agência comunicação em São Francisco de Sales

Encontre agência comunicação em São Francisco de Sales na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

São Francisco De Sales

Nota: Para o município brasileiro, veja São Francisco de Sales (Minas Gerais). Para outros significados, veja São Francisco.São Francisco de SalesC.O., T.O.M., O.F.M.Cap.
Bispo da Igreja Católica
Bispo de Genebra
São Francisco de Sales com Santa Joana Francisca de Chantal.
TítuloConfessor; Doutor da Igreja Atividade Eclesiástica
OrdemOrdem dos Frades Menores Capuchinhos DioceseDiocese de Genebra (extinta) Nomeação15 de julho de 1602 PredecessorDom Claude de Granier, O.S.B. SucessorDom Jean-François de Sales Mandato1602 - 1622

Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral18 de dezembro de 1593por Dom Claude de Granier, O.S.B. Nomeação episcopal15 de julho de 1602 Ordenação episcopal8 de dezembro de 1602por Dom Vespasien Gribaldi Lema episcopalNon Excidet Brasão episcopal

Santificação
Beatificação8 de janeiro de 1661Romapor Papa Alexandre VII Canonização8 de abril de 1665Roma, Estados Pontifíciospor Papa Alexandre VII Veneração porIgreja CatólicaComunhão Anglicana Principal temploAnnecy, França Festa litúrgica24 de janeiro29 de janeiro (vetero-católicos)
Atribuições Sagrado Coração de Jesus, coroa de espinhos Padroeiro Imprensa católica; confessores; surdos; educadores; escritores; jornalistas; salesianos
Dados pessoais
NascimentoCastelo de Sales, Ducado de Saboia21 de agosto de 1567 MorteLyon, Reino da França28 de dezembro de 1622 (55 anos) Nacionalidadefrancês
Funções exercidas- Bispo-coadjutor de Genebra(1602)
















dados em catholic-hierarchy.orgBisposCategoria:Hierarquia católicaProjeto Catolicismo
Esta caixa: verdiscutir
Francisco de Sales, em francês: François de Sales (Thorens-Glières, 21 de agosto de 1567 ? Lyon, 28 de dezembro de 1622), foi um sacerdote católico saboiano.
Foi bispo de Genebra do século XVII e declarado santo e Doutor da Igreja pela Igreja Católica. Ficou famoso por sua profunda fé e por sua abordagem gentil aos conflitos religiosos que inflamaram sua diocese durante a Reforma Protestante. Escreveu também muitas obras sobre direção e formação espiritual, particularmente a "Introdução à Vida Devota" e ao "Tratado do Amor de Deus".Índice1 Vida1.1 Primeiros anos
1.2 Educação e conversão
1.3 Volta para o Ducado de Saboia
1.4 Padre e prepósito
1.5 Bispo de Genebra
1.6 Escritor místico
1.7 Fundador
1.8 Morte e veneração
2 Patronato
3 Legado
4 Referências
5 Bibliografia
6 Ligações externas6.1 ObrasVida[editar | editar código-fonte]
Primeiros anos[editar | editar código-fonte]
Francisco de Sales nasceu em 21 de agosto de 1567 no Castelo de Sales na nobre família dos Sales do Ducado de Saboia, território onde hoje está Thorens-Glières, na Alta Saboia, na França. Seu pai era François de Sales, senhor de Boisy, em Sales, e Novel. Sua mãe era Françoise de Sionnaz,[1] filha única de um proeminente magistrado de linhagem nobre. O pai de Francisco queria que ele, o primogênito de seis filhos, estudasse nas melhores escolas para prepará-lo para a magistratura. Por isso, Francisco teve uma educação diferenciada nas cidades vizinhas de La Roche-sur-Foron e Annecy.[1]Educação e conversão[editar | editar código-fonte]
Em 1583, Francisco entrou para o Collège de Clermont (rebatizado depois Lycée Louis-le-Grand) em Paris, uma instituição jesuíta, para estudar retórica e humanidades. No ano seguinte, esteve presente numa discussão teológica sobre predestinação e se convenceu que estava condenado ao inferno, o que o colocou numa profunda crise de desespero da qual só saiu em dezembro de 1586. Durante este período, ficou tão doente a ponto de passar um tempo na cama sem poder se levantar. No mês seguinte, em janeiro de 1587, com grande dificuldade, Francisco visitou a antiga paróquia de Saint-Étienne-des-Grès, em Paris, onde se ajoelhou em oração perante uma famosa estátua de Nossa Senhora do Livramento (em francês: Notre Dame de Bonne Délivrance ), uma "Virgem Negra", consagrou-se à Virgem Maria e decidiu dedicar sua vida a Deus através de um voto de castidade. Em seguida, tornou-se um terceiro da Ordem dos Mínimos.[2]
Em 1588, Sales completou seus estudos em Clermont e matriculou-se na Universidade de Pádua, na Itália, onde estudou direito e teologia. Seu diretor espiritual era Antonio Possevino, um sacerdote da Companhia de Jesus,[1] que o ajudou em sua decisão de também ser ordenado padre.Volta para o Ducado de Saboia[editar | editar código-fonte]
Em 1592, Sales recebeu seu doutorado em direito e teologia de Guido Panciroli. Depois de peregrinar para Loreto, na Itália, famosa por seu Santuário da Santa Casa, voltou para Saboia e foi contratado como advogado pelo senado de Chambéry. Enquanto isso, seu pai assegurou-lhe várias posições, inclusive um cargo de senador, e também uma rica herdeira de linhagem nobre para ser sua noiva. Porém, Francisco recusou todos os planos, preferindo manter-se fiel ao caminho que havia escolhido. Seu pai inicialmente se recusou a acreditar ou aceitar que Francisco havia escolhido o sacerdócio ao invés de realizar suas próprias ambições através de uma carreira político-militar.[3]
Claude de Granier, que era na época bispo de Genebra, interveio e fez os arranjos para sua ordenação em 1593. Imediatamente, Francisco recebeu a tão esperada nomeação para ser o prepósito do capítulo catedrático de Genebra, a mais alta posição oficial na diocese.Padre e prepósito[editar | editar código-fonte]
Na nova função, Francisco se envolveu ativamente nas campanhas de evangelização entre os protestantes de Saboia, conseguindo que muitos retornassem à fé católica.[3] Neste período, sobreviveu a diversas tentativas de assassinato.[4] Ele viajou para Roma e Paris para forjar alianças com o papa Clemente VIII e o rei Henrique IV da França. Depois de ser nomeado bispo coadjutor de Genebra, alistou-se na Arquiconfraria da Corda de São Francisco.Bispo de Genebra[editar | editar código-fonte]
Em 1602, o bispo Granier morreu e Sales foi consagrado em seu lugar, mesmo morando em Annecy (atualmente na França), pois Genebra estava sob controle calvinista e, portanto, inacessível para ele. Sua diocese ficou famosa por toda a Europa por causa de sua organização eficiente, do clero zeloso e dos leigos muito bem educados, todas conquistas monumentais para a época.[5]
Francisco atuou ainda de forma muito próxima da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, que era muito ativa na pregação da fé católica em sua diocese. Eles apreciaram tanto a cooperação que, em 1617, fizeram dele um oficial associado da ordem, a mais alta honraria possível para alguém que não era membro. Diz-se que, em Évian, na margem sul do Lago Genebra, São Francisco de Assis, apareceu para ele e disse: "Desejas o martírio como eu também o quis. Mas, como eu, não o terás. Terás que te tornar um instrumento de teu próprio martírio".[4]
Durante seus anos como bispo, Sales ganhou fama como um pregador que provocava fascínio e também algo asceta. Ele era igualmente conhecido como amigo dos pobres e uma pessoa de afabilidade e compreensão sobrenaturais.Escritor místico[editar | editar código-fonte]
Parte de uma série sobreCristianismo místico
Padres do DesertoPaulo de Tebas
Antônio, o Grande
Arsênio, o Grande
Abade Poemen
Abade Macário do Egito
Abade Moisés, o Negro
Atanásio de Alexandria
João Crisóstomo
Santo Hilarião
João Cassiano
Teodoreto
Evágrio do Ponto
Nilo do Sinai
Santo Onofre
Pacômio
Isidoro de Pelúsio
São Serapião
Mães do Deserto
Abadessa Sinclética de Alexandria
Santa Blesila
Catarina de Alexandria
Santa Eustóquia
Macrina Maior
Macrina, a Jovem
Margarida de Antioquia
Melânia, a Jovem
Melânia, a Velha
Santa PaulaPelágia, a PenitenteSéc XI e XIIBernardo de Clairvaux
Guigo, o Cartucho
Hildegarda de Bingen
Hadewijch de AntuérpiaRicardo de São VitorSéc XIII e XIVMisticismo dominicano
Domingos de Gusmão
Misticismo alemão
Meister Eckhart
Johannes Tauler
Henrique Suso
Misticismo flamengo
Beatriz de Nazaré
João de Ruysbroeck
Misticismo franciscano
Francisco de Assis
Antônio de Pádua
Boaventura de Bagnoregio
Jacopone da Todi
Ângela de Foligno
Misticismo inglês
Ricardo Rolle
Walter Hilton
Juliana de Norwich
Misticismo feminino
Brígida da SuéciaCatarina de SienaSéc XV e XVICatarina de Gênova
Misticismo espanhol
Inácio de Loyola
Francisco de Osuna
João de Ávila
Teresa de ÁvilaJoão da CruzSéc XVII e XVIIIFrancisco de Sales
Maria de Ágreda
Escola francesa de espiritualismo
Pierre de Bérulle
Jean-Jacques Olier
Luis de Montfort
Outros
Veronica GiulianiAnna Catarina EmmerichSéc XIXCatarina Labouré
Melanie Calvat
Beato Maximino Giraud
Bernadette Soubirous
Conchita de Armida
Luísa Piccarreta
Maria do Divino Coração
Teresa de LisieuxGemma GalganiSéc XXAlexandrina de Balazar
Irmã Lúcia (de Fátima)
Madre Eugénia Ravasio
Madre Virgínia Brites da Paixão
Faustina Kowalska
Maria Valtorta
Marta Robin
Max Heindel
Padre Pio de Pietrelcina
Teresa Neumann
Thomas MertonVassula RydenEstigmatizadosAmália de Jesus Flagelado
Angélico Caruana
Catarina de Ricci
Catarina de Siena
Ana Catarina Emmerich
Maria de Oignies
Gemma Galgani
María de León Bello y Delgado
São João de Deus
Maria Faustina Kowalska
Maria da Encarnação
Teresa Neumann
Padre Pio de Pietrelcina
Rita de Cássia
Zlatko Sudac
Megan Delphia Alexander
Paulo de Tarso
Lúcia Brocadelli de Narni
Francisco de Assis
Maria Rosa Ferron
Marcelino Pauper
Marta Robin
Zlatko Sudac
Natuzza Evolo
Maria Esperanza de BianchiniMaria Teresa ChiramelContemporaneidadeCulto apocalíptico
Escatologia cristãJuízo Final
vde
Estas últimas qualidades transpareceram principalmente nas obras de Francisco, a mais famosa delas a "Introdução à Vida Devota", que - algo raro na época - foi escrita especialmente para os leigos. Nela, ele recomendava a caridade acima da penitência como forma de progressão na vida espiritual. Sales também escreveu uma obra mística, o "Tratado do Amor Divino"[6] e diversas outras valiosas cartas sobre a direção espiritual. Ele era famoso por sua clareza e estilo em francês, italiano e latim.
Suas obras sobre a perfeição do amor de Maria como modelo de amor a Deus influenciou Jean Eudes a desenvolver a devoção aos Corações de Jesus e Maria.[7]Fundador[editar | editar código-fonte]
São Francisco de Sales oferecendo seu coração à Virgem Maria com Santa Joana Francisca de Chantal.Atualmente na Catedral de Saint-Siffrein, em Carpentras, no distrito de Vaucluse, França.
Juntamente com Santa Joana Francisca de Chantal, Sales fundou a Ordem da Visitação de Santa Maria ("Visitandinas") em Annecy em 6 de junho de 1610. Apesar de sua amizade com Denis-Simon de Marquemont, o arcebispo ainda assim restringiu as liberdades da nova ordem de Sales em 1616 ao comandar que seus membros vivessem enclausurados.[8]
Francisco de Sales também fundou uma pequena comunidade masculina, o Oratório de São Filipe Néri, em Thonon-les-Bains, com ele próprio como superior ou prepósito. Contudo, esta foi duramente aleijada por sua morte e logo desapareceu.[9]Morte e veneração[editar | editar código-fonte]
Em dezembro de 1622, Sales teve que viajar com a corte de Carlos Emanuel I, o duque de Saboia, acompanhando o tour de Natal através de seus domínios. Ao chegar em Lyon, Francisco escolheu se hospedar na choupana do jardineiro do mosteiro visitandino da cidade. Ali sofreu um derrame que acabou provocando-lhe a morte em 28 de dezembro de 1622.[6]
Apesar da resistência da população de Lyon, o corpo de Sales foi levado para Annecy, onde foi enterrado no dia 24 de janeiro de 1623 na igreja do Mosteiro da Visitação, que ele havia fundado com Chantal, que também estava enterrada ali. Os restos dos dois eram venerados ali até a Revolução Francesa,[10] quando foram desenterrados e destruídos.
Contudo, o coração de Francisco de Sales permaneceu em Lyon para apaziguar o clamor popular, mas acabou sendo levado para Veneza durante a Revolução Francesa e lá permanece objeto de veneração até hoje.
Francisco foi beatificado em 1661 pelo papa Alexandre VII, que também o canonizou quatro anos depois. Ele foi declarado Doutor da Igreja pelo papa Pio IX em 1877.[11]
A Igreja Católica Romana celebra atualmente a festa de São Francisco de Sales em 24 de janeiro, o dia de seu enterro em Annecy em 1624.[12] De 1666, quando sua festa foi incluída no Calendário Geral Romano, até a reforma em 1969, depois do Concílio Vaticano II, ela foi observada no dia 29 de janeiro, uma data que ainda é observada pelos vetero-católicos.
São Francisco de Sales é chamado de "o Santo Cavalheiro" por sua paciência e gentileza.[4]Patronato[editar | editar código-fonte]
Em 1923, Pio XI o proclamou patrono dos escritores e jornalistas, pois Francisco de Sales fez amplo uso de folhetos e livros para apoiá-lo na direção espiritual e nos seus esforços para converter os calvinistas de sua diocese.[3] São Francisco também desenvolveu uma linguagem de sinais para conseguir ensinar a doutrina católica aos surdos e, por isso, é também considerado seu patrono.[6]
Tendo sido fundada como o primeiro grupo de freiras não enclausuradas depois da tentativa fracassada de Francisco de Sales com sua Ordem da Visitação, as Irmãs de São José (ordem fundada em Le Puys, França, em 1650) o considera como um de seus patronos.Legado[editar | editar código-fonte]
No século XIX, a visão de Francisco de Sales sobre as comunidades religiosas passou por um renascimento. Diversas instituições foram fundadas no período, tanto para homens quanto para mulheres que quisessem seguir o caminho espiritual proposto por ele:Os Missionários de São Francisco de Sales (M.S.F.S.), fundada pelo abade Pierre Mermier em 1830, foram os primeiros.
Os Salesianos de Dom Bosco (S.D.B.), ordem fundada por São João Bosco em 1859 (aprovada pela Santa Sé em 1874), foi batizada originalmente como "Sociedade de São Francisco de Sales", e tem em Francisco seu patrono.
As Irmãs Oblatas de São Francisco de Sales (O.S.F.S.) foram fundadas por Santa Léonie Aviat e pelo Beato Louis Brisson, sob a direção espiritual da Venerável Marie de Sales Chappuis, V.H.M., em 1866.
Os Oblatos de São Francisco de Sales (O.S.F.S.) foram depois fundadas por Brisson para abrigar os homens, também sob a direção de Marie de Sales, em 1875.[5]
Padres Paulistas, nos Estados Unidos, também contam Francisco de Sales entre seus patronos.
São Francisco de Sales é reconhecido como "exemplar" pela Igreja da Inglaterra, na qual sua memoria é observada em 24 de janeiro, e na Igreja do País de Gales, na qual seu memorial foi mudado para 23 de janeiro para não coincidir com o de São Cadoc.Referências? a b c Pernin, Raphael. "St. Francis de Sales." The Catholic Encyclopedia. Vol. 6. New York: Robert Appleton Company, 1909. 30 May 2013? The Third Order of Minims? a b c Foley O.F.M., Leonard. Saint of the Day, Lives, Lessons, and Feast, (revised by Pat McCloskey O.F.M.), Franciscan Media, ISBN 978-0-86716-887-7? a b c «The Franciscan Book Of Saints, edited by Marion Habig, ofm, Franciscan Herald Press, 1959». Consultado em 4 de junho de 2014. Arquivado do original em 15 de maio de 2011 ? a b «"Oblate History", Oblates of St. Francis De Sales, Wilmington- Philadelphia Province». Consultado em 4 de junho de 2014. Arquivado do original em 28 de setembro de 2013 ? a b c "Our Heritage", DeSales University? Murphy, John F. Mary's Immaculate Heart, p. 24, 2007 ISBN 1-4067-3409-8? Boundaries of Faith: Catholics and Protestants in the Diocese of Geneva by Jill Fehleison (Truman State University Press, 2011)? Türks, Paul, C.O (1995). Philip Neri:The Fire of Joy. Edinburgh: T&T Clark. pp. 144?145. ISBN 0-567-29303-3 ? Diocese of Annency "Salesian Sites" Arquivado em 26 de setembro de 2013, no Wayback Machine.(em francês)? John J. Crawley. «St. Francis de Sales, Bishop, Doctor of the Church». Lives of Saints. EWTN. Consultado em 14 de janeiro de 2008 ? "Calendarium Romanum" (Libreria Editrice Vaticana 1969), p. 115
Bibliografia[editar | editar código-fonte]Francis de Sales, Introduction to the devout life [known as ?Philothea?], London, 2012. limovia.net ISBN 978-1-78336-023-9
Francis de Sales, Treatise on the love of God [known as ?Theotimus?], London, 2012. limovia.net ISBN 978-1-78336-024-6
Introduction to the Devout Life (Traduzida e editada por John K. Ryan), Doubleday, 1972. ISBN 978-0-385-03009-0
Introduction to the Devout Life, TAN Books, 2010. ISBN 978-0-89555-228-0
Treatise on the Love of God, TAN Books, 1997. ISBN 978-0-89555-526-7
The Catholic Controversy: St. Francis de Sales' Defense of the Faith, TAN Books, 1989. ISBN 978-0-89555-387-4
Set Your Heart Free (Edited by John Kirvan), Ave Maria Press, 2008. ISBN 978-1-59471-153-4
Sermons of St. Francis de Sales On Prayer, TAN Books, 1985. ISBN 978-0-89555-258-7
Sermons of St. Francis de Sales on Our Lady, TAN Books, 1985. ISBN 978-0-89555-259-4
Sermons of St. Francis de Sales For Lent, TAN Books, 2009. ISBN 978-0-89555-260-0
Sermons of St. Francis de Sales for Advent and Christmas, TAN Books, 1987. ISBN 978-0-89555-261-7
Ratzinger, Joseph - Homilia na festa de São Francisco de Sales, no Angerkloster, Munique, 24 de janeiro de 1982 em Homilias sobre os Santos; trad. Roberto Vidal da Silva Martins - São Paulo: Quadrante, 2007. ISBN 978-85-7465-113-2
AUBRY, Joseph. Francisco de Sales: Um Mestre de Espiritualidade. Brasília: Editora Edebê, 2017. ISBN 9788-5553-6216-3.Ligações externas[editar | editar código-fonte]
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Francisco de Sales
«Amplo material sobre Francisco de Sales» (em inglês). International Commission on Salesian Studies
«São Francisco de Sales» (em inglês). Catholic.org Obras[editar | editar código-fonte]«Obras completas de Francisco de Sales» (em francês). Dom Bosco
«Introdução à Vida Devota» ? (em inglês). Christian Classics Ethereal Library
«Introdução à Vida Devota» ? (em inglês). Internet Archive
«Set Your Heart Free] Readings De Sales» (em inglês)
«Spiritual Conferences» (em inglês). Oblates.org. Consultado em 4 de junho de 2014. Arquivado do original em 30 de setembro de 2013
«The Catholic Controversy» (em inglês). Consultado em 4 de junho de 2014. Arquivado do original em 27 de setembro de 2007
«Treatise on the Love of God» (em inglês). Christian Classics Ethereal Library
Praxis spiritualis Francisco de Sales, Hermann Stortelbeck - 1614 - 575 páginas
Tractatus amoris divini Francisco de Sales, Henri Lamormain - 1697
Philothea, seu introductio ad vitam devotam Francisco de Sales - 1654
Collocutiones spirituales Francisco de Sales, Henri Lamormain - 1648
Regula Salesiana oder christliche Richtschnur Francisco de Sales, Melchior Breidenbach - 1660
Introduction la la vie devote Francisco de Sales - 1648 - 378 páginas
Lettres, François (de Sales) - Volume 1 - volume 2 volume 3 - volume 4 - volume 5vdeDoutores da Igreja
Santo Afonso de Ligório
Santo Agostinho
Santo Alberto Magno
Santo Ambrósio
Santo Anselmo
Santo António de Lisboa
Santo Atanásio de Alexandria
São Basílio
Venerável Beda
São Bernardo de Claraval
São Boaventura
Santa Catarina de Siena
São Cirilo de Alexandria
São Cirilo de Jerusalém
Santo Efrém
São Francisco de Sales
São Gregório, o Grande
São Gregório de Narek
São Gregório Nazianzeno
Santo Hilário de Poitiers
Santa Hildegarda de Bingen
Santo Isidoro
São Jerônimo
São João Cristóstomo
São João da Cruz
São João Damasceno
São João de Ávila
Papa Leão, o Grande
São Lourenço de Brindisi
São Pedro Canísio
São Pedro Crisólogo
São Pedro Damião
São Roberto Belarmino
Santa Teresa de Ávila
Santa Teresinha do Menino Jesus
São Tomás de Aquino
Padres da Igreja ? Três Hierarcas Sagrados