2 093,6
Dias com precipitação (? 1 mm)1313119899811121011 124
Umidade relativa compensada (%)7678,177,777,579,479,677,27275,87670,970,7 75,9
Horas de sol216185,4205,2184,2169,1150,5169,6181,9161,2173,5211,4225,2 2 233,2
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[25] recordes de temperatura:01/01/1969 a 31/12/1983, 01/01/1985 a 31/12/1985, 01/01/1988 a 31/12/1989 e de 01/01/1992 a 31/07/2017)[30][31] Ecologia e meio ambiente[editar | editar código-fonte]
Araucárias em Campos Novos.
A vegetação original e predominante no município é a mata dos pinhais ou mata das araucárias, apesar de que parte da mata nativa deu lugar à agricultura, às pastagens para o gado ou mesmo desmatada e mais tarde reflorestada, sendo que até a década de 1980 a indústria madeireira era uma das principais fontes de renda de Campos Novos.[18] Para a construção da Usina Hidrelétrica de Campos Novos, por exemplo, houve necessidade do alagamento de vários trechos de florestas nativas, além de fazendas situadas ao redor do rio Canoas.[32]
Para combater o desmatamento e a devastação de áreas verdes a prefeitura criou programas como as Áreas de Preservação Permanente, que são faixas de vegetação existentes entre o reservatório da usina hidrelétrica e suas propriedades com largura entre 30 a 100 metros. As áreas desmatadas para a construção da usina estão sendo recuperadas e transformadas em mata ciliar.[33] Também há o Parque Estadual Rio Canoas, criado em 27 de maio de 2004 e que conta com 1 200 hectares, sendo também destinado à conservação da mata nativa vizinha à hidrelétrica.[34]
Restam hoje alguns remanescentes de floresta ombrófila mista, que são as florestas de araucárias,[34] além de campos formados por estratos de gramíneas, entremeadas por espécies arbustivas ou arbóreas e dispersos em florestas de galeria ou capões.[35] Na área do município já foram registradas 44 espécies de orquídeas e bromélias[36][37]. Em relação a fauna há na área do município o registro de mais de 80 espécies de aves[38][39], Sobre a herpetofauna, há o registro das seguintes espécies, Lagartixa preta (Tropidurus torquatus), Cobra de vidro - (Ophiodes striatus), Lagarto teiú (Tupinambis merianae), Cobra cega (Amphisbaena sp.), Boipeva (Waglerophis merremii), Boipeva serrana (Xenodon neuwiedii), Cobra coral verdadeira (Micrurus altirostris), Cobra lisa (Liophis miliaris), Jararaca (Bothrops jararaca) e Cobra d'água (Helicops infrataeniatus).[40]Demografia[editar | editar código-fonte]Crescimento populacional
Censo
Pop.%±
199142 811?200028 707-32,9%201032 82914,4%Fonte: IBGE[41]Em 2010, a população do município foi contada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 32 829 habitantes, sendo o 40º mais populoso do estado e o segundo mais populoso da Microrregião de Curitibanos (perdendo apenas para Curitibanos), apresentando uma densidade populacional de 19,9 habitantes por km².[41] Segundo o censo daquele ano, 16 257 habitantes eram homens e 16 572 habitantes mulheres. Ainda segundo o mesmo censo, 27 065 habitantes viviam na zona urbana e 5 764 na zona rural.[41] Já segundo estatísticas divulgadas em 2013, a população municipal era de 34 386 habitantes.
O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Campos Novos é considerado elevado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), sendo que seu valor é de 0,742 (o 719º maior do Brasil). A cidade possui a maioria dos indicadores próximos à média nacional segundo o PNUD. Considerando-se apenas o índice de educação o valor é de 0,658, o valor do índice de longevidade é de 0,861 e o de renda é de 0,721.[6]Pobreza e desigualdade[editar | editar código-fonte]
Amostra da população, durante realização de evento de rua.
Segundo o IBGE, no ano de 2003 o coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, era de 0,40, sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor.[42] Naquele ano, a incidência da pobreza, medida pelo IBGE, era de 34,36%, o limite inferior da incidência de pobreza era de 23,29%, o superior era de 45,44% e a incidência da pobreza subjetiva era de 22,35%.[42]
De 1991 a 2010, a proporção de pessoas com renda domiciliar per capita de até meio salário mínimo reduziu em 68,0%. Em 2010 80,7% da população vivia acima da linha da pobreza, 12,1% encontrava-se na linha da pobreza e 7,1% estava abaixo.[43] Em 2000, a participação dos 20% da população mais rica da cidade no rendimento total municipal era de 61,9%, ou seja, 28 vezes superior à dos 20% mais pobres, que era de 2,2%, sendo que em 1991 a participação dos 20% mais pobres era de 3,2%, ou seja, do começo da década de 90 até o ano de 2000 houve crescimento da desigualdade social na cidade.[43] Também em 2000, segundo a prefeitura, não havia registros de favelas e palafitas, havendo apenas ocorrências de loteamentos irregulares, porém atualmente há legislação municipal específica que dispõe sobre regularização fundiária e sem plano ou programa específico de regularização fundiária.[44]Religião[editar | editar código-fonte]
Tal qual a variedade cultural verificável em Campos Novos, são diversas as manifestações religiosas presentes na cidade. Embora tenha se desenvolvido sobre uma matriz social eminentemente católica, tanto devido à colonização quanto à imigração ? e ainda hoje a maioria dos campos-novenses se declara católica ?, é possível encontrar atualmente na cidade dezenas de denominações protestantes diferentes, assim como a prática do espiritismo e do espiritualismo, entre outras. Nas últimas décadas, o budismo e as religiões orientais têm crescido na cidade. Também são consideráveis as comunidades judaica, mórmon e das religiões afro-brasileiras. De acordo com dados do censo de 2000 realizado pelo IBGE, a população campos-novense está composta por: católicos (85,70%), evangélicos (12,09%), pessoas sem religião (0,98%), espíritas (0,52%) e os demais estão divididas entre outras religiões (0,71%).[45]Igreja Católica Apostólica Romana[editar | editar código-fonte]
Igreja Matriz de Campos Novos.
Segundo divisão feita pela Igreja Católica, o município está situado na Diocese de Joaçaba, criada em 12 de junho de 1975, desmembrando-se das dioceses de Lages, Chapecó e Caçador. É subordinada à Arquidiocese de Florianópolis e envolve outros trinta municípios. A emancipação da Diocese deve-se ao rápido povoamento daquela região no começo do século XX, que consequentemente fez com que o catolicismo se desenvolvesse no lugar.[46]
Os principais monumentos religiosos da cidade são a Igreja Matriz São João Batista e o Santuário de Nossa Senhora Aparecida. A Matriz localiza-se no centro da cidade, em frente à Praça Lauro Müller, e destaca-se pelo seu interior decorado com esculturas em madeira, vitrais e pinturas.[47] Já o Santuário se destaca pela Romaria de Nossa Senhora Aparecida, que ocorre anualmente no dia 12 de outubro, dia da santa, e chega a atrair uma média de 70 mil fiéis.[48] É realizada desde 1977 e percorre três quilômetros, desde a Igreja Matriz até o santuário.[49]Igrejas protestantes[editar | editar código-fonte]
Apesar da grande maioria católica, a cidade também possui os mais diversos credos protestantes ou reformados, como a Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra, a Igreja Cristã Maranata, Igreja Luterana, a Igreja Presbiteriana, a Igreja Metodista, a Igreja Episcopal Anglicana, as igrejas batistas, a Igrejas Assembleias de Deus, a Igreja Adventista do Sétimo Dia, a Igreja Mundial do Poder de Deus, a Igreja Universal do Reino de Deus, a Congregação Cristã no Brasil, entre outras.[45] Como citado acima, de acordo com o IBGE, em 2000 12,09% da população eram protestantes. Desse total, 8,72% são das igrejas evangélicas de origem pentecostal; 1,68 são das evangélicas de missão; e 1,69% pertencem a outras religiões evangélicas.[45]
Ainda existem também cristãos de várias outras denominações, tais como as Testemunhas de Jeová (que representam 0,03% dos habitantes) e os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (0,12%), também conhecida como Igreja Mórmon.[45]Etnias[editar | editar código-fonte]
Casarão da cidade construído com arquitetura holandesa.
Em 2010, segundo dados do Censo IBGE daquele ano, a população campos-novense era composta por 24 178 brancos (73,66%); 802 negros (2,44%); 220 amarelos (0,67%); 7 561 pardos (23,03%); e 63 indígenas (0,19%).[50] No ano de 2010 havia 25 emigrantes que vieram de outras partes do estado de Santa Catarina e do Brasil, de acordo com o IBGE.[51] Por outro lado outras 25 pessoas saíram de Campos Novos para ir para outros países, sendo que quatro delas foram para a Itália (16,0%), quatro para a Angola (16,0%); e três (12,0%) para o Canadá.[52]
A chegada de pessoas vindas de outros lugares era mais comum no começo do século XX, sendo que a imigração contribuiu com a agricultura e com o desenvolvimento da indústria, após 1930. Muitos imigrantes vinham em busca de emprego principalmente nas lavouras, sendo que ajudaram ainda no fortalecimento do comércio. Campos Novos, assim como parte do Sul e Sudeste do Brasil, recebeu levas de imigrantes de várias partes do mundo, com destaque para os italianos, espanhóis, alemães, holandeses, poloneses, russos e libaneses. Também deslocaram-se para a região pessoas de outras cidades catarinenses, paranaenses, paulistas e nordestinas, que fugiam da Guerra do Contestado.[1]Política e administração[editar | editar código-fonte]
Ver também: Lista de prefeitos de Campos Novos
Câmara Municipal de Campos Novos, sede do legislativo.
A administração municipal se dá pelo poder executivo e pelo poder legislativo.[53] O primeiro a governar o município foi o Coronel Manoel Ferreira da Silva Farrapo, que tomou posse logo após a emancipação da cidade.[1] Atualmente o prefeito municipal é Silvio Alexandre Zancanaro, do Partido Social Democrático (PSD), que venceu as eleições municipais no Brasil em 2016 com 11 826 votos (57,70% dos eleitores).[54]
O Poder legislativo é constituído pela câmara, que é constituída por nove vereadores eleitos para mandatos de quatro anos (em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição[55]) e está composta por cinco cadeiras do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), três cadeiras do Partido Progressista (PP) e uma cadeira do Partido dos Trabalhadores (PT).[56] Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento participativo (Lei de Diretrizes Orçamentárias).
A cidade se rege ainda por lei orgânica, que foi promulgada em 30 de março de 1990 e entrou em vigor nesta mesma data,[57] e é sede da Comarca de Campos Novos.[58] O município possuía 25 049 eleitores em junho de 2012, o que representava 0,529% do total do estado de Santa Catarina.[59]Subdivisões[editar | editar código-fonte]
Centro de Campos Novos.
Campos Novos é subdividida em oito distritos, sendo eles a Sede, Bela Vista, Dal'Pai, Espinilho, Encruzilhada, Guarani, Ibicuí e Leão. A Sede era o mais populoso, reunindo 23 359 habitantes.[13] Conforme já foi citado anteriormente, no século XX houve a criação e elevação à cidade de diversos distritos do município, sendo que as última alterações na área municipal foram feitas em 29 de dezembro de 1995, quando da emancipação do distrito de Zortéa, pela lei estadual nº 10051,[2] e em 3 de abril de 2000, criando o distrito de Encruzilhada, pela Lei nº 2590.[14]
Segundo a prefeitura, a cidade é dividida ainda em nove bairros (Centro, Jardim Bela Vista, Ernesto Zortea, Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora de Lourdes, São Sebastião, Santo Antônio, Senhor Bom Jesus e Boa Vista); seis conjuntos habitacionais (Colina das Flores, Eldorado, Integração, Morada do Sol, Nova Zelândia e Pedacinho do Céu); e quinze comunidades rurais, sendo que cinco delas estão no distrito de Encruzilhada (Santo Antônio da Palmeira, Entrada do Pelotas, Colônia Pinhal, Nossa Senhora de Lourdes e Faé) e dez delas em Guarani (Santa Bárbara, Pinhal Preto, São José, Caxambu, Linha Durigon, Santa Lúcia, Monte Verde, Assentamento 30 de Outubro, Colônia Hipólito e Linha Martinelli).[60]
Distritos de Campos Novos (IBGE/2010)[13]
DistritoHabitantesDomicílios particulares
HomensMulheresTotal
Sede 13 364 13 971 27 335 9 834
Bela Vista 366 310 676 251
Dal'Pai 299 233 572 231
Espinilho 142 136 278 117
Encruzilhada 473 411 884 481
Guarani 420 365 785 253
Ibicuí 585 556 1 141 398
Leão 608 545 1 153 426Economia[editar | editar código-fonte]
O Produto Interno Bruto (PIB) de Campos Novos é o maior da Microrregião de Curitibanos e o 464º de todo o país.[61] De acordo com dados do IBGE, relativos a 2011, o PIB do município era de R$ 910 300 mil. 102 147 mil eram de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes e o PIB per capita era de R$ 27 523,96.[61]
De acordo com o IBGE, a cidade possuía, no ano de 2010, 1 153 unidades locais e 1 106 empresas e estabelecimentos comerciais atuantes. 7 477 trabalhadores eram classificados como pessoal ocupado total e 6 452 categorizavam-se em pessoal ocupado assalariado. Salários juntamente com outras remunerações somavam 105 427 mil. reais e o salário médio mensal de todo município era de 2,4 salários mínimos.[62] A agricultura sempre foi uma das principais fontes de renda na cidade, sendo que o comércio e a indústria começaram a ganhar força a partir da década de 1930. O fácil acesso por meio de rodovias aos principais portos do litoral do estado e a várias cidades do Brasil e ainda de outros países do Mercosul facilitam o escoamento da produção agrícola.[1]Setor primário
Produção de milho, soja e trigo (2010)[63]
ProdutoÁrea colhida (hectares)Produção (tonelada)
Milho18 000140 400
Soja40 000132 000
Trigo11 00030 800A agricultura é o setor menos relevante da economia de Campos Novos. De todo o PIB da cidade 195 019 mil reais é o valor adicionado bruto da agropecuária.[61] Segundo o IBGE em 2010, o município contava com cerca de 53 457 bovinos, 1 721 equinos, 180 bubalinos, 145 290 suínos, 1 123 caprinos e 9 700 ovinos. Havia 1 979 033 aves, dentre estas 1 978 619 eram galos, frangas, frangos e pintinhos e 414 mil galinhas, sendo que foram produzidas 7 215 mil dúzias de ovos de galinha. 5 860 vacas foram ordenhadas, das quais foram produzidos 21 085 mil litros de leite. 4 mil ovinos foram tosquiados, produzindo um total de 9 500 quilos de lã. Também foram produzidos 31 mil quilos de mel de abelha.[64] Avicultura em Campos Novos.
Na lavoura temporária são produzidos principalmente o milho (140 400 toneladas produzidas e 18 mil hectares cultivados), a soja (132 mil toneladas produzidas e 40 mil hectares plantados) e o trigo (30 800 toneladas rendidas e 11 mil hectares cultivados).[63] Já na lavoura permanente destacam-se a erva-mate (240 toneladas produzidas e 60 hectares colhidos), a laranja (200 toneladas produzidas e 20 hectares colhidos) e a uva (108 toneladas produzidas e 27 hectares colhidos).[65]
A cidade é considerada como o "celeiro catarinense", sendo um dos principais produtores de milho, soja, feijão, trigo e cevada do estado. A agricultura, juntamente com o comércio é a principal fonte de renda da economia municipal. Várias cooperativas agrícolas estão presentes na cidade, tais como a Copercampos, criada em 8 de novembro de 1970, a Cooperativa Camponovense (Coocam), fundada em 1993, e a Apicampos, que auxilia o ramo da apicultura, que também é destaque em Campos Novos. Outra razão para o desenvolvimento da agricultura em Campos Novos é o surgimento dessas cooperativas, a partir da década de 70, que passaram a dar apoio aos agricultores e pecuaristas.[1] Sede da Coopercampos.
Setor secundário
A indústria, em 2011, era o segundo setor mais relevante para a economia do município. 198 024 mil reais do PIB municipal eram do valor adicionado bruto da indústria (setor secundário).[61] O setor industrial começou a se desenvolver no decorrer das décadas de 1930 e 1940, que passaram por um grande impulso com a vinda de descendentes ítalo-germânicos. Hoje a cidade busca um perfil econômico na busca pela industrialização do grande volume de matéria prima produzido em seu território, destacando-se nas áreas da metalurgia, beneficiamento de madeireira, confecções e papel.[1]
O município conta com uma área reservada para a construção e investimentos em indústria, localizada às margens da BR-470, contando com 12 lotes de até 5 mil m². Na EXPOCAMPOS, realizado no mês de maio de dois em dois anos, são expostos alguns dos principais trabalhos realizados nas áreas da indústria, comércio, agroindústria e artesanato.[66] Agência da Caixa Econômica.
Setor terciário
A prestação de serviços rende 415 110 mil reais ao PIB municipal, sendo que atualmente é a maior fonte geradora do PIB campos-novense.[61] O comércio na cidade começou a desenvolver-se e apresentar-se mais representativo na economia municipal no decorrer da primeira metade do século XX, pelo fortalecimento da vinda de descendentes ítalo-germânicos, assim como ocorreu com o setor industrial.[1]
Atualmente é considerado como o principal centro comercial da Associação dos Municípios do Planalto Sul de Santa Catarina (AMPLASC), órgão que auxilia o setor comercial do município e sua região. Outras entidades também contribuíram para o desenvolvimento comercial, devido ao apoio dado a pequenas e médias lojas, como a Câmara de Dirigentes Lojistas da cidade (CDL) e a Associação Comercial e Industrial de Campos Novos (ACIRCAN). Segundo estatísticas da Secretaria de Indústria e Comércio, entidade subordinada à prefeitura que colabora na coordenação das áreas comercial e industrial, os setores secundário e terciário somavam cerca de 700 mil estabelecimentos em Campos Novos.[1]Estrutura urbana[editar | editar código-fonte]
Saúde[editar | editar código-fonte]
Hospital Dr. José Athanásio.
Em 2009, o município possuía 21 estabelecimentos de saúde entre hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos, sendo 13 deles públicos e sete privados. Neles a cidade possuía 171 leitos para internação, sendo que 95 estão nos públicos e os 76 restantes estão nos privados.[67] Em 2011 99,3% das crianças menores de 1 ano estavam com a carteira de vacinação em dia.[68] Em 2010 foram registrados 459 nascidos,[68] sendo que o índice de mortalidade infantil a cada mil crianças menores de um ano de idade era de nulo[69] e 100% do total de nascidos vivos tiveram seus partos assistidos por profissionais de saúde.[70] Neste mesmo ano 20,3% do total de mulheres grávidas eram de meninas que tinham menos de 20 anos.[70] 5 558 crianças foram pesadas pelo Programa Saúde da Família, sendo que 0,4% delas estavam desnutridas.[43]
Secretaria Municipal de Saúde é o órgão ligado de forma direta à prefeitura do município de Campos Novos e tem por função a manutenção e funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS), assim como a criação de políticas, programas e projetos que visem à saúde municipal.[71] Dentre os serviços de apoio e atenção básica são alguns: o Programa Saúde da Família (PSF), o Paraná Assistencia Médica (PAM) e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).[72] Também há o Hospital Doutor José Athanásio, que conta com 89 leitos (79 pelo Sistema Único de Saúde) e é administrado pelo estado.[73]Educação[editar | editar código-fonte]
Biblioteca Pública Municipal.
O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) médio entre as escolas públicas de Campos Novos era, no ano de 2009, de 4,1 (numa escala de avaliação que vai de nota 1 à 10), sendo que a nota obtida por alunos do 5º ano (antiga 4ª série) foi de 4,1 e do 9º ano (antiga 8ª série) foi de 3,7; o valor das escolas municipais e estaduais de todo o Brasil era de 4,0. Entre as instituições particulares o índice municipal sobe para 6,2 (6,4 de alunos do 5º ano e 5,9 de alunos do 9º ano).[74]
O município contava, em 2009, com aproximadamente 7 008 matrículas nas redes públicas e particulares.[75] Segundo o IBGE, naquele mesmo ano, das 34 escolas do ensino fundamental, seis pertenciam à rede pública estadual, 25 à rede pública municipal e três eram escolas particulares. Dentre as 68 instituições de ensino médio, 32 pertenciam à rede pública estadual, 3 pertenciam à rede municipal e 33 às redes particulares.[75] Em 2000, 14,1% das crianças de 7 a 14 anos não estavam cursando o ensino fundamental. A taxa de conclusão, entre jovens de 15 a 17 anos naquele ano, era de 67,2%. O índice de alfabetização da população 15 ou mais de idade, em 2010, era de 98,7%.[74] Em 2006, para cada 100 meninas do ensino fundamental, havia 112 meninos.[76]
A Secretaria Municipal de Educação e Cultura tem como objetivo coordenar e assessorar administrativa e pedagogicamente o sistema escolar de Campos Novos.[77] São exemplos de programas coordenados pela Secretaria com foco voltado à população a Educação de Jovens e Adultos (EJA), que é a rede de ensino gratuita e voltada para adultos que não concluíram o ensino fundamental, a rede de Educação Especial, onde alunos que têm deficiência física são conduzidos por professores especializados, e a Programa Nacional de Bibliotecas Escolares.[78]
Educação de Campos Novos em números[75]
NívelMatrículasDocentesEscolas (total)
Ensino pré-escolar8989112
Ensino fundamental5 16930734
Ensino médio941644
Segurança pública e criminalidade[editar | editar código-fonte]
Delegacia da PMSC.
A provisão de segurança pública de Campos Novos é dada por diversos organismos. A Prefeitura mantém uma Guarda Municipal, tendo a função de proteger bens, serviços e instalações do Município e colaborar com o órgão de fiscalização municipal.[79] O Conselho Municipal de Defesa Civil (Comdec) se responsabiliza por ações preventivas, assistenciais, recuperativas e de socorro em situações de risco público e foi criado pela Lei Ordinária 2.373, de 24 de novembro de 1997, auxiliando o serviço do Corpo de Bombeiros, que foca em resgates e emergências.[80]
A Polícia Militar, uma força estadual, é a responsável pelo policiamento ostensivo, o patrulhamento bancário, ambiental, prisional, escolar e de eventos especiais, além de realizar ações de integração social.[81] Já a Polícia Civil tem o objetivo de combater e apurar as ocorrências de crimes e infrações.[82] O Poder Público estadual e municipal têm realizado diversas atividades para melhorar a segurança da cidade, como ampliando o quadro de efetivos[83] e realizando encontros e palestras sobre segurança pública com autoridades.[81]Habitação, serviços e comunicação[editar | editar código-fonte]
Sede do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE).
No ano de 2010, segundo o IBGE, a cidade tinha 10 526 domicílios particulares permanentes, sendo 9 719 casas, 786 apartamentos, treze casas de vilas ou em condomínios e oito cômodos ou cortiços. Do número total de domicílios, 7 485 eram imóveis próprios, sendo 7 058 próprios já quitados, 427 em aquisição e 1 820 alugados; 1 206 imóveis foram cedidos, sendo 542 por empregador e 664 cedidos de outra maneira. Quinze foram ocupados de outra forma. Grande parte do município conta com água tratada, energia elétrica, esgoto, limpeza urbana, telefonia fixa e telefonia celular. Naquele ano, 83,89% dos domicílios eram atendidos pela rede geral de abastecimento de água; 85,25% das moradias possuíam algum tipo de coleta de lixo e 59,14% das residências possuíam esgotamento sanitário via rede geral de esgoto ou pluvial.[84]
O primeiro sistema de abastecimento de água de Campos Novos foi criado a partir de um financiamento feito com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Fundação Nacional de Saúde (FUNASA), que era o órgão responsável por seu gerenciamento. Em 8 de agosto de 1966 foi criado o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE), para auxiliar o serviço, porém em 1999 a FUNASA deixa de existir, desenvolvendo-se então a administração da autarquia ao município. Hoje a cidade conta com uma estação de tratamento de água (ETA) localizada no distrito de Ibicuí, também sob responsabilidade do SAMAE.[85] Subestação da Eletrobrás.
A responsável pelo abastecimento de energia elétrica em Campos Novos é a Centrais Elétricas de Santa Catarina (CELESC), que atende ainda a outros diversos municípios do estado.[86] Em 2010, 99,8% dos domicílios do município eram atendidos pelo serviço.[84] A energia da cidade é gerada na Usina Hidrelétrica de Campos Novos, que é administrada pela Campos Novos Energia S.A. e abastece ainda a 25% de Santa Catarina.[20] Ainda há serviços de internet discada e banda larga (ADSL) sendo oferecidos por diversos provedores de acesso gratuitos e pagos. O serviço telefônico móvel, por telefone celular, é oferecido por diversas operadoras. Alguns pontos já contam com rede wireless (internet sem fio).[87] O código de área (DDD) de Campos Novos é 049[88] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) da cidade é o 89620-000.[89]
Há vários canais nas faixas Very High Frequency (VHF) e Ultra High Frequency (UHF), além de dois jornais. A primeira emissora de rádio fundada na cidade foi a Rádio Cultura de Campos Novos, criada em 1957, em decorrência da necessidade do acesso às informações e à cultura da população em crescimento.[1]Transportes[editar | editar código-fonte]
Terminal Rodoviário de Campos Novos.
O município já foi atendido por ferrovias. Havia uma estação ferroviária no município, que situava-se onde hoje está o distrito de Leão e foi inaugurada em 23 de fevereiro de 1926, pertencendo à Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande. Funcionou até 1997, quando a ferrovia foi abandonada pela empresa que a administrava, a Rede Ferroviária Federal (RFFSA), sendo demolida algum tempo mais tarde.[90]
A decadência das ferrovias deve-se ao avanço da construção de rodovias e aeroportos. Por via terrestre, o município está localizado no encontro das rodovias BR-282, BR-470, SC-455, SC-458 e SC-456, que a ligam, desde a pequenas cidades localizadas ao redor da região, até à capital catarinense, às grandes metrópoles brasileiras e outras cidades do Mercosul.[1] Campos Novos possui um terminal rodoviário, que está localizado no centro da cidade e liga a cidade, principalmente, a várias cidades do estado de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.[91] A cidade possui ainda transporte coletivo, que liga a região do centro ao bairros e distritos que possuem paradas de ônibus implantadas pela prefeitura e foi regularizado pela Lei nº 2364, de 9 de outubro de 2001.[92] Atualmente também há alguns aeroportos que operam próximos a Campos Novos, como o Aeroporto de Joaçaba (IATA: JCB, ICAO: SSJA), em Joaçaba, situado a cerca de 50 km do centro do município.[91]
A frota municipal no ano de 2010 era de 14 873 veículos, sendo 9 380 automóveis, 877 caminhões, 241 caminhões trator, 1 529 caminhonetes, 324 caminhonetas, 59 micro-ônibus, 1 442 motocicletas, 356 motonetas, 92 ônibus, dois tratores de rodas, 52 utilitários e 519 outros tipos de veículos.[93] As avenidas duplicadas e pavimentadas e diversos semáforos facilitam o trânsito da cidade, mas o crescimento no número de veículos nos últimos dez anos está gerando um tráfego cada vez mais lento de carros, principalmente na Sede do município. Além disso, tem se tornado difícil encontrar vagas para estacionar no centro comercial da cidade, o que vem gerando alguns prejuízos ao comércio.[94]Cultura[editar | editar código-fonte]
A responsável pelo setor cultural de Campos Novos é a Secretaria Municipal de Educação e Cultura, que, além de auxiliar a área da educação, também tem como objetivo planejar e executar a política cultural do município por meio da elaboração de programas, projetos e atividades que visem ao desenvolvimento cultural.[77]Artes cênicas e eventos[editar | editar código-fonte]
Museu Histórico e Arqueológico Sebastião Paz de Almeida.
A Fundação Cultural Camponvense Cid Caesar de Almeida Pedroso, criada pela lei nº 2.050, de 17 de março de 1994, é uma instituição cultural ligada à secretaria da cultura e que está sediada no antigo prédio da prefeitura que foi construído em 1919, sendo sede do poder executivo e legislativo até 1975. O lugar foi transformado na Casa da Cultura Coronel Gasparino Zorzi, e é utilizado como palco para várias atividades voltadas a cultura, como a música, artes visuais, dança, o teatro, oficinas e eventos. Além da cada, a Fundação ainda administra o Arquivo Histórico Dr. Waldemar Rupp, que é o arquivo histórico público municipal, e o Museu Histórico e Arqueológico Sebastião Paz de Almeida.[95]
Para estimular o desenvolvimento socioeconômico local, a secretaria da cultura, juntamente ou não com outras instituições e empresas locais, passou a investir mais no segmento de festas e eventos. Anualmente destaca-se a realização do Dia de Campo Copercampos, demonstrativo dos trabalhos da Copercampos, em fevereiro ou março;[96] do aniversário da cidade, que apesar de ser dia 30 de março tem comemorações que estendem-se por durante todo o mês;[97] da Festa do Padroeiro São João Batista, em junho, com missas e festas juninas;[98] da Romaria de Nossa Senhora Aparecida, que ocorre anualmente no dia 12 de outubro, dia da santa, e chega a atrair uma média de 70 mil fiéis que percorrem 3 km da Igreja Matriz até o Santuário da cidade;[99] e o Concurso Miss Campos Novos, em novembro.[100] De dois em dois anos ocorre ainda a EXPOCAMPOS, tradicional feira agropecuária da cidade.[101]Atrativos[editar | editar código-fonte]
Casa do Artesanato.
A cidade conta com várias pousadas, fazendas e hotéis situados na zona rural, onde o foco é o ecoturismo. As fazendas do Cervo e Santa Mônica e a Granja Triunfo contam com trilhas para caminhadas, áreas para camping e cavalgada e pesque-e-pague.[102][103][104] Também é possível agendar uma visita à Usina Hidrelétrica de Campos Novos.[105] No distrito de Barra do Leão localiza-se a Termas Leonense, fontes de águas termais sulfurosas que jorram a uma temperatura média de 33 °C, tendo ainda área para camping e piscinas cobertas, sendo que suas águas ajudam na cura de reumatismos e artrites, problemas de estômago, pele, estafa e insônia.[106]
No perímetro urbano a cidade conta com vários atrativos de valor histórico e cultural. Destacam-se a Igreja Matriz de São João Batista, em frente à Praça Lauro Müller, pelo seu interior decorado com esculturas em madeira, vitrais e pinturas; o Santuário de Nossa Senhora Aparecida;[107] e a Casa da Cultura Coronel Gasparino Zorzi, que, conforme citado anteriormente, funciona em um prédio que sediava a prefeitura e foi inaugurado em 1919, sendo tombado como patrimônio histórico municipal.[95]Esportes[editar | editar código-fonte]
Campeonato de rua de carrinhos de rolimã, realizado em 2010.
A Secretaria de Esporte e Lazer organiza frequentemente diversos eventos esportivos, tais como o Campeonato de Futebol de Campo Amador, a Taça Centenário, o Quadrangular de Bolão (futebol), o Torneio de Bocha, o Torneio de Voleibol e a Taça Rádio Cultura de Futsal, além do basquetebol ACAMB (Associação Camponovense de basquetebol) colaborar com o município e para a organização de eventos como o Campeonato Regional de Futebol, os Campeonatos Regionais e Estaduais de Caratê, o Campeonato Estadual de Judô e o Campeonato de Atletismo. A secretaria mantém ainda escolinhas de esporte para as crianças, que contam com a participação de cerca de 900 alunos, além de realizar os Jogos Escolares de Campos Novos (JECAM), que envolvem anualmente cerca de 1 500 estudantes de escolas municipais, estaduais e particulares da cidade.[108]
O principal time de futebol da cidade é o Clube Atlético Camponovense, que foi fundado em 3 de agosto de 1991 e manda seus jogos no Estádio Cid Pedroso, que tem capacidade para cerca de 4 mil pessoas.[109] Além desse estádio, são outros locais destinados à prática de esportes: o Ginásio Osni Jacomel, os Ginásios Humberto Calgaro e Juvelino Fernandes e o Ginásio Juvelino Fernandes, sendo que alguns possuem pista de skate, quadra de tênis, quadra de basquete de rua e quadra de voleibol de areia.[108]Feriados[editar | editar código-fonte]
Em Campos Novos há três feriado municipais, definidos pela Lei Orgânica Municipal, e oito feriados nacionais, além dos pontos facultativos. Os feriados municipais são: o dia da emancipação política da cidade, em 30 de março; o dia do padroeiro São João Batista, em 24 de junho; e o dia de Nossa Senhora Aparecida, em 12 de outubro.[110] De acordo com a lei federal nº 9.093, aprovada em 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais com âmbito religioso, já incluída a Sexta-Feira Santa.[111][112]Ver também[editar | editar código-fonte]
Lista de municípios de Santa Catarina
Lista de municípios de Santa Catarina por data de criação
Lista de municípios de Santa Catarina por população
Naturais de Campos Novos
Referências? a b c d e f g h i j k l m n o p q r Prefeitura. «História». Consultado em 21 de julho de 2012. Cópia arquivada em 21 de julho de 2012 ? a b c Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). «Campos Novos - Histórico» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 21 de julho de 2012. Cópia arquivada em 21 de julho de 2012 ? a b Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais (19 de julho de 2013). «Divisão Territorial do Brasil». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 4 de dezembro de 2013 ? Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011 ? Citação vazia (ajuda) ? a b Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking IDH-M Municípios 2010». Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 4 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2013 ? Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2011). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2011 » PIB a preços correntes » Comparação entre os Municípios: Santa Catarina». Consultado em 27 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 27 de dezembro de 2013 ? Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2011). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2011 » PIB per capita a preços correntes » Comparação entre os Municípios: Santa Catarina». Consultado em 27 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 27 de dezembro de 2013 ? Carneiro, Márcio Matos (2006). Origem dos nomes dos municípios de Santa Catarina. Blumenau: Nova Letra. p. 56 ? Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro. «Em Direção ao Rio da Prata». Consultado em 21 de julho de 2012. Cópia arquivada em 21 de julho de 2012 ? Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro. «Bandeiras de apresamento e o sertanismo de contrato». Consultado em 21 de julho de 2012. Cópia arquivada em 21 de julho de 2012 ? Carlos Leite Ribeiro. «Bandeirantes - Os grandes desbravadores do Brasil». Portal Cen. Consultado em 21 de julho de 2012. Cópia arquivada em 21 de julho de 2012 ? a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (16 de novembro de 2011). «Sinopse por setores». Consultado em 23 de julho de 2012 ? a b Prefeitura. «Distritos». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? tripod.com. «Guerra do Contestado». Consultado em 21 de julho de 2012. Cópia arquivada em 21 de julho de 2012 ? Embrapa Monitoramento por Satélite. «Santa Catarina». Consultado em 21 de julho de 2012. Cópia arquivada em 6 de maio de 2012 ? Prefeitura. «Como chegar?». Consultado em 21 de julho de 2012. Cópia arquivada em 21 de julho de 2012 ? a b Prefeitura. «Solo». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Hidrografia». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? a b Campos Novos Energia (Enercan) (2011). «Usina». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? World Map of the Köppen-Geiger climate classification. «World Map of the Köppen-Geiger climate classification». Institute for Veterinary Public Health. Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de abril de 2011 ? Portal Brasil (6 de janeiro de 2010). «Clima». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2011 ? Biblioteca IBGE. «Brasil - Climas». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2011 ? a b Prefeitura. «Clima». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? a b «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 14 de maio de 2018 ? a b «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Campos Novos». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 25 de outubro de 2015 ? Campos Novos Energia (Enercan) (1º de fevereiro de 2011). «Enercan orienta sobre as queimadas». Consultado em 22 de junho de 2012. Cópia arquivada em 22 de junho de 2012 ? Ariadne Niero (4 de agosto de 2010). «Neve cai em dez cidades de SC». Engeplus. Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) (1º de agosto de 2013). «Boletim agroclimatológico mensal - julho de 2013». Consultado em 12 de setembro de 2013 ? a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Campos Novos». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 25 de outubro de 2015 ? a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Campos Novos». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 25 de outubro de 2015 ? CNI Brasil (19 de março de 2005). «Os problemas da Barragem de Campos Novos». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? Prefeitura (2 de março de 2012). «Prefeito participa do lançamento do Programa de Conservação das APPs». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? a b Fundação do Meio Ambiente (FATMA). «Parque Estadual Rio Canoas». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Observatório Catarinense do Ambiente. «Ecossistemas Catarinenses». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? José Geuster Cleiton; Favretto, Mario Arthur (2014). «Distribuição de orquídeas e bromélias no oeste de Santa Catarina, sul do Brasil». Biota Amazônia. 4 (4): 52-59 A referência emprega parâmetros obsoletos |coautores= (ajuda)? Favretto, Mario Arthur; Cleiton José, Geuster (2011). Orquídeas e bromélias do Vale do Rio do Peixe, Santa Catarina, Brasil. [S.l.: s.n.] 146 páginas. ISBN 978-85-915509-2-0 ? Favretto, Mario Arthur; Geuster, Cleiton José (2008). «Observações ornitológicas no oeste de Santa Catarina - parte I». Atualidades Ornitológicas (143): 49-43 A referência emprega parâmetros obsoletos |coautores= (ajuda)? Favretto, Mario Arthur; Geuster, Cleiton José (2008). «Observações ornitológicas no oeste de Santa Catarina - parte II». Atualidades Ornitológicas (144) A referência emprega parâmetros obsoletos |coautores= (ajuda)? Via Rural. «Via Rural: Parque Estadual Rio Canoas». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). «Censo Populacional 2010» (PDF). Consultado em 11 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? a b Cidades@ - IBGE. «Indicadores sociais dos municípios brasileiros». Consultado em 22 de julho de 2012 ? a b c Portal ODM (2010). «1 - acabar com a fome e a miséria». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? Portal ODM (2010). «7 - qualidade de vida e respeito ao meio ambiente». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? a b c d Sidra (Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática) (2000). «População residente por cor ou raça e religião». Consultado em 22 de julho de 2012 ? Diocese e Joaçaba. «Diocese». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Igreja Matriz ? Paróquia São João Batista». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? «Santuário de Nossa Senhora Aparecida». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? A Notícia (13 de outubro de 1999). «Procissão em Campos Novos reúne 50 mil». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? Sidra (Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática) (2010). «Tabela 3175 - População residente, por cor ou raça, segundo a situação do domicílio, o sexo e a idade». Consultado em 22 de julho de 2012 ? Sidra (Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática) (2010). «Tabela 3172 - Emigrantes internacionais, por sexo, segundo as Grandes Regiões e Unidades da Federação das pessoas com quem residiram antes de emigrarem». Consultado em 22 de julho de 2012 ? Sidra (Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática) (2010). «Tabela 3173 - Emigrantes internacionais, por sexo, segundo os continentes e países estrangeiros de destino». Consultado em 22 de julho de 2012 ? Flávio Henrique M. Lima (8 de fevereiro de 2006). «O Poder Público Municipal à frente da obrigação constitucional de criação do sistema de controle interno». JusVi. Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 6 de maio de 2012 ? Eleições 2016 (7 de outubro de 2016). «Zancanaro 55». Consultado em 20 de fevereiro de 2017 ? DJI. «Constituição Federal - CF - 1988». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 19 de junho de 2012 ? Eleições 2016 (7 de outubro de 2016). «Candidatos a Vereador Campos Novos/SC». Consultado em 20 de fevereiro de 2017 ? Prefeitura. «Lei Orgânica do Município». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? Poder Judiciário de Santa Catarina. «Conciliadores da Comarca de Campos Novos». Consultado em 22 de julho de 2012. Cópia arquivada em 22 de julho de 2012 ? Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (15 de agosto de 2011). «Consulta Quantitativo». Consultado em 22 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Bairros». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? a b c d e Cidades@ - IBGE (2011). «Produto Interno Bruto dos Municípios». Consultado em 7 de fevereiro de 2014 ? Cidades@ - IBGE (2010). «Estatísticas do Cadastro Central de Empresas». Consultado em 23 de julho de 2012 ? a b Cidades@ - IBGE (2010). «Lavoura Temporária 2010». Consultado em 23 de julho de 2012 ? Cidades@ - IBGE (2010). «Pecuária 2010». Consultado em 23 de julho de 2012 ? Cidades@ - IBGE (2010). «Lavoura Permanente 2010». Consultado em 23 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Indústria». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? Cidades@ - IBGE (2009). «Serviços de Saúde 2009». Consultado em 23 de julho de 2012 ? a b Portal ODM (2010). «Perfil municipal». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? Portal ODM (2010). «4 - reduzir a mortalidade infantil». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? a b Portal ODM (2010). «5 - melhorar a saúde das gestantes». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Secretaria Municipal de Saúde». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Projetos e Realizações -> Saúde». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? DATASUS (22 de julho de 2012). «Identificação». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? a b Portal ODM (2010). «2 - educação básica de qualidade para todos». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? a b c Cidades@ - IBGE (2009). «Ensino, matrículas, docentes e rede escolar 2009». Consultado em 23 de julho de 2012 ? Portal ODM (2010). «3 - igualdade entre os sexos e valorização da mulher». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? a b Prefeitura. «Secretaria Municipal de Educação e Cultura». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de junho de 2012 ? Prefeitura. «Educação». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? Leis Municipais (21 de novembro de 2000). «Lei Orgânica do município de Campos Novos». Consultado em 9 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 17 de outubro de 2011 ? Solange Nohatto (4 de março de 2009). «Corpo de Bombeiros e Defesa Civil palestram sobre como agir em situações de desastres naturais». Prefeitura. Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? a b Sargento Soares (20 de abril de 2011). «Deputado discute segurança pública em Campos Novos». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? Polícia Civil de Minas Gerais (2007). «Serviços». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 14 de novembro de 2011 ? Jornal Pauta (22 de agosto de 2011). «PM terá 40 novos soldados na região do meio-oeste». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? a b Cidades@ - IBGE (2010). «Censo Demográfico 2010: Características da População e dos Domicílios: Resultados do Universo». Consultado em 23 de julho de 2012 ? Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE). «O SAMAE». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? Centrais Elétricas de Santa Catarina (CELESC) (23 de fevereiro de 2012). «Horário de verão termina no domingo, dia 26». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? Associação Brasileira dos Usuários de Acesso Rápido. «Provedores de Todo o Brasil». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? DDD Cidade. «DDD». Consultado em 23 de julho de 2012. Cópia arquivada em 23 de julho de 2012 ? Correios. «CEP de cidades brasileiras». Consultado em 23 de julho de 2012 ? Estações Ferroviárias do Brasil (29 de agosto de 2010). «Leão». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? a b Caçador.com. «Campos Novos - Tradição e Cultura». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? JusBrasil (9 de outubro de 2001). «Lei nº 2364 de 09 de outubro de 2001 do Campos Novos». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? «Frota 2010». Cidades@ - IBGE. 2009. Consultado em 24 de julho de 2012 ? Thomas Michel (9 de julho de 2012). «Rótula e congestionamento na BR-282». CL News. Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? a b Prefeitura. «Fundação Cultural Camponvense Cid Caesar de Almeida Pedroso». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Dia de Campo Copercampos». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Aniversário de 131 Anos de Campos Novos». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Festa do Padroeiro São João Batista». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Romaria de Nossa Senhora Aparecida». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Miss Campos Novos». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Campos Novos Energia S.A. (21 de março de 2007). «Fundo de Desenvolvimento será apresentado na EXPOCAMPOS». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Fazenda do Cervo». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Fazenda Santa Mônica». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Granja Triunfo». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Usina Hidrelétrica de Campos Novos». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Termas Leonense». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Turismo Religioso». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? a b Prefeitura. «Secretaria de Esporte e Lazer». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Golaço. «Camponovense». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Prefeitura. «Feriados». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 24 de julho de 2012 ? Sérgio Ferreira Pantaleão. «Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual». Guia Trabalhista. Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011 ? Presidência da República. «Lei n.º 9.093, de 12 de setembro de 1995». Consultado em 24 de julho de 2012. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011
Ligações externas[editar | editar código-fonte]Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Definições no Wikcionário
Textos originais no Wikisource
Categoria no Commons
Commons
Wikisource
WikcionárioPrefeitura de Campos Novos
Câmara Municipal de Campos Novos
Mapas
Campos Novos no WikiMapia
Campos Novos no Google MapsOuça o artigo (info)
Este áudio foi criado a partir da revisão datada de 13/01/2013 e pode não refletir mudanças posteriores ao artigo (ajuda com áudio).
Mais artigos audíveisvde Hierarquia urbana do Brasil
Demografia do Brasil
Municípios do Brasil
vdeMetrópolesMetrópoles globais
São Paulo
Metrópoles nacionais
Brasília
Rio de Janeiro
Metrópoles regionais
Belém
Belo Horizonte
Curitiba
Fortaleza
Goiânia
Manaus
Porto Alegre
Recife
Salvador
vdeCapitais regionaisCapitais regionais A
Aracaju
Campinas
Campo Grande
Cuiabá
Florianópolis
João Pessoa
Maceió
Natal
São Luís
Teresina
Vitória
Capitais regionais B
Blumenau
Campina Grande
Cascavel
Caxias do Sul
Chapecó
Feira de Santana
Ilhéus/Itabuna
Joinville
Juiz de Fora
Londrina
Maringá
Ribeirão Preto
São José do Rio Preto
Uberlândia
Montes Claros
Palmas
Passo Fundo
Porto Velho
Santa Maria
Vitória da Conquista
Capitais regionais C
Araçatuba
Araguaína
Arapiraca
Araraquara
Barreiras
Bauru
Boa Vista
Cachoeiro de Itapemirim
Campos dos Goytacazes
Caruaru
Criciúma
Divinópolis
Dourados
Governador Valadares
Ijuí
Imperatriz
Ipatinga/Coronel Fabriciano/Timóteo
Juazeiro do Norte/Crato/Barbalha
Macapá
Marabá
Marília
Mossoró
Novo Hamburgo/São Leopoldo
Pelotas/Rio Grande
Petrolina/Juazeiro
Piracicaba
Ponta Grossa
Pouso Alegre
Presidente Prudente
Rio Branco
Santarém
Santos
São José dos Campos
Sobral
Sorocaba
Teófilo Otoni
Uberaba
Varginha
Volta Redonda/Barra Mansa
vdeCentros sub-regionaisCentros sub-regionais A
Alfenas
Anápolis
Apucarana
Bacabal
Bagé
Barbacena
Barra do Garças
Barretos
Bento Gonçalves
Botucatu
Cabo Frio
Caçador
Cáceres
Caicó
Cajazeiras
Campo Mourão
Castanhal
Catanduva
Caxias
Colatina
Crateús
Erechim
Floriano
Foz do Iguaçu
Franca
Francisco Beltrão
Garanhuns
Guanambi
Guarabira
Guarapuava
Iguatu
Irecê
Itajaí
Itaperuna
Itumbiara
Jacobina
Jaú
Jequié
Ji-Paraná
Joaçaba
Lages
Lajeado
Lavras
Limeira
Macaé
Manhuaçu
Muriaé
Nova Friburgo
Ourinhos
Paranaguá
Paranavaí
Parnaíba
Passos
Pato Branco
Patos
Patos de Minas
Pau dos Ferros
Paulo Afonso
Picos
Pinheiro
Poços de Caldas
Ponte Nova
Quixadá
Redenção
Rio Claro
Rio do Sul
Rio Verde
Rondonópolis
Santa Cruz do Sul
Santa Inês
Santa Rosa
Santo Ângelo
Santo Antônio de Jesus
São Carlos
São João da Boa Vista
São Mateus
Serra Talhada
Sinop
Sousa
Teixeira de Freitas
Toledo
Tubarão
Ubá
Umuarama
Uruguaiana
Centros sub-regionais B
Abaetetuba
Assu
Afogados da Ingazeira
Alagoinhas
Altamira
Andradina
Angra dos Reis
Araranguá
Araras
Araripina
Arcoverde
Ariquemes
Assis
Avaré
Balneário Camboriú
Balsas
Bom Jesus da Lapa
Bragança
Bragança Paulista
Breves
Brumado
Brusque
Cacoal
Cametá
Campo Maior
Capanema
Caratinga
Carazinho
Cataguases
Chapadinha
Cianorte
Concórdia
Conselheiro Lafaiete
Cruz Alta
Cruz das Almas
Cruzeiro do Sul
Currais Novos
Eunápolis
Frederico Westphalen
Guaratinguetá
Gurupi
Itabaiana
Itaberaba
Itaituba
Itajubá
Itapetininga
Itapeva
Itapipoca
Itaporanga
Ituiutaba
Ivaiporã
Janaúba
Linhares
Mafra
Palmares
Paragominas
Parintins
Pedreiras
Presidente Dutra
Registro
Resende
Ribeira do Pombal
Santana do Ipanema
Santo Antônio da Platina
São João del-Rei
São Lourenço
São Miguel do Oeste
São Raimundo Nonato
Senhor do Bonfim
Tefé
Teresópolis
Tucuruí
União da Vitória
Valença
Viçosa
Videira
Vilhena
Vitória de Santo Antão
Xanxerê
vdeCentros de zonaCentros de zona A
Acaraú
Açailândia
Adamantina
Além Paraíba
Almeirim
Almenara
Alta Floresta
Amparo
Aquidauana
Aracati
Aracruz
Araçuaí
Arapongas
Araxá
Assis Chateubriand
Barra do Corda
Barreiros
Bebedouro
Belo Jardim
Birigui
Bom Jesus
Caçapava do Sul
Cachoeira do Sul
Caetité
Caldas Novas
Camacan
Camaquã
Campo Belo
Campos Novos
Canindé
Canoinhas
Capelinha
Carangola
Carpina
Catalão
Catolé do Rocha
Caxambu
Ceres
Cerro Largo
Codó
Colinas do Tocantins
Conceição do Araguaia
Conceição do Coité
Cornélio Procópio
Corumbá
Corrente
Cruzeiro
Curitibanos
Cururupu
Curvelo
Diamantina
Diamantino
Dianópolis
Dois Vizinhos
Dracena
Encantado
Esperantina
Estância
Estrela
Fernandópolis
Formiga
Frutal
Governador Nunes Freire
Goiana
Goiás
Guanhães
Guaporé
Guaraí
Guaxupé
Ibaiti
Ibirubá
Icó
Imbituba
Ipiaú
Iporá
Irati
Itabaiana
Itabira
Itacoatiara
Itamaraju
Itapetinga
Ituverava
Jacarezinho
Jales
Jandaia do Sul
Januária
Jaru
Jataí
João Câmara
João Monlevade
Juína
Jundiaí
Lagarto
Lagoa Vermelha
Laranjeiras do Sul
Limoeiro
Limoeiro do Norte
Lins
Loanda
Macau
Macaúbas
Mamanguape
Marau
Maravilha
Marechal Cândido Rondon
Medianeira
Mineiros
Mirassol d'Oeste
Mogi Guaçu
Monteiro
Montenegro
Morrinhos
Mundo Novo
Naviraí
Nossa Senhora da Glória
Nova Andradina
Nova Prata
Nova Venécia
Oeiras
Olímpia
Osório
Ouricuri
Palmas
Palmeira das Missões
Palmeira dos Índios
Pará de Minas
Paraíso do Tocantins
Parauapebas
Patrocínio
Penápolis
Penedo
Pesqueira
Pinhalzinho
Pirapora
Pires do Rio
Piripiri
Pombal
Ponta Porã
Porangatu
Porto Nacional
Porto Seguro
Primavera do Leste
Propriá
Quirinópolis
Rolim de Moura
Russas
Salgueiro
Salinas
Santa Fé do Sul
Santa Inês
Santa Maria da Vitória
Santo Antônio de Pádua
Santiago
São Bento do Sul
São Borja
São Félix do Araguaia
São Gabriel
São Jerônimo
São José do Rio Pardo
São Luís de Montes Belos
São Luiz Gonzaga
São Miguel dos Campos
Sarandi
Seabra
Serrinha
Soledade
Sorriso
Surubim
Tabatinga
Taquara
Tatuí
Telêmaco Borba
Tijucas
Timbaúba
Timbó
Tocantinópolis
Torres
Três Corações
Três de Maio
Três Lagoas
Três Passos
Três Rios
Tupã
Unaí
União dos Palmares
Uruaçu
Vacaria
Venâncio Aires
Votuporanga
Xique-Xique
Centros de zona B
Abaeté
Abelardo Luz
Abre Campo
Afonso Cláudio
Água Boa
Água Branca
Águas Formosas
Aimorés
Alegrete
Alexandria
Alto Araguaia
Alto Longá
Alto Parnaíba
Amambai
Amarante
Amargosa
Andirá
Andradas
Anicuns
Anísio de Abreu
Aparecida
Apiaí
Apodi
Araguaçu
Araguari
Araguatins
Araioses
Araputanga
Arara
Araruama
Araruna
Arcos
Arinos
Arroio do Meio
Arvorezinha
Auriflama
Avelino Lopes
Baependi
Bambuí
Bariri
Barra
Barra Bonita
Barra de São Francisco
Barra do Bugres
Barras
Barracão
Bataguassu
Batalha
Bela Vista
Belém do São Francisco
Bicas
Boa Esperança
Boa Vista do Buricá
Bom Jardim de Minas
Bom Jesus do Itabapoana
Boquira
Braço do Norte
Brasileia
Brejo Santo
Buritis
Caculé
Camapuã
Cambuí
Camocim
Campina da Lagoa
Campo Novo do Parecis
Campos Altos
Campos Belos
Canguaretama
Canindé de São Francisco
Canto do Buriti
Capanema
Capão da Canoa
Capim Grosso
Capinzal
Capitão Poço
Capivari
Caracol
Carauari
Carmo do Paranaíba
Carutapera
Casca
Cassilândia
Castelo
Castelo do Piauí
Cerejeiras
Chapadão do Sul
Chopinzinho
Cícero Dantas
Coelho Neto
Colíder
Colinas
Coluna
Comodoro
Confresa
Congonhas
Constantina
Coronel Vivida
Coxim
Cristal do Sul
Crixás
Cruz
Cruzília
Curimatá
Delmiro Gouveia
Desterro
Dores do Indaiá
Entre Rios de Minas
Esperantinópolis
Espírito Santo do Pinhal
Espumoso
Euclides da Cunha
Eirunepé
Extrema
Fátima
Faxinal
Floresta
Fortaleza dos Nogueiras
Fronteiras
Gandu
Garça
Garibaldi
General Salgado
Getúlio Vargas
Gilbués
Goianésia
Goiatuba
Goioerê
Grajaú
Guaíra
Guajará-Mirim
Guaraciaba do Norte
Guararapes
Horizontina
Ibicaraí
Ibirama
Ibotirama
Ilha Solteira
Indaial
Inhumas
Ipanema
Ipu
Iracema
Itaberaí
Itacarambi
Itamonte
Itaocara
Itapaci
Itapajé
Itapiranga
Itápolis
Itapuranga
Itaqui
Itararé
Itaúna
Ituporanga
Iturama
Jaciara
Jacutinga
Jaguaquara
Jaguariaíva
Jaguaribe
Jaicós
Jardim
Joaíma
João Pinheiro
Juara
Jussara
Lábrea
Lago da Pedra
Lagoa da Prata
Lambari
Leme
Leopoldina
Livramento de Nossa Senhora
Lorena
Lucas do Rio Verde
Lucélia
Luzilândia
Machado
Malacacheta
Manga
Mantena
Maracaçumé
Matão
Matinhos
Miranda
Miracema do Tocantins
Mirinzal
Mococa
Monte Alegre
Monte Alto
Monte Aprazível
Monte Carmelo
Mostardas
Muçum
Nanuque
Natividade
Nazaré
Neópolis
Niquelândia
Nonoai
Nossa Senhora das Dores
Nova Londrina
Nova Mutum
Nova Petrópolis
Oliveira
Orlândia
Osvaldo Cruz
Olho d'Água das Flores
Ouro Fino
Ouro Preto do Oeste
Palmeira
Palmeira d'Oeste
Palmeirópolis
Pão de Açúcar
Paracatu
Paraguaçu Paulista
Paraisópolis
Paramirim
Paranacity
Paranaíba
Parelhas
Passa-e-Fica
Patu
Paulistana
Peçanha
Pedra Azul
Pedro II
Pedro Afonso
Peixoto de Azevedo
Piancó
Pinheiro Machado
Pio XII
Piraju
Piracuruca
Pitanga
Pitangui
Piumhi
Poções
Ponte Serrada
Pontes e Lacerda
Porteirinha
Porto Calvo
Porto União
Posse
Presidente Epitácio
Presidente Getúlio
Presidente Juscelino
Presidente Venceslau
Princesa Isabel
Prudentópolis
Quatis
Quedas do Iguaçu
Rancharia
Resplendor
Riachão do Jacuípe
Rio Bonito
Rio Negro
Rio Pomba
Rio Real
Rodeio Bonito
Roncador
Rubiataba
Salto do Jacuí
Salvador do Sul
Sananduva
Sanclerlândia
Santa Bárbara
Santa Cruz
Santa Cruz da Baixa Verde
Santa Cruz do Rio Pardo
Santa Filomena
Santa Helena
Santa Luzia
Santa Luzia do Paruá
Santa Maria do Suaçuí
Santa Vitória do Palmar
Santana
Santana do Livramento
Santo Antônio
Santo Antônio da Patrulha
Santo Augusto
Santos Dumont
São Bento (Maranhão)
São Bento (Paraíba)
São Benedito
São Domingos
São Francisco
São Gabriel da Palha
São Gotardo
São João Batista
São João do Ivaí
São João do Piauí
São João dos Patos
São João Nepomuceno
São Joaquim da Barra
São José do Cedro
São José do Egito
São João do Rio do Peixe
São João Evangelista
São José do Cedro
São Lourenço do Oeste
São Mateus do Sul
São Miguel
São Miguel do Araguaia
São Miguel do Tapuio
São Paulo do Potengi
São Sebastião
São Sebastião do Caí
São Valentim
São Vicente Férrer
Sapé
Seara
Sena Madureira
Senador Pompeu
Serafina Corrêa
Serra Dourada
Serro
Simões
Simplício Mendes
Sinimbu
Siqueira Campos
Sobradinho
Sombrio
Sumé
Tabira
Taguatinga
Taió
Taiobeiras
Tangará
Tapejara
Tapes
Taquaritinga
Tarauacá
Tauá
Tenente Portela
Terra Nova do Norte
Teutônia
Tietê
Tramandaí
Três Pontas
Tucumã
Tucunduva
Turmalina
Tutóia
Uiraúna
Umarizal
União
Uruçuí
Valença
Valença do Piauí
Valente
Várzea da Palma
Vazante
Venda Nova do Imigrante
Veranópolis
Viana
Vigia
Vila Rica
Virginópolis
Visconde do Rio Branco
Vitorino Freire
Xaxim
Xinguara
Wenceslau Braz
Zé Doca
Referências: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Regiões de Influência das Cidades 2007 (10 de outubro de 2008), [1] Configuração da Rede Urbana do Brasil (junho de 2001)
vdeRegião Metropolitana do ContestadoAbdon Batista * Água Doce * Alto Bela Vista * Arabutã * Arroio Trinta * Brunópolis * Caçador * Calmon * Campos Novos * Capinzal * Catanduvas * Celso Ramos * Concórdia * Erval Velho * Fraiburgo * Herval d'Oeste * Ibiam * Ibicaré * Iomerê * Ipira * Ipumirim * Irani * Jaborá * Joaçaba * Lacerdópolis * Lebon Régis * Lindóia do Sul * Luzerna * Macieira * Matos Costa * Monte Carlo * Ouro * Peritiba * Pinheiro Preto * Piratuba * Presidente Castello Branco * Rio das Antas * Salto Veloso * Tangará * Timbó Grande * Treze Tílias * Vargem * Vargem Bonita * Videira * Zortéa Santa Catarina, Brasil
Portal de Santa Catarina Portal do Brasil