agência de comunicação integrada em São Miguel Arcanjo


Encontre agência de comunicação integrada em São Miguel Arcanjo na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

Nota: ""São Miguel Arcanjo"" redireciona para este artigo. Para o município paulista, veja São Miguel Arcanjo (São Paulo). Para outros significados, veja São Miguel (desambiguação).São Miguel Arcanjo
Arcanjo Miguel por Guido Reni.Arcanjo, "Príncipe da Milícia Celeste", "Arcanjo General", "Baluarte do Céu"
Veneração porCristianismo JudaísmoIslamismo Religiões Afro-Brasileiras
Festa litúrgica29 de setembro AtribuiçõesEscudo ("Quis ut Deus"); Lutando contra o Dragão l; segurando a balança, como o juiz dos mortos Padroeirodos fuzileiros navais, marinheiros, motoristas de ambulância, paramédicos, policiais, paraquedistas, radiologistas, radioterapeutas e das cidades de, Kiev, Arcangel, Dumfries e Santos Dumont
Portal dos Santos





















Miguel (em hebraico: ???????? (Micha'el ou Mîkh?'?l; em grego: ?????? , Mikha?l; em latim: Michael ou Míchaël; em árabe: ???????, M?kh?'?l) é um arcanjo nas doutrinas religiosas judaicas, cristãs e islâmicas. Os católicos, anglicanos e luteranos se referem a ele como São Miguel Arcanjo ou simplesmente como São Miguel. Os ortodoxos se referem a ele como Texiarca Arcanjo Miguel [carece de fontes?] ou simplesmente como Arcanjo Miguel. É sincretizado nas religiões afro-brasileiras com o orixá Exu.[1] Em Pernambuco, é sincretizado com o orixá Oxóssi.[2]
Em hebraico, Miguel significa "aquele que é similar a Deus" (mi-"quem", ka-"como", El-"deus"), o que é tradicionalmente interpretado como uma pergunta retórica: "Quem como Deus?" (em latim: Quis ut Deus?), para a qual se espera uma resposta negativa, e que implica que ninguém é como Deus. Assim, Miguel é reinterpretado como um símbolo de humildade perante Deus.[3]
Na Bíblia Hebraica, Miguel é mencionado três vezes no Livro de Daniel, uma como um "grande príncipe que defende as crianças do seu povo". A ideia de Miguel como um advogado de defesa dos judeus se tornou tão prevalente que, a despeito da proibição rabínica contra se apelar aos anjos como intermediários entre Deus e seu povo, Miguel acabou tomando um lugar importante na liturgia judaica.
Em Apocalipse 12:7-9, Miguel lidera os exércitos de Deus contra as forças de Satã e seus anjos e os derrota durante a guerra no céu.
Na Epístola de Judas, Miguel é citado especificamente como "arcanjo". Os santuários cristãos em honra a Miguel começaram a aparecer no século IV, quando ele era percebido como um anjo de cura, e, com o tempo, como protetor e líder do exército de Deus contra as forças do mal. Já no século VI, a devoção a São Miguel já havia se espalhado tanto no oriente quanto no ocidente. Com o passar dos anos, as doutrinas sobre ele começaram a se diferenciar.Índice1 Etimologia1.1 Do termo ?Arcanjo?
1.2 Do termo ?Miguel?
2 Referências nas Escrituras2.1 Bíblia Hebraica
2.2 Novo Testamento
2.3 Nos apócrifos
3 Cristianismo3.1 Cristianismo primitivo
3.2 Catolicismo
3.3 Protestantismo primitivo
3.4 Testemunhas de Jeová
3.5 Adventistas do Sétimo Dia
3.6 Mórmons
4 O anjo Miguel nos manuscritos do Mar Morto
5 Festas, patronato e ordens5.1 Festas
5.2 Patronatos e ordens
6 Imagens
7 Referências
8 Ver também
9 Ligações externasEtimologia[editar | editar código-fonte]
Do termo ?Arcanjo?[editar | editar código-fonte]
Arcanjo, num fragmento da Epístola de Judas (Tadeu) no Codex Sinaiticus (330-350 A.D.)
Arcanjo tem duas raízes, ?arch? e ?angelos?.
O prefixo grego ?arch? (???) deriva de ?arché? (????) que se refere tanto a ?começo, ponto de partida, princípio?, como ?suprema substância subjacente? ou ?princípio supremo indemonstrável?.[4]
A partir dessa raiz ?arché? temos o antepositivo ?arch?, em português, com o sentido de ?aquilo que está na frente, o que está no começo, na origem, ponto de partida de um entroncamento?,[4] sendo traduzido ?acima?, ?superior? ou ?mais importante? e ?o que governa, que dirige, que comanda, que lidera? e ainda carregando consigo ideias de poder, autoridade, império e superioridade.[5]
Quanto ao grego ?angelos? (???????), vertido para ?anjo?, significa simplesmente ?mensageiro?.
A partir dessas raízes, portanto, a palavra ?Arcanjo? (??????????) se traduz ?Líder dos Mensageiros?, ?Chefe dos Mensageiros? [6] "Capitão dos Anjos",[7]"Primeiro Anjo",[7] ?Acima dos Anjos?, ?Superior aos Anjos? [4]
[8]
[9] ?Anjo Superior? [10] ou ?Anjo Chefe?,[11][12][13][14] num aspecto qualitativo de liderança e substancialmente de superioridade,[9] da mesma maneira que se traduz palavras com o mesmo radical, tal como ?arquiteto? (chefe dos construtores), ?arcebispo? (classe hierárquica superior a Bispo), ?hierarquia? (poder sagrado) ou ?anarquia? (falta ou ausência de poder). Miguel em Hebraico
Do termo ?Miguel?[editar | editar código-fonte]
A tradução literal para o nome Miguel é ?Aquele/Quem como Deus?.Mi = Aquele/Quem(?)
Kha = Como
El = Deus
Como no hebraico não existia sinais de pontuação, algumas palavras trariam consigo um significado inquisitivo. Por isso a partícula ?Mi? que significa ?quem? muitas vezes é traduzida sintaticamente como interrogação, ocorrendo em 350 textos do Antigo Testamento onde é mencionada.[15]
Exemplo:?Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem irá por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim.? (Is. 6:8)
?????????? ???- ???? ??????? ????? ???- ??? ???????? ????? ??????- ????? ??????? ??????? ??????????:
(Texto Original Hebraico)[16]
va'eshma et qol adonai omer et·mi esh'lach umi ielech·lanu vaomar hineni shelacheni (Texto Original Transliterado)[17]
Dessa forma, o Talmude sugere uma interpretação inquisitiva para o nome Miguel, tendo a tradução contextual ?Quem é como Deus??[18]
[18]
[19]
[20]
[21]
[22]
[23]
[24]
[25]
[26]
[27]
[28]
[29] ou ?Quem é semelhante a Deus??.[30][31][32] Este entendimento hoje não é compartilhado somente pela comunidade judaica, pois mais tarde foi incorporado pela cristandade em geral ?para não colocar em causa a própria Escritura?, tanto por católicos e evangélicos, como adventistas,[33] e também por outras comunidades religiosas, como as testemunhas de Jeová e os islâmicos. Mas para as cosmovisões judaica, jeovista e muçulmana, o pressuposto de não haver nenhuma outra pessoa igual a Deus (Sl. 35:10; 89:8) é literal, implicando sugestivamente a resposta ?Ninguém é Igual a Deus? num entendimento retórico.
Quanto ao sufixo ?El?, é também relacionado de forma regular com nomes significando afirmativamente ?Deus? em todos os casos, tal como em Daniel (Deus é Juiz), Emanuel (Deus é Conosco), Ezequiel (A Força é de Deus), Samuel (Chamado pelo Nome de Deus), Gamaliel (Deus me Faz o Bem), Ananias (Deus é Clemente), João (A Graça é de Deus), Ismael (Deus Ouve), etc. Esse entendimento é compartilhado por algumas denominações cristãs trinitarianas e alguns famosos comentaristas bíblicos como Matthew Henry e até o próprio João Calvino, pai da Igreja Congregacional, da Presbiteriana e de muitas outras reformadas, trinitarianos convictos, entendendo o termo segundo a tradução literal. Para esses, diferentemente dos judeus e muçulmanos, o Arcanjo Miguel não tem natureza angélica, e sim divina, sendo o próprio Cristo que veio com esse ?nome de guerra? fazendo um desafio a Satanás que, desde o princípio, sempre desejou estar acima dos anjos e ser igual ao Criador (Is. 14:12?14).Referências nas Escrituras[editar | editar código-fonte]
Bíblia Hebraica[editar | editar código-fonte]
Na Bíblia Hebraica e, portanto, no Antigo Testamento, o profeta Daniel teve uma visão após um jejum (em Daniel 10:13-21), um anjo identifica Miguel como o protetor de Israel. O profeta se refere a Miguel como "um dos primeiros príncipes".[34] Posteriormente, em Daniel 12:1, Daniel é informado sobre o papel de Miguel durante o "tempo de tribulação" que "nunca houve desde que existiu nação até aquele tempo" e que[35]:?Nesse tempo se levantará Miguel, o grande príncipe que se levanta a favor dos filhos do teu povo;?Assim, embora as três referências a Miguel no Livro de Daniel sejam referentes ao mesmo indivíduo que age de forma similar nos três casos, o último se coloca no "fim dos tempos", enquanto que os outros dois são na época contemporânea na Pérsia.[36] Estas são as únicas referências ao arcanjo Miguel na Bíblia Hebraica.[37]
As referências ao "capitão das hordas do Senhor" que estão no Livro de Josué nos primeiros dias da campanha pela Terra Prometida (veja Josué 5:13-15) foram por vezes interpretadas como sendo referentes ao arcanjo Miguel, mas não há nenhuma base teológica para esta proposição, dado que Josué claramente adorava essa figura e os anjos não eram adorados, o que indica que a figura possa se referir ao próprio Yahweh,[38][39] ou algum representante especial do mesmo.Novo Testamento[editar | editar código-fonte]
O Apocalipse (Apocalipse 12:7-9) descreve uma guerra no céu na qual Miguel, sendo o mais forte, derrota Satã[40]:?Houve no céu uma guerra, pelejando Miguel e seus anjos contra o dragão. O dragão e seus anjos pelejaram, e não prevaleceram; nem o seu lugar se achou mais no céu. Foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, que se chama Diabo e Satanás, aquele que engana todo o mundo; sim, foi precipitado na terra, e precipitados com ele os seus anjos.?Após o conflito, Satã foi atirado à terra juntamente com os anjos caídos de onde eles ainda tentam "desviar o caminho da humanidade".[40]
Em outro trecho, na Epístola de Judas (Judas 1:9), Miguel é referido especificamente como sendo o "arcanjo" quando ele novamente confronta Satã:[41]:?Mas quando Miguel, o arcanjo, discutindo com o Diabo, altercava sobre o corpo de Moisés, não ousou fulminar-lhe sentença de blasfemo, mas disse: O Senhor te repreenda. (O fato de Miguel usar a expressão: "O Senhor te repreenda", sugere que ele se referia a alguém superior a ele, pois se assim não fosse, ele não teria empregado o seu uso em Judas 1:9. Isso também sugere que ele não poderia fazer julgamentos, talvez por falta de autoridade para tal ato ou por não ter poder algum ante a situação do texto em pauta.).?Uma referência a esse "arcanjo" também aparece em I Tessalonicenses (I Tessalonicenses 4:16):?porque o Senhor mesmo descerá do céu com grande brado, com voz de arcanjo e com trombeta de Deus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. (Neste contexto, o escritor quando usa "senhor" se refere ao próprio Cristo).?Ora, se Judas escreveu sobre "o arcanjo",Denotando assim claramente que Existe apenas 1 Líder, Jesus seria o "Arcanjo" que marca a Segunda Vinda de Cristo.[41]
Algumas pessoas interpretam que ele, Miguel seja algum representante de Deus ou até mesmo o próprio Jesus Cristo quer literalmente quer simbolicamente, pois as referências sobre o que Jesus fará como líder do exército dos anjos de Deus, são semelhantes as do Arcanjo Miguel. O fato da Bíblia se referir a apenas um Arcanjo, e de que Jesus é mostrado como tendo voz de Arcanjo e não de "um Arcanjo" significa que são pontos definitivos para concluir quem seria o Arcanjo Miguel. O fato de fazer algo semelhante a Jesus Cristo, não define a identidade do Arcanjo Miguel. Mais de uma pessoa podem fazer os mesmos atos e não serem literalmente as mesmas.Mas não é o fato em questão já que o termo e título "o Arcanjo" se refere apenas a Miguel, mostrando assim que existe apenas um Arcanjo.Nos apócrifos[editar | editar código-fonte]
No livro de Enoque Miguel é designado como o príncipe de Israel. No livro dos Jubileus, ele é retratado como o anjo que instruiu Moisés na Torá. Nos Manuscritos do Mar Morto é retratado lutando contra Beliel.Cristianismo[editar | editar código-fonte]
Cristianismo primitivo[editar | editar código-fonte]
Arcanjos ortodoxos
Conselho Angelical. Ícone ortodoxo com os sete arcanjos tradicionais da OrtodoxiaMiguel
Gabriel
Rafael
Phanuel
Uriel
Jegudiel
Salatiel
Jeremiel
Baraquiel
Esta caixa: verdiscutireditarOs primeiros cristãos consideravam alguns mártires - como São Jorge e São Teodoro - como patronos militares. Porém, a São Miguel, eles entregavam bem-estar dos doentes e foi como um curador que ele era venerado na Frígia (na moderna Turquia).[42]
O mais antigo e mais famoso santuário de São Miguel no antigo Oriente Próximo era associado com suas águas medicinais. Ele era chamado de Michaelion[43] e foi construído no início do século IV pelo imperador romano Constantino I em Calcedônia, no local de um templo anterior chamado Sosthenion.[37]
Uma pintura do Arcanjo Miguel matando uma serpente se tornou a principal no Michaelion após Constantino ter derrotado Licínio nas redondezas em 324, eventualmente tornando-a o padrão da iconografia de Miguel como um santo guerreiro, assassinando um dragão.[37] O Michaelion tinha uma magnífica igreja e ela se tornou o modelo para centenas de outras igrejas no cristianismo oriental, que espalhou a devoção ao arcanjo.[44]
No século IV, a homilia de Basílio de Cesareia, De Angelis, colocou Miguel acima de todos os outros anjos. Ele foi chamado de "Arcanjo" por ser o príncipe dos outros anjos.[45] No século VI, a imagem de Miguel como curador continuava em Roma, algo visível pelo costume de os doentes, após uma epidemia, dormirem uma noite no Castel Sant'Angelo (dedicado a Miguel por ter salvo Roma), esperando a sua manifestação.[45][46]
No século VI, o crescimento da devoção ao santo na Igreja Ocidental se manifestou pelas festas dedicadas a ele, como se pode ver no Sacramentário Leonino. No século VII, o Sacramentário gelasiano incluia uma festa para "S. Michaelis Archangeli", assim como o Sacramentário Gregoriano.[45] Alguns destes documentos mencionam uma hoje inexistente Basilica Archangeli na Via Salária, em Roma..[45]
A angeologia de Pseudo-Dionísio, que era amplamente lida já no século VI, dava a Miguel uma alta posição na hierarquia celestial.[45] Posteriormente, no século XIII, outros, como Boaventura, acreditavam que ele seria o príncipe dos Serafins, a primeira das nove ordens angélicas. De acordo com Tomás de Aquino,[47] ele seria o príncipe da última e mais baixa ordem, a dos anjos.[45]Catolicismo[editar | editar código-fonte]
Os católicos romanos e os ortodoxos geralmente se referem a Miguel como "São Miguel", um título honorífico cuja origem não foi uma canonização. Ele é geralmente nas litanias cristãs como "São Miguel Arcanjo". Os ortodoxos adicionalmente o chamam de "Archistrategos" (veja estratego) ou "Comandante Supremo das Hostes Celestiais"
Nos ensinamentos católicos, São Miguel tem quatro papéis principais.[48] O primeiro é como comandante do Exército de Deus e o líder das forças celestes em seu triunfo sobre os hostes infernais.[49] Ele é visto como um modelo angélico para as virtudes do "guerreiro espiritual", em guerra contra o mal, por vezes também visto como sendo a "batalha interna".[50]
O segundo e o terceiro papel de Miguel lidam com a morte. No segundo, Miguel é o anjo da morte, levando a alma de todos os falecidos para o céu. Neste papel, na hora da morte, Miguel desce e dá à alma uma chance de se redimir antes da morte, atrapalhando assim o diabo e seus asseclas. As orações católicas em geral se referem a este papel de Miguel. No terceiro papel, ele mede as almas numa balança perfeitamente equilibrada (daí o motivo de ele ser também muitas vezes representado segurando uma balança)[51]
Em seu quarto papel, São Miguel, o patrono especial do povo escolhido no Velho Testamento, é também o guardião da Igreja. Era comum o anjo ser reverenciado por ordens militares de cavaleiros durante a Idade Média. Este papel também se estende a ser o santo padroeiro de numerosas cidades e países..[52][53] A freira carmelita portuguesa Antónia de Astónaco teve uma aparição de São Miguel Arcanjo.
O catolicismo romano inclui ainda tradições como a Oração de São Miguel, composta e mandada rezar pelo próprio Papa Leão XIII, que pede especificamente que os fiéis sejam defendidos pelo santo,[54][55][56] e a Coroa de São Miguel Arcanjo é composta por nove saudações, uma para cada ordem angélica.[57][58] De acordo com a Igreja Católica, a origem desta devoção está relacionada com uma aparição e revelação privada do próprio Arcanjo São Miguel a uma freira carmelita portuguesa, Antónia de Astónaco, no ano de 1750, sendo esta aparição posteriormente reconhecida e a devoção aprovada pelo Papa Pio IX, a 8 de agosto de 1851, quem a enriqueceu de indulgências.Protestantismo primitivo[editar | editar código-fonte]
Alguns dos primeiros acadêmicos protestantes identificaram Miguel com a pré-encarnação de Cristo, baseando sua visão parcialmente na justaposição de "criança" e arcanjo no capítulo 12 do Apocalipse e também nos atributos dados a ele por Daniel.[59]Testemunhas de Jeová[editar | editar código-fonte]
As Testemunhas de Jeová acreditam que há apenas um "arcanjo" no céu e na Bíblia. Eles ensinam que o Jesus de antes da ressureição e após a ressurreição, e o Arcanjo Miguel são a mesma pessoa: "a evidência indica que o Filho de Deus era conhecido como Miguel antes de vir à Terra e é conhecido também por este nome após o seu retorno ao céu, onde ele agora está na forma do glorificado espírito Filho de Deus." Eles notam que o termo "arcanjo" na Bíblia só é usado no singular, jamais de forma clara no plural. Eles também afirmam que Miguel é o mesmo "Anjo do Senhor" que conduziu os israelitas no deserto.[60][61] Sob este ponto de vista, o espírito que leva o nome de Miguel é chamado de "um dos principais príncipes", "o grande príncipe que tem o comando de seu [de Daniel] povo" e "o arcanjo" (Daniel 10:13, Daniel 12:1; 1 9:.[62]Adventistas do Sétimo Dia[editar | editar código-fonte]
Adventistas do Sétimo Dia acreditam que Miguel era um outro nome para o Verbo Divino (como em João 1:1) antes d'Ele ter se encarnado como "Jesus". Ele seria o Verbo, não criado, por conta de quem todas as coisas são criadas. O Verbo então se fez nascer encarnado como Jesus.[63]
Eles acreditam que o nome "Miguel" é importante para mostrar a sua verdadeira identidade, assim como Emanuel (que significa "Deus conosco"). Eles acreditam que o nome significa "aquele que é Deus" e que, como "Arcanjo" ou "comandante ou líder dos anjos", ele liderava os anjos e, por isso, a afirmação em Apocalipse 12:7-9 que identifica Jesus como sendo Miguel.[64] Além disso, "Miguel" seria um dos muitos títulos associados ao Filho de Deus, a segunda pessoa da Divindade. E este ponto de vista não estaria de modo algum em conflito com a crença em sua Divindade Plena, pré-existência eterna e, também de maneira nenhuma, seria uma diminuição de Sua pessoa ou obra.[65]
Ainda na visão adventista, a afirmação em I Tessalonicenses 4:16 identifica claramente Jesus com Miguel,[66] assim como João 5:25.[66]
Nas Escrituras ele é mostrado fazendo coisas que também se aplicam a Cristo desde o início, ele é também Cristo pré-encarnado.[67][68]Mórmons[editar | editar código-fonte]
A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias acredita que Miguel é Adão, o Antigo de Dias (de Daniel 7), um príncipe e um patriarca da família humana e que Miguel ajudou Jehovah (a forma celeste de Jesus) na criação do mundo sob a direção de Deus Pai.[69][70][71][72]O anjo Miguel nos manuscritos do Mar Morto[editar | editar código-fonte]
São Miguel luta contra o dragão, por Jean Fouquet.
Desde a publicação, em 1991, da quase totalidade dos textos descobertos no deserto da Judeia, comumente conhecidos como os manuscritos do Mar Morto, que o estudo acerca da angeologia judaica sectária e extra-bíblica teve um grande desenvolvimento.
Nestes textos, numa perspectiva que viria a ser recuperada pelos movimentos gnósticos do Século I, Miguel é apresentado como a figura celestial de Melquisedeque exaltado, elevado aos céus. É similarmente referido como o "príncipe da luz", conforme 11Q13, que dará combate ao "príncipe das trevas", Satã, Belial ou Melkireshah (o príncipe das profundezas da Terra). Este confronto dar-se-á aquando da grande batalha celeste que antecederá o fim dos tempos e a nova vinda do fundador da comunidade essênia, o "Mestre da Justiça", como Messias escatológico.
Neste contexto, e numa descrição profundamente ambivalente, em 4Q529 e 6Q23 o triunfo definitivo da paz não lhe é atribuído, conforme alguns depreendem de Judas 1:9, acima transcrito, onde Miguel recusa a função de juiz escatológico, mas apenas é o seu arqui-estratega. Miguel recusa inclusive o título de "Senhor" e de "Salvador", ao mesmo tempo que, segundo 4Q246, aguarda que, tal como o seu modelo histórico apresentado neste texto, Antíoco Epifânio, se possa autoproclamar "um deus" e ser adorado como deus, tal como aquele em Daniel 11,36-37.
Em síntese, a angeologia apresentada pela interpretação destes textos não é homogénea, mas aduz um grande leque de orientações desde as menos negativas como as que consideram Miguel como Melquisedeque exaltado, mas com desejos de ser adorado, até às profundamente negativas, as que o concebem como próximo do malévolo rei Sedecias. Nos primeiros séculos da nossa era, esta literatura teve muita influência em círculos gnósticos vindos do helenismo platonizado na medida em que a sua falta de clareza e a ambiguidade esotérica, quase a roçar o paganismo (de facto, tais perspectivas jamais poderiam ser tidas como inspiradas, quer pelo judaísmo, quer pelo cristianismo), serviu plenamente os seus intuitos de estabelecerem pontes de contacto com o crescente influxo cultural do cristianismo e, assim, não perderem a sua importância religiosa.Festas, patronato e ordens[editar | editar código-fonte]
Imagem de São Miguel numa procissão em Cabeceiras de Basto.
Festas[editar | editar código-fonte]
Nas Igrejas Católica, Anglicana e Luterana, a festa do Arcanjo Miguel ocorre em 29 de setembro (no calendário ocidental), quando também se comemoram os arcanjos Gabriel e Rafael. Na Inglaterra medieval este dia era chamado de "Festa de São Miguel e todos os anjos".[73]
Na Igreja Ortodoxa, a principal festa de São Miguel é em 8 de novembro (21 de novembro na maior parte das denominações ortodoxas, que ainda usam o calendário juliano), quando ele é homenageado com o resto dos "Poderes não encarnados do Céu" (os anjos) como sendo seu "comandante supremo". O "Milagre de São Miguel em Chonae" é comemorado em 6 de setembro.[74][75]Patronatos e ordens[editar | editar código-fonte]
No cristianismo medieval, Miguel, juntamente com São Jorge, se tornaram santos patronos da cavalaria medieval e é hoje considerado como o santo patrono dos oficiais de polícia e militares.[53][76]
No século XV, Jean Molinet glorificou o ato de guerra do arcanjo como o "primeiro feito de cavalaria e habilidade de cavaleiro que jamais fora realizado".[77] Assim, Miguel se tornou o patrono natural da primeira ordem de cavalaria da França, a Ordem de São Miguel, de 1469. No sistema de honras britânico, uma ordem de cavalaria fundada em 1818 também foi batizada em homenagem aos dois santos guerreiros, a Ordem de São Miguel e São Jorge.[78] A Ordem de Miguel, o Valente é a mais alta condecoração militar na Romênia.
Além de ser o patrono de guerreiros, os doentes e os aflitos também consideram o Arcanjo Miguel como seu santo padroeiro.[79] Baseando-se na lenda de sua aparição do século VIII em Mont-Saint-Michel, na França, o Arcanjo também é o santo patrono dos Paraquedistas e dos marinheiros em seu mais famosos santuário.[45] Após a cristianização da Alemanha, onde as montanhas eram geralmente consagradas aos deuses pagãos, os cristãos colocaram-nas sob o patronato do Arcanjo Miguel e diversas capelas ao santo foram erigidas por todo o país.[45] Ele também é o santo padroeiro de Bruxelas desde a Idade Média.[80] A cidade de Arkhangelsk, na Rússia, foi batizada em sua honra e a Ucrânia - e sua capital, Kiev - considera o Arcanjo como seu padroeiro.[81]Imagens[editar | editar código-fonte]
São Miguel Arcanjo por Rafael Sanzio
São Miguel lutando por Jean Fouquet.
São Miguel Arcanjo por Simon Ushakov
São Miguel Arcanjo por Guido Reni
São Miguel Arcanjo por Johann Michael Rottmayr
São Miguel Arcanjo , Marquand Collection, Museo Metropolitano
São Miguel Arcanjo por Juan de Espinal.
São Miguel Arcanjo por Hans Memling
São Miguel Arcanjo por Colijn de Coter.
São Miguel Arcanjo por Jacopo Vignali
São Miguel Arcanjo por um pintor boliviano anónimo
Referências? «29 de setembro comemoramos o "Dia de São Miguel Arcanjo"». Raizes Espirituais. 29 de setembro de 2012 ? «Saiba a diferença entre Iemanjá e Nossa Sra dos Navegantes». Terra ? Studies in Revelation by Hampton J. Keathley, 3rd, J. Hampton Keathley III 1997 ISBN 0-7375-0008-5 page 209 [1]? a b c Passow, Franz. Handwörterbuch der Sprache Griechischen. Edição de 1831.? Liddell, Henry George & Scott, Robert. Grerek-English Lexicon. Claredon Press - Oxford.? (em castelhano)Vine Diccionario Expositivo de Palabras del Antiguo y del Nuevo Testamento Exhaustivo, Editorial Caribe 1999, sección del Nuevo Testamento pág. 82.? a b (em inglês)A Greek-English lexicon (LSJ) the Oxford University Press Escrito por Henry George Liddell,Robert Scott,Franz Passow? Moulton, Harold K. Léxico Grego Analítico. Editora: Luz e Vida.? a b Schneider, Johann Gottlob. Kritisches Griechisch-Deutsches Handwörterbuch? Dicionário grego-português Escrito por Rudolf Bölting,Instituto Nacional do Livro? (em inglês)The new and complete dictionary of the English language: To which Volumen 1 Escrito por John Ash? (em inglês)A Greek and English dictionary: comprising all the words in the writings of ... Escrito por John Groves? (em inglês)A new Greek and English lexicon to the New Testament: on the plan of Dawson Escrito por Henry Laing? (em castelhano)Diccionario manual griego-latino-español editado por Escuelas Pías (Madrid)? Diccionario Exegético del Nuevo Testamento de Balz-Schneider, editorial Sígueme, tomo 1 pág. 46)? Interlinear Hebrew Bible? Traslation Interlinear Hebrew Bible? a b (em inglês)The Oxford guide to people & places of the Bible By Bruce M. Metzger,Michael D. Coogan? (em inglês)The International Standard Bible Encyclopedia Escrito por Geoffrey W. Bromiley? (em inglês)All the People in the Bible Escrito por Richard R. Losch? (em inglês)A dictionary of the Bible Escrito por Samuel Rolles Driver? (em inglês)The Revelation of St John: expounded for those who search the Scriptures? de Ernst Wilhelm Hengstenberg? (em inglês) Artigo sobre o Arcanjo Miguel na The Catholic Encyclopedia? (em inglês)A Hebrew and English lexicon of the Old Testament Escrito por Wilhelm Gesenius,Edward Robinson? (em inglês)A comprehensive dictionary of the English language Escrito por Joseph Emerson Worcester? (em inglês)A pronouncing, explanatory, and synonymous dictionary of English Escrito por Joseph Emerson Worcester? (em inglês)Prophets and Apostles Escrito por Joseph Ponessa,Laurie Watson Manhardt? (em inglês)Connections: a guide to types and symbols in the Bible Escrito por Glen Carpenter? (em inglês)Super Giant Print Dictionary and Concordance Escrito por David K. Stabnow? Verbete Miguel na obra Estudo Perspicaz das Escrituras, Volume 2, página 828? (em inglês)Who's who in the Jewish Bible Escrito por David Mandel? (em inglês)History of Christian names, Volumen 1 Escrito por Charlotte Mary Yonge? Timm, Alberto R. Revista Sinais dos Tempos, agosto de 1998, p. 29.? Who's who in the Jewish Bible by David Mandel 2007 ISBN 0827608632 page 270? Daniel: Wisdom to the Wise: Commentary on the Book of Daniel by Zdravko Stefanovic 2007 ISBN 0816322120 page 391? Daniel: a reader's guide by William H. Shea 2005 ISBN 0816320772 pages 270-271? a b c Saint Michael the Archangel in medieval English legend by Richard Freeman Johnson 2005 ISBN 1843831287 pages 33-34? Yahshua, the Man Behind the Glory by Jarid Miller ISBN 1450098800 pages 15-16? Joshua by J. Gordon McConville, Stephen Williams 2010 ISBN 0802827020 pages 29-30? a b Revelation 12-22 by John MacArthur 2000 ISBN 0802407749 pages 13-14? a b The encyclopedia of angels by Rosemary Guiley 2004 ISBN 0816050236 page 49? "St. Michael the Archangel" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês). Em domínio público.? Wikipédia. «Michaelion» (em inglês) ? Sacred and Legendary Art by Anna Jameson 2004 ISBN 0766181448 page 92? a b c d e f g h New Advent. «São Miguel Arcanjo» (em inglês). Consultado em 17 de Março de 2013 ? Alban Butler, The lives of the fathers, martyrs, and other principal saints Published by J. Duffy, 1866 page 320? Summa Theologica) Ia. 113.3? «Catholic encyclopedia». Newadvent.org. 1 de outubro de 1911. Consultado em 21 de julho de 2010 ? Donna-Marie O'Boyle, Catholic Saints Prayer Book OSV Publishing, 2008 ISBN 1592762859 page 60? Mirabai Starr, Saint Michael: The Archangel, Published by Sounds True, 2007 ISBN 159179627X page 2? Mirabai Starr, Saint Michael: The Archangel, 2007 ISBN 159179627X page 39? Alban Butler, The lives of the fathers, martyrs, and other principal saints Published by B. Dornin, 1821 page 117? a b Michael McGrath, Patrons and Protectors Published by Liturgy Training, 2001 ISBN 1568541090? EWTN Prayer to Saint Michael [2]? Matthew Bunson The Catholic Almanac's Guide to the Church OSV Publishing, 2001 ISBN 0879739142 page 315? Amy Welborn, The Words We Pray Loyola Press, 2004 ISBN 082941956X, page 101? Ann Ball, 2003 Encyclopedia of Catholic Devotions and Practices ISBN 087973910X page 123? EWTN The Chaplet of St. Michael the Archangel? John A. Lees, The International Standard Bible Encyclopedia, 1930, Vol. 3, page 2048? Reasoning the Scriptures, 1985, Watchtower Bible and Tract Society, p. 218? "Your Leader Is One, the Christ" - The Watchtower - Announcing Jehovah's Kingdom - September 15, 2010, pg 21.? What Does The Bible Really Teach? Chapter 9 Paragraph 4 under the heading A WAR IN HEAVEN, also see appendix of same publication, pages 218-219. Published by Jehovah's Witnesses 2005.? Seventh Day Adventists: What do they believe? by Val Waldeck Pilgrim Publications (April 5, 2005) page 16? «The Remnant». Adventist World. Consultado em 5 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 24 de julho de 2012 ? Seventh-day Adventists Answer Questions on Doctrine, Review and Herald Publishing Association, Washington D.C., 1957. Chapter 8 "Christ, and Michael the Archangel".? a b Bible readings for the home by 7th Day Adventists, London 1949 page 266 [3]? Jerry A. Moon, The Adventist Trinity Debate Part 1: Historical Overview and The Adventist Trinity Debate Part 2: The Role of Ellen G. White. Copyright 2003 Andrews University Press. See also "The Arian or Anti-Trinitarian Views Presented in Seventh-day Adventist Literature and the Ellen G. White Answer" by Erwin Roy Gane? "The Trinity in Seventh-day Adventist History" by Merlin D. Burt. Ministry February 2009? Millet, Robert L. (1998), «The Man Adam», Liahona ? Doctrine and Covenants 27:11? Doctrine and Covenants 107:53-56? Doctrine and Covenants 128:21? Saint Michael the Archangel in medieval English legend by Richard Freeman Johnson 2005 ISBN 1843831287 page 105? Icons and saints of the Eastern Orthodox Church by Alfredo Tradigo 2006 ISBN 0892368454 page 46? The Blackwell Companion to Eastern Christianity 2010 by Ken Parry ISBN 1444333615 page 242? Ann Ball, 2003 Encyclopedia of Catholic Devotions and Practices ISBN 0-87973-910-X page 586? Noted by Johan Huizinga, The Waning of the Middle Ages (1919, 1924:56.? Angels in the early modern world By Alexandra Walsham, Cambridge University Press, 2006 ISBN 0521843324 page 2008? Patron Saints by Michael Freze 1992 ISBN 0879734647 page 170? Netherlandish sculpture 1450-1550 by Paul Williamson 2002 ISBN 0810966026 page 42? Eastern Orthodoxy through Western eyes by Donald Fairbairn 2002 ISBN 0664224970 page 148
Ver também[editar | editar código-fonte]
Coroa de São Miguel Arcanjo
Milícia de São Miguel
Santuário de São Miguel Arcanjo
Gabriel (arcanjo)
Rafael (arcanjo)
Ligações externas[editar | editar código-fonte]
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Miguel (arcanjo)Milícia de São Miguel
vdePersonagens do Novo TestamentoJesus Cristo
visões
Cristianismo
Histórico
Novo Testamento
EvangelhosIndivíduosAlfeu
Ana
Anás
Barrabás
Bartimeu
Cego de Betsaida
Caifás
Cleófas
Clófas
Diabo
"Dismas", o bom ladrão
Isabel
Gabriel
"Gesmas", o mau ladrão
Filha de Jairo
Joaquim
Joana
João Batista
José
José de Arimateia
Josés
Judas
Lázaro
Legião
Lucas
Lisânias
Malco
Celidônio
Marcos
Marta
Maria Madalena
Maria, mãe de Tiago
Maria
Maria de Betânia
Maria de Cleófas
Filho da viúva de Naim
Bartolomeu
Nicodemos
ben Gurion
Salomé
Mulher Samaritana
Simeão
Simão, irmão de Jesus
Simão de Cirene
Simão, o Leproso
Susana
Teófilo
Zaqueu
Zebedeu
Zacarias
GruposAnjos
Discípulos
Evangelistas
Temente a Deus
Herodianos
Três Reis Magos
Portadores de Mirra
Fariseus
Prosélitos
Saduceus
Samaritanos
Sumo-sacerdotes
Setenta discípulos
Escribas
Pastores
Zelotes
Os Doze
André
Bartolomeu
Tiago, filho de Alfeu
o Menor
Tiago, filho de Zebedeu
João
Discípulo amado
Evangelista
de Patmos
Judas Iscariotes
Judas Tadeu
Filipe
Mateus
Simão Pedro
Simão, o Zelote
Tomé
AtosPedro, Paulo
Eneias
Ágabo
Ananias (Judéia)
Ananias de Damasco
Ananias ben Nebedeus
Apolo
Áquila
Aristarco
Bar-jesus
Barnabé
Blasto
Cornélio
Demétrio
Dionísio
Dorcas
Eunuco etíope
Êutico
Filipe
Gaio
Gamaliel
Tiago, o Justo
Jasão
José Barsabás
Judas Barsabás
Judas, o Galileu
Lúcio
Lucas
Lídia
Manaém
João Marcos
Maria mãe de João Marcos
Matias
Mnason
Nicanor
Nicolas
Parmenas
Paulo
Priscila
Prócoro
Públio
Rode
Safira
Ceva
Sete Diáconos
Silas/Silvano
Simeão Niger
Simão Mago
Sópater
Estêvão
Teudas
Timóteo
Tito
Trófimo
Tíquico
Romanos &Família de HerodesEvangelhosAntipas
Arquelau
Herodes, o Grande
Herodíade
"Longino"
Filipe
Pilatos
Esposa de Pilatos
Quirino
Salomé
Tibério


AtosAgripa
Agripa II
Berenice
Cornélio
Drusila
Félix
Festo
Gálio
Lísias
Paulo
Epístolas
Acaico
Alexandre
Andrônico
Arquipo
Aretas IV
Crescêncio
Diótrefes
Epafras
Epafrodito
Erasto
Evódia e Síntique
Herodião
Himeneu
Jesus, o Justo
Júnia
Maria
Anjo Miguel
Ninfas
Olimpas
Onésimo
Filémon
Fileto
Febe
Quarto
Sosípatro
Tércio
Apocalipse
Antipas
Cavaleiros do Apocalipse
Abaddon
Duas testemunhas
Mulher
Besta
Três anjos
Meretriz da BabilôniavdeLivro de DanielBíblia
Daniel 1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
Adições em Daniel
Locais
Babilônia
Susa
Personagens
Abednego
Belsazar
Ciro
Daniel
Dario
Gabriel
Jeoaquim
Mesaque
Miguel
Nabucodonsoor
Sadraque
Susana
Termos
Abominação da Desolação
A Festa de Belsazar
Quatro Reinos
Cova dos leões
Profecia das setenta semanas
Espirito territorial
Fontes
Torah
Septuaginta
Vulgata Latina
Bilbia Wycliffe
Biblia King James
American Standard Version
Biblia World EnglishLivro de Ezequiel (capítulo 48) ?
? Livro de Oseias (capítulo 1)vdeApocalipseCapítulos
Apocalipse 1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
Locais
Armagedom
Asia
Babilônia
Egito
Éfeso
Eufrates
Gogue e Magogue
Jerusalém
Laodiceia
Patmos
Pérgamo
Filadélfia
Sardes
Esmirna
Sodoma
Tiatira
Personagens
Antipas
Aser
Balaque
Balaão
Benjamim
David
Gade
Issacar
Jesus Cristo
Jezabel
João
José
Judá
Levi
Manassés
Miguel
Naftali
Rúben
Simeão
Zebulom
Termos ou expressões
Abadom
Absinto
Alfa e ómega
Besta
Duas Testemunhas
Eventos
Cavaleiros do Apocalipse
Lago de Fogo
Livro da Vida
Juízo Final
Milenarismo
Mulher do Apocalipse
Número da Besta
Quatro seres viventes
Sete Taças
Sete Igrejas da Ásia
Sete Selos
Sete Trombetas
Grande Prostituta
Fontes
Torah
Septuaginta
Vulgata Latina
Bilbia Wycliffe
Biblia King James
American Standard Version
Biblia World English
Epístola de Judas ? ?
Portal da Bíblia Portal do cristianismo

POSTAGENS RELACIONADOS


AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA EM SÃO MIGUEL DA BAIXA GRANDE


agência de comunicação integrada em São Miguel da Baixa Grande

Encontre agência de comunicação integrada em São Miguel da Baixa Grande na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO

AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA EM SÃO MIGUEL DA BOA VISTA


agência de comunicação integrada em São Miguel da Boa Vista

Encontre agência de comunicação integrada em São Miguel da Boa Vista na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO

AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA EM SÃO MIGUEL DAS MATAS


agência de comunicação integrada em São Miguel das Matas

Encontre agência de comunicação integrada em São Miguel das Matas na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO

AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA EM SÃO MIGUEL DAS MISSÕES


agência de comunicação integrada em São Miguel das Missões

Encontre agência de comunicação integrada em São Miguel das Missões na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

LER ARTIGO