empresas de sistema em Palmas

Encontre empresas de sistema em Palmas na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

Sistema

Conjunto de partes, coordenadas entre si.
Conjunto de partes similares.
Forma de governo ou constituição política ou social de um Estado: _sistema republicano_.
Combinação de partes, por forma que concorram para certo resultado.
Plano.
Modo de coordenar as noções particulares de uma arte, ciência, etc.
Modo, hábito, uso: _o meu sistema de vida_.
Método.
Conjunto de leis ou de princípios, que regulam certa ordem de fenómenos: _o nosso sistema planetário_.
Conjunto de intervalos musicais elementares, compreendidos entre os dois limites sonoros extremos, apreciáveis ao ouvido.


Palmas

Nota: Para outros significados, veja Palmas (desambiguação).Município de Palmas
"PMW" "Terra das Oportunidades" "A mais Brasileira das Capitais" "A Caçula das Capitais" "Capital da Fé"
Acima, os dezoito do Forte de Copacabana e a praia da Graciosa; ao meio, a ponte FHC; abaixo, a vista parcial da ponte e o Palácio Araguaia.BandeiraBrasãoHino
Fundação20 de maio de 1989 (30 anos)
Emancipação1 de janeiro de 1990 (29 anos)
Gentílicopalmense
LemaCo yvy ore retama"Esta terra é nossa"
Prefeito(a)Cinthia Ribeiro (PSDB)(2017 – 2020)
Localização
Localização de Palmas no TocantinsPalmas Localização de Palmas no Brasil
10° 11' 04" S 48° 20' 01" O10° 11' 04" S 48° 20' 01" O
Unidade federativaTocantins
Região intermediária
Palmas IBGE/2017[1]Região imediata
Palmas IBGE/2017[1]Região metropolitanaPalmas
Municípios limítrofesAparecida do Rio Negro, Lajeado, Miracema do Tocantins, Monte do Carmo, Novo Acordo, Porto Nacional e Santa Tereza do Tocantins
Distância até a capital920 km[2]
Características geográficas
Área2 218,942 km² [3]
DistritosBuritirana, Palmas (sede) e Taquaruçu
População291 855 hab. (TO: 1º) ? estatísticas IBGE/2018[4]
Densidade131,53 hab./km²
Altitude280 m
Climatropical Aw
Fuso horárioUTC?3
Indicadores
IDH-M0,788 (TO: 1º) ? alto PNUD/2010[5]
PIBR$ 8 108 594,61 mil IBGE/2016[6]
PIB per capitaR$ 28 974,17 IBGE/2016[6]
Página oficial
Prefeiturawww.palmas.to.gov.br
Câmarawww.palmas.to.leg.brPalmas é um município brasileiro, sendo a capital e também a maior cidade do estado do Tocantins. A cidade foi fundada em 20 de maio de 1989, logo após a criação do Tocantins pela Constituição de 1988, pelo governador José Wilson Siqueira Campos que encarregou, mediante contrato, os arquitetos Luís Fernando Cruvinel Teixeira e Walfredo Antunes de Oliveira Filho, para a realização do projeto arquitetônico e urbanístico. A partir daí, a cidade começou a ser construída pelos trabalhadores que vieram do interior do Tocantins e de vários outros estados do país. Entretanto, somente a partir do dia 1° de janeiro de 1990, é que Palmas passou a ser a capital definitiva do estado, já que antes a cidade ainda não possuía condições físicas de sediar o governo estadual, que estava alocado temporariamente no município vizinho de Miracema do Tocantins.
Palmas é a última cidade do século XX completamente planejada[7], já que a cidade nasceu e foi projetada desde o início para ser a capital do estado do Tocantins, sendo também a mais nova capital estadual do país.[7] O município caracteriza-se também por ter a melhor qualidade de vida entre as capitais e municípios do norte brasileiro. O crescimento de Palmas foi demasiado durante a década de 1990. Em 1991 a cidade tinha uma população de 24.261 habitantes. No ano de 2000, a cidade já contava com 130.528 habitantes. Sua urbanização também cresceu nos últimos anos. Apesar de uma desaceleração, Palmas tem um crescimento econômico de 8,7%, maior do que o índice nacional e do estadual.Índice1 Etimologia
2 História2.1 Ocupação indígena e movimentos separatistas (Pré-Fundação)
2.2 Nova capital
3 Geografia3.1 Clima
4 Demografia
5 Subdivisões
6 Economia
7 Política7.1 Relações Internacionais
8 Estrutura urbana8.1 Saúde
8.2 Educação
8.3 Segurança, violência e criminalidade
8.4 Habitação, serviços e comunicação
8.5 Transportes
9 Aspectos relevantes sobre o município9.1 I Jogos Mundiais dos Povos Indígenas
9.2 Novela "O outro lado do Paraíso"
9.3 Plano de Ação Palmas Sustentável
9.4 Palmas Capital da Fé
9.5 Natal dos sonhos
10 Ver também
11 Referências
12 Ligações externasEtimologia[editar | editar código-fonte]
O nome para batizar a capital do Tocantins, Palmas, foi escolhido em homenagem a Comarca de São João da Palma (atual Paranã), sede do primeiro movimento separatista da região, instalada em 1809 na barra do Rio Palma com o Rio Paranã. Outro fator que influenciou o nome foi a grande quantidade de palmeiras na região.[8]História[editar | editar código-fonte]
Ocupação indígena e movimentos separatistas (Pré-Fundação)[editar | editar código-fonte]
Antes da chegada dos europeus ao continente americano, no século XVI, a porção central do Brasil era ocupada por indígenas do tronco linguístico macro-jê, como os acroás, os xacriabás, os xavantes, os caiapós, os javaés, entre outros povos indígenas.[9]
A história de Palmas é intimamente relacionada com a história de seu estado. A área em que se localiza o Tocantins na atualidade era o norte do estado de Goiás, e desde o século XIX houve alguns movimentos separatistas na região.[10] Em 1809, um movimento separatista da região de Goiás chamada Vila da Palma foi instalado na barra do rio Palma com o rio Paranã.[8] Já em 1821, após um isolamento daquela região provocada pelo rei João VI de Portugal causou outra revolta separatista, quando o Desembargador
Joaquim Teotônio Segurado proclamou um governo autônomo para aquela região. Todavia, em três anos a revolta foi contida por Caetano Maria Gama, presidente daquela província, nomeado por Dom Pedro I[10], então imperador do Brasil.
A divisão de Goiás ficou em latência até os anos 70 do século XX, quando foi discutida no Congresso Nacional, e aprovada em 1988[10]Nova capital[editar | editar código-fonte]
Somente anos depois, com o desmembramento do estado do Tocantins do estado de Goiás pela Constituição de 1988, é que Palmas finalmente começou a surgir. No dia 10 de janeiro de 1989, a cidade de Miracema do Tocantins foi definida como capital provisória do estado.[11] No dia 15 de fevereiro de 1989, a Assembleia autorizou o então governador Siqueira Campos a desapropriar a área da Serra do Carmo e a leste do povoado de Canela para a criação da nova capital do estado idealizada pelo então governador da época. No dia 6 de março do mesmo ano, por decreto, foi criada a Comissão de Implantação da Nova Capital (Novacap) e, no dia 20 de maio de 1989, foi lançada a pedra fundamental da cidade, numa solenidade que reuniu cerca de dez mil pessoas na Praça dos Girassóis. No mesmo dia, o governador Siqueira Campos acionou o trator, abrindo a avenida Teotônio Segurado, a primeira via arterial da cidade. Grande parte do município foi construído por trabalhadores oriundos de várias localidades do Brasil.[12]
No dia 19 de julho do mesmo ano, a Assembleia Estadual Constituinte aprovou o projeto de lei do executivo criando o Município de Palmas. A lei foi sancionada no dia 1 de agosto seguinte, quando Siqueira Campos confirmou a transferência da capital de Miracema do Tocantins para Palmas.[13]
Somente em 1 de janeiro de 1990 é que Palmas assumiu sua função de capital do estado e os poderes constituídos foram transferidos da capital provisória, Miracema, para o plano diretor da nova cidade. Porém, as repartições do governo ainda não existiam e não tinham acomodações para alojar o pessoal administrativo.[8] O primeiro prefeito do município foi Fenelon Barbosa Sales.[14]
Hoje, a população da cidade já chega a quase trezentas mil pessoas. Cidade planejada, foi construída contendo avenidas largas, uma preservação ambiental eficiente e bons locais públicos. Palmas foi a capital com o maior crescimento demográfico durante a primeira década do século XXI.[15][16]Geografia[editar | editar código-fonte]
Palmas é a capital do vigésimo quarto estado mais populoso do Brasil, Tocantins,[17] situando-se nas coordenadas geográficas 10° 11' 04" sul e 48° 20' 01" oeste, sendo que o Paralelo 10 Sul e o Meridiano 48 Oeste passam por dentro do território do município. A área original do município de Palmas, segundo o IBGE é de 2219 km2.[18] Sua altitude é de 260m. Os municípios vizinhos a Palmas são respectivamente: Lajeado e Aparecida do Rio Negro ao norte; Novo Acordo e Santa Tereza do Tocantins ao leste; Monte do Carmo ao sudeste e ao sul; Porto Nacional ao sul, ao sudoeste e ao oeste; e Miracema do Tocantins ao noroeste.
De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo IBGE,[19] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária e Imediata de Palmas.[1] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, fazia parte da microrregião de Porto Nacional, que por sua vez estava incluída na mesorregião Oriental do Tocantins.[20]
O relevo está caracterizado pelas Serras do Carmo e do Lajeado, que constituem um relevo basicamente escarposo, sendo que a cidade se mantêm em uma 'planície' entre a Serra e o lago represado. O principal rio que banha o município de Palmas é o Rio Tocantins. O trecho deste rio que banha o município faz parte do lago formado pela Usina Hidrelétrica de Lajeado, que fica localizada a pouco mais de 54 km ao norte da cidade, no município vizinho de Lajeado. Dentre os outros cursos d'água que passam pelo município, destacam-se o Rio das Balsas, o Ribeirão das Pedras, o Ribeirão Taquaruçu, o Córrego Macaco e o Ribeirão Taquaruçu Grande.Clima[editar | editar código-fonte]
Palmas é considerada a capital mais quente do Brasil na atualidade. Predomina o clima tropical de savana (Aw, segundo a classificação climática de Köppen-Geiger), quente o ano todo, com baixa amplitude térmica.[21] A temperatura média compensada anual é de 27 °C.[22]Maiores acumulados de precipitação em 24 horas registradosem Palmas por meses (INMET, 25/11/1993-presente)[23]
MêsAcumuladoDataMêsAcumuladoData
Janeiro132,2 mm18/01/2017Julho21,1 mm20/07/2000
Fevereiro114,1 mm15/02/2005Agosto8,4 mm31/08/2003
Março156,5 mm23/03/2010Setembro55,1 mm21/09/2006
Abril73,6 mm20/04/2006Outubro101,9 mm23/10/2010
Maio46,2 mm08/05/2009Novembro142,2 mm30/11/1995
Junho35,5 mm23/06/1994Dezembro126 mm22/12/1999A distribuição sazonal das precipitações pluviais está bem caracterizada, no ano, por dois períodos bem definidos: a estação chuvosa, de outubro a abril, com temperatura média de 26 °C, com ventos fracos e moderados; e a estação seca, nos meses de maio a setembro com temperatura média que varia entre 23 °C e 27 °C. O índice pluviométrico é superior a 1 800 milímetros (mm) anuais.[22] Durante o período seco a umidade do ar despenca, podendo ficar abaixo dos 15%.
Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), a menor temperatura registrada em Palmas desde 1993 (a partir de 25 de novembro) foi de 11,5 °C nos dias 21 de agosto de 1994 e 12 de julho de 1996.[24] A maior temperatura registrada na cidade foi de 43,0 °C em 25 de outubro de 2017, superando os 42,3 °C do dia 21 de outubro de 2017 e os 42,1°C do dia 16 de outubro de 2015.[25] O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 156,5 mm em 23 de março de 2010. Outros grandes acumulados foram 142,2 mm em 30 de novembro de 1995, 132,5 mm em 29 de março de 2006, 132,2 mm em 18 de janeiro de 2017, 126 mm em 22 de dezembro de 1999, 116,2 mm em 9 de março de 2014, 114,1 mm em 15 de fevereiro de 2005, 112,5 mm em 23 de janeiro de 2010, 111,1 mm em 21 de janeiro de 2003, 110,7 mm em 7 de novembro de 1999, 109,5 mm em 7 de fevereiro de 2000, 108,7 mm em 11 de novembro de 2017[26] e 101,9 mm em 23 de outubro de 2010.[23]
Dados climatológicos para Palmas
MêsJanFevMarAbrMaiJunJulAgoSetOutNovDezAno
Temperatura máxima recorde (°C)3839,739,63839,739,938,741,5424340,240,1 43
Temperatura máxima média (°C)31,831,731,632,533,233,834,536,236,634,532,732 33,4
Temperatura média compensada (°C)26,1262626,526,625,925,927,528,927,626,826,3 26,7
Temperatura mínima média (°C)22,322,322,422,521,819,718,820,222,722,722,522,4 21,7
Temperatura mínima recorde (°C)19,31919,318,516,113,711,511,514,818,418,719,7 11,5
Precipitação (mm)285,4274,3292,8175,469,76,91,21,955,7161,1243,6263,6 1 831,6
Dias com precipitação (? 1 mm)1816191360014111516 119
Umidade relativa compensada (%)80,781,782,379,172,360,75345,350,668,275,779,1 69,1
Horas de sol158,9138151,9179,9233277,2302298,5237,7190,8168,9152,2 2 489
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[22] recordes de temperatura: 25/11/1993-presente)[24][25] Demografia[editar | editar código-fonte]Crescimento populacional
Censo
Pop.%±
199124 261?2000137 355466,2%2010228 33266,2%Est. 2018291 855Erro de expressão: Número inesperadoErro de expressão: Número inesperadoErro de expressão: Número inesperadoErro de expressão: Número inesperadoErro de expressão: Número inesperadoErro de expressão: Número inesperadoErro de expressão: Número inesperadoErro de expressão: Número inesperadoErro de expressão: Número inesperadoErro de expressão: Número inesperadoErro de expressão: Número inesperadoErro de expressão: Número inesperadoErro de expressão: Número inesperado%Fonte: IBGE[27]Palmas possuiu as mais importantes taxas de crescimento demográfico do Brasil nos últimos dez anos, recebendo pessoas de praticamente todos os estados brasileiros, com destaque para os estados vizinhos ao Tocantins. Segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município atingiu um crescimento populacional de mais de 110% em 2008 comparando com a população residente em 1996, saindo dos 86.116 habitantes para uma estimativa de 184.010 habitantes, segundo pesquisas divulgadas pelo IBGE.
Nos últimos anos, o desenvolvimento econômico pelo qual tem passado o município de Palmas de certa forma tem contribuído para a atração de um contingente populacional proveniente de diversas partes do país. Esta corrente migratória se deve à expectativa gerada com o surgimento de oportunidades de negócios e empregos em função da implantação do estado e da capital.
O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Palmas é considerado elevado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), seu valor é de 0,788, sendo o maior de todo o estado de Tocantins (em 139 municípios); primeira de toda Região Norte do Brasil (de 449) e o 76° de todo Brasil (de 5 565). Considerando apenas a educação, o valor do índice é de 0,934 (classificado como muito elevado), enquanto o do Brasil é 0,849. O índice da longevidade é de 0,712 (o brasileiro é 0,638) e o de renda é de 0,754 (o do Brasil é 0,723).[28] A cidade possui a maioria dos indicadores elevados e parecidos com os da média nacional segundo o PNUD. A incidência da pobreza, medida pelo IBGE, é de 5,43%, o limite inferior da incidência de pobreza é de 1,56%, o superior é de 9,30% e a incidência da pobreza subjetiva é de 3,64%. O coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, é de 0,42, numa escala entre 1,00 (pior número) e 0,00 (melhor).[29]Subdivisões[editar | editar código-fonte]
Ver artigo principal: Lista de bairros de Palmas
Além da região do Plano Diretor, da região de Taquaralto e dos Aurenys (sede municipal), o município de Palmas também possui dois distritos localizados ao longo da rodovia TO-030, sendo estes o distrito de Taquaruçu e o distrito de Buritirana. Além destas localidades, o distrito de Luzimangues, localizado na margem esquerda do Rio Tocantins, também está intrinsecamente ligado a Palmas. Este último está localizado em território do município vizinho de Porto Nacional, estando às margens da rodovia TO-080.Economia[editar | editar código-fonte]
Atividades econômicas de Palmas em 2012.[30]
Palmas foi concebida e projetada a partir de um concurso nacional em 1992. Para ser o centro administrativo e econômico do Tocantins, e devido a isso, o setor de serviços é o principal setor da economia palmense. A participação da agropecuária na economia palmense é menor do que a do setor de serviços, estando baseada em pequenas chácaras no entorno da cidade e das rodovias que dão acesso a Palmas, além de grandes fazendas de plantação de soja e de criação de gado no distrito de Buritirana.
A economia é predominantemente formal, formada principalmente por sociedades limitadas e firmas individuais. As micro empresas são as mais comuns no município, sendo que elas compõem mais de 80% das 4 394 empresas palmenses.Evolução do PIB e do PIB per capita de Palmas
AnosPIB(em reais)PIB per capita(em reais)
2002
1 220 794
7 189
2003
1 286 944
7 049
2004
1 530 883
8 159
2005
1 733 265
8 326
2006
1 961 325
8 879
2007
2 254 480
12 638
2012
4 130 976
17 065
2013
5 824 406
22 583
A cidade possui quatro distritos industriais, sendo eles o Distrito Industrial de Palmas, o Distrito Industrial Tocantins I, o Distrito Industrial Tocantins II e o Distrito Industrial de Taquaralto. Todos eles ficam localizados às margens das rodovias TO-050 e TO-010.
O desenvolvimento de Palmas fez com que se tornasse uma cidade-polo, cuja influência socioeconômica abrange, além de todo o estado do Tocantins, o sudeste do Pará, o nordeste do Mato Grosso e do sul do Maranhão.
Em 2013 o Produto Interno Bruto (PIB) de Palmas foi estimado em R$ 5,82 bilhões, o menor entre as capitais brasileiras. Palmas recebeu investimentos, tais como: o Capim Dourado Shopping; o pátio multimodal da Ferrovia Norte-Sul (localizado no município de Porto Nacional, às margens da TO-080)Composição econômica de Palmas[31]
Serviços
57,53 %
Agropecuária
34,59 %
Indústria
7,87 %Política[editar | editar código-fonte]
Ver artigo principal: Lista de prefeitos de Palmas
A Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins, localizada na Praça dos Girassóis.
De acordo com a Constituição de 1988, Palmas está localizada em uma república federativa presidencialista. A forma de Estado foi inspirada no modelo estadunidense, no entanto, o sistema legal brasileiro segue a tradição romano-germânica do Direito positivo. O federalismo no Brasil é mais centralizado do que o federalismo estadunidense; os estados brasileiros têm menos autonomia do que os estados norte-americanos, especialmente quanto à criação de leis.[32] A administração municipal se dá pelo poder executivo (Prefeitura de Palmas) e pelo poder legislativo (Câmara Legislativa de Palmas).[33]
Em sua história, Palmas já teve cinco prefeitos. Todos foram eleitos por votação pública, sendo que Carlos Amastha, o atual prefeito está na prefeitura e governará de2013 até 2020.[34]Relações Internacionais[editar | editar código-fonte]
Cidades-irmãs é uma iniciativa do Núcleo das Relações Internacionais[35], que busca a integração entre a cidade e demais municípios nacionais e estrangeiros. A integração entre os municípios é firmada por meio de convênios de cooperação, que têm o objetivo de assegurar a manutenção da paz entre os povos, baseada na fraternidade, felicidade, amizade e respeito recíproco entre as nações. Oficialmente Palmas tem duas Cidades-irmãs, são elas: Araguaína, Tocantins, Brasil[36]
Colorado Springs, Colorado, Estados Unidos[37]
Palmas sedia um consulado: Consulado Honorário da Colômbia
Estrutura urbana[editar | editar código-fonte]
Saúde[editar | editar código-fonte]
Em Palmas 100% de cobertura na atenção básica e 86% de cobertura em saúde bucal, o que elevou a capacidade de ofertas de consultas médicas de 282 mil consultas/ano para 524 mil consultas/ano, comparando 2015 a 2016.
E quando o assunto é qualidade de vida, a cidade apresenta um cenário bastante animador. Em abril de 2017 foi divulgada uma pesquisa do Ministério da Saúde apontando que Palmas possui o menor índice de obesidade entre capitais do País, 47,7. E alcança bons resultados também quanto à hipertensão arterial com 16,9, também o menor do país, e com um índice de 5,8, terceiro menor, empatada com Rio Branco (AC), em relação ao diabetes.
Segundo informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Palmas dispunha de um total de 144 estabelecimentos de saúde em 2009, sendo 61 públicos e 83 privados, os quais dispunham no seu conjunto de 364 leitos para internação, sendo que quase 300 são públicos. A cidade também conta com atendimento médico ambulatorial em especialidades básicas, atendimento odontológico com dentista e presta serviço ao Sistema Único de Saúde (SUS).[38] Em 2009 existiam 73 683 mulheres em idade fértil (entre 10 e 49 anos). Palmas contava em abril de 2010 com 79 anestesistas, 271 auxiliares de enfermagem, 44 cirurgiões gerais, 309 cirurgiões dentistas, 189 clínicos gerais, 231 enfermeiros, 92 farmacêuticos, 120 fisioterapeutas, 38 fonoaudiólogos, 80 gineco-obstetras, 48 médicos de família, 17 nutricionistas, 90 pediatras, 69 psicólogos, 13 psiquiatras, 48 radiologistas e 635 técnicos de enfermagem, totalizando 2373 profissionais de saúde. Em 2008 foram registrados 3 959 nascidos vivos, sendo que 5,6% nasceram prematuros, 53,2% foram de partos cesáreos e 17,8% foram de mães entre 10 e 19 anos (0,6% entre 10 e 14 anos). A taxa bruta de natalidade era de 21,5 por 100 mil habitantes. No mesmo ano, a taxa de mortalidade infantil era de 15,4 por mil nascidos vivos e a taxa de óbitos era de 3,2 por mil habitantes.[39]
Segundo uma pesquisa realizada nos últimos anos, a saúde pública de Palmas traz a satisfação de 90% da população. O Hospital de Urgências de Palmas e o HGP são alguns dos principais hospitais da cidade. Entretanto, doenças como a Dengue estão trazendo dados pouco a pouco alarmantes para a cidade.[40]Educação[editar | editar código-fonte]
O Terminal Rodoviário de Palmas, localizado na Quadra 1212 Sul, em frente ao entroncamento entre a Avenida LO-27 e a rodovia TO-050.
Os resultados do índice de Desenvolvimento de Educação Básica (IDEB) 2015, divulgados pelo Ministério da Educação, revelam que Palmas alcançou a meta inicialmente prevista pelo Ministério da Educação para 2021, tanto nas séries iniciais (4º e 5º anos) quanto nas finais (8º e 9º anos). O ranking do IDEB mostra ainda que Palmas obteve o melhor índice entre capitais nas séries finais (5.6) - superando Curitiba - e com o segundo melhor nas séries iniciais, atrás apenas da capital paranaense.
O Ministério da Educação (MEC) concedeu ao município de Palmas o "Selo Município Livre de Analfabetismo". A cidade está entre os 207 municípios que atingiram mais de 96% de alfabetização e, com esse documento, o MEC reconhece o esforço realizado, principalmente, com jovens e adultos acima de 15 anos.
O fator educação do IDH no município atingiu a marca de 0,934 ? patamar consideravelmente elevado, em conformidade aos padrões do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) ? ao passo que a taxa de analfabetismo indicada pelo último censo demográfico do IBGE em 2000 foi de 6,33%.
Palmas tem um sistema de ensino primário e secundário, público e privado, e uma variedade de profissionais de escolas técnicas. Em 2009 havia na cidade 89 estabelecimentos de ensino fundamental, 64 unidades pré-escolares, 29 escolas de nível médio e mais algumas instituições de nível superior. No total foram 36 538 matrículas e 1 536 docentes registrados em 2009.[41] No ensino superior, destacam-se importantes universidades públicas e privadas. As instituições públicas de ensino superior sediadas em Palmas são: a Universidade Federal de Tocantins (UFT) , Instituto Federal do Tocantins (IFTO) e a Unitins (Universidade Estadual do Tocantins)
Tomando por base o relatório do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 2005, o município obteve quase 3,3 pontos, e a tendência é de se chegar a 5,6 em 2021.[42] Na classificação geral do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) de 2008, nenhuma escola da cidade figurou entre as 50 melhores do ranking.[43]Segurança, violência e criminalidade[editar | editar código-fonte]
Palmas registrou 12,8 casos de homicídios por 100 mil habitantes, sendo tal quantidade a menor dentre as capitais brasileiras.[44]Habitação, serviços e comunicação[editar | editar código-fonte]
A Prefeitura de Palmas recebeu em 17/03/2017, o selo comemorativo da universalização do serviço de coleta e tratamento de esgoto, uma vez que a Capital tocantinense atingiu a meta levando o serviço a mais de 80% dos moradores.
No ano de 2010, segundo o IBGE, a cidade tinha 68 679 domicílios entre apartamentos, casas, e cômodos. Desse total, 37 113 eram imóveis próprios, sendo 31 989 próprios já quitados (46,57%),5 124 em aquisição (7,46%) e 26 299 alugados (38,29%); 5 054 imóveis foram cedidos, sendo 951 por empregador (1,38%) e 4 013 cedidos de outra maneira (5,84%). 213 foram ocupados de outra forma (0,31%). Grande parte do município conta com água tratada, energia elétrica, esgoto, limpeza urbana, telefonia fixa e telefonia celular. Naquele ano, 95,52% dos domicílios eram atendidos pela rede geral de abastecimento de água; 96,99% das moradias possuíam coleta de lixo e 94,23% das residências possuíam escoadouro sanitário.[45] Atualmente, o lixo da capital tocantinense é jogado no Aterro Sanitário de Palmas. Criado em 2001, é considerado um modelo nacional.[46]Transportes[editar | editar código-fonte]
O Aeroporto de Palmas, localizado nas proximidades do setor Jardim Aureny III, na região sul da cidade.
Palmas encontra-se localizada próxima à rodovia BR-153 (também conhecida como Rodovia Belém-Brasília). Pela BR-153, o município tem acesso às principais cidades do Tocantins e demais regiões do país, especialmente o Centro-Sul e os demais estados do Meio-Norte (Maranhão, Pará e Amapá). A TO-050 também é uma importante via de acesso a Palmas, sendo responsável por ligar a cidade ao município vizinho de Porto Nacional, à região sudeste do estado, ao nordeste de Goiás, ao estado da Bahia e ao Distrito Federal.
Por Palmas também passa a BR-010, que apesar de ser uma rodovia federal, é administrada pela prefeitura no trecho urbano da cidade e pelo governo do estado no trecho rural. Dentro do município, a BR-010 segue o mesmo percurso das rodovias TO-050 e TO-020.
De uma forma geral, as rodovias que passam pelo município de Palmas, são: a BR-010; a TO-010; a TO-020; a TO-030; a TO-040, TO-050, TO-070, a TO-080, a TO-365 (no distrito de Taquaruçu) e a TO-453 (no distrito de Buritirana).
As empresas que operam o sistema de transporte coletivo na cidade são: Expresso Miracema, Viação Capital (Viacap) e a Palmas Superurbano. Na cidade existem seis terminais de integração, sendo que cada um deles recebe o nome de uma das tribos indígenas do Tocantins. São eles: Estação Apinajé, Estação Xambioá, Estação Krahô, Estação Xerente, Estação Karajá e Estação Javaé. Destes terminais partem todas as linhas de transporte coletivo da cidade, sendo que a linha que interliga todos eles recebe o nome de Eixão.
Em oito anos, a frota de Palmas teve um aumento de quase 240%, saltando de 27 219 veículos em 2001 para 132 537 em 2012.[47][48]Aspectos relevantes sobre o município[editar | editar código-fonte]
I Jogos Mundiais dos Povos Indígenas[editar | editar código-fonte]
1º Edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas (JMPI) realizado no período de 23 de outubro a 1º de novembro de 2015 - obtendo a participação de 2.000 atletas indígenas distribuídos, sendo 24 etnias brasileiras e 22 delegações internacionais, nas modalidades esportivas divididas em jogos de integração (arremesso de lança, arco e flecha, cabo de força, canoagem, corrida, corrida de fundo, corrida de tora, natação e futebol masculino e feminino) e jogos de demonstração (jikunahati, jawari, akô, kagót, kaipy, ronkrãn).
O evento trouxe o slogan "o importante não é ganhar e sim celebrar", além das competições esportivas o evento possibilitou uma interação e integração cultural entre os povos de modo a enriquecer as culturas existentes e proporcionar a valorização dos povos indígenas no cenário mundial.
Em comemoração ao dia Internacional dos Povos Indígenas - dia 09 de agosto - a Prefeitura de Palmas inaugurou o Parque dos Povos Indígenas - contando com pistas de skate, pista de caminhada, pista de corrida, diversas quadras esportivas, praça de alimentação e paisagismo contemplando símbolos da cultura indígena.Novela "O outro lado do Paraíso"[editar | editar código-fonte]
Em 23 de outubro de 2017 ocorreu a estreia da telenovela "O Outro Lado do Paraíso", trama da Rede Globo que tem como cenário a cidade de Palmas. É escrita por Walcyr Carrasco e conta com elenco reconhecido na mídia nacional e internacional. Coincidentemente, o primeiro capítulo da novela se deu dois anos após a abertura dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas.Plano de Ação Palmas Sustentável[editar | editar código-fonte]
O Plano de Ação Palmas Sustentável foi lançado pela Prefeitura de Palmas em 26/06/2015 com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), da CAIXA e do Instituto Pólis, por meio da Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES) do BID. O processo envolveu etapas de diagnóstico, priorização de áreas e o desenvolvimento de soluções sobre os desafios de desenvolvimento de médio e longo prazo da cidade.
Palmas é a quarta cidade brasileira a receber o plano de ação dentro da parceria com a CAIXA, e conta com bons indicadores socioeconômicos se comparada a outras cidades da América Latina e Caribe. Entretanto, possui desafios importantes a serem vencidos para garantir a sustentabilidade de seu território no longo prazo.
A cidade apresenta potencialidades para o crescimento econômico, com abundância de recursos hídricos e grande potencial para geração de energia limpa, bons índices de conectividade, gestão adequada da dívida e das obrigações fiscais, alta expectativa de vida e baixas taxas de mortalidade infantil.
Entretanto, alguns indicadores merecem atenção imediata para o desenvolvimento sustentável da cidade como mobilidade urbana, competitividade da economia, uso do solo, ordenamento territorial, desigualdade urbana, gestão pública moderna e autonomia financeira. Uma pesquisa de opinião pública demonstra ainda preocupação da população com saúde, segurança, renda e educação. Essa pesquisa foi utilizada como um dos elementos para a priorização dos temas selecionados na cidade.
O estudo indica que, para alcançar seus objetivos, a cidade de Palmas deve estimular o potencial turístico ainda não explorado e incentivar novas modalidades de negócios para impulsionar a economia e desenvolvimento da região. É preciso ainda buscar sinergias e somar esforços com diferentes esferas de governo e da sociedade que permitirão ampliar a governabilidade e buscar soluções concretas para problemas prementes e de grande impacto na qualidade de vida dos cidadãos, como a mudança no ordenamento territorial buscando tornar a cidade mais compacta. Palmas Capital da Fé[editar | editar código-fonte]
?Palmas Capital da Fé? é um evento que acontece anualmente na época de carnaval, instituído pela Gestão Amastha e reúne pessoas de todo o estado e do país.
É um grande evento que reúne cantores e importantes figuras dos cenário cristão dando escopo as pessoas que buscam neste período uma programação saudável e tranquila.
A primeira edição aconteceu em fevereiro de 2015 e contou com apresentação de 23 artistas e bandas.
Já no ano de 2017 o evento ganhou maior destaque trazendo apresentadores nacionalmente conhecidos como: Padre Fábio de Melo, Priscilla Alcântara e Anderson Freire.Natal dos sonhos[editar | editar código-fonte]
A cidade conta também com lindas decorações natalinas todos os anos, fazendo a alegria de crianças e adultos que vêm de todos os lugares prestigiar esse momento, denominado de ?O natal dos sonhos?.
A cidade conta nesta época com a maior túnel de LED do Brasil.Ver também[editar | editar código-fonte]
Centro Universitário Luterano de Palmas (CEULP/ULBRA)
Estádio Nilton Santos
Faculdade Católica do Tocantins
Fundação Universidade do Tocantins (UNITINS)
Palácio Araguaia
Palmas Futebol e Regatas
Planejamento urbano
Ponte Fernando Henrique Cardoso
Referências? a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 3 de fevereiro de 2018 ? Atlas Geográfico do Brasil. «Capitais dos estados». Consultado em 1 de janeiro de 2011. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2018 ? Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (15 de janeiro de 2013). «Áreas dos Municípios». Consultado em 3 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2018 ? Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de agosto de 2018). «Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em 1º de julho de 2018». Consultado em 29 de agosto de 2018 ? Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 2 de agosto de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 ? a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 15 de dezembro de 2018. Cópia arquivada em 15 de dezembro de 2018 ? a b «Estado do Tocantins». cidades.com. Consultado em 17 de setembro de 2009 ? a b c «História de Palmas - TO». Ache Tudo e Região. Consultado em 17 de setembro de 2009 ? CHAIM, M. M. Aldeamentos Indígenas (Goiás 1749-1811). Segunda edição. São Paulo: Nobel, 1983. p. 48? a b c «Histórico» (PDF). IBGE. Consultado em 26 de maio de 2012 ? «Miracema do Tocantins». Governo do Tocantins. Consultado em 26 de maio de 2012 ? «Palmas comemora 22 anos de novas oportunidades». Band. Consultado em 26 de maio de 2012 ? «Palmas, {{subst:Número2palavra2|17}} anos - Um Pouco de História». Geocities. Consultado em 17 de setembro de 2009 ? «Primeiro prefeito de palmas vai se candidatar». O Jornal. 16 de dezembro de 2007. Consultado em 17 de setembro de 2009 ? «Palmas 23 anos: Governo comemora avanços da última capital planejada do século XX». Portal CT. Consultado em 26 de maio de 2012 ? «Palmas é a capital com o maior crescimento populacional em 10 anos». G1. Consultado em 26 de maio de 2012 ? IBGE. «Brasil». Consultado em 26 de maio de 2012. Arquivado do original em 23 de fevereiro de 2011 ? IBGE. «Palmas - TO». Consultado em 26 de maio de 2012 ? Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 3 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2018 ? Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Divisão Territorial Brasileira 2016». Consultado em 3 de fevereiro de 2018 ? «Palmas, Tocantins, Brasil». DB-City. Consultado em 26 de maio de 2012 ? a b c «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 23 de março de 2018 ? a b «BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Precipitação (mm) - Palmas». Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa. Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 11 de abril de 2014 ? a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Palmas». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 11 de abril de 2014 ? a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Palmas». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 11 de abril de 2014 ? «Consulta Dados da Estação Convencional: PALMAS (TO)». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 11 de novembro de 2017 ? Censos demográficos do Brasil de 1872 a 2010.? Caminhos. «Palmas (TO)». Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Consultado em 11 de maio de 2012 ? Cidades@ - IBGE (2003). «Mapa de Pobreza e Desigualdade - Municípios Brasileiros 2003». Consultado em 26 de maio de 2012 ? «Atividades econômicas em Palmas (2012)». Plataforma DataViva. Consultado em 13 de janeiro de 2014 ? «Prefeito Raul Filho lança a I Feira da Moda do Tocantins nesta quinta-feira, 17». Prefeitura. 16 de setembro de 2009. Consultado em 17 de setembro de 2009 ? Organização dos Estados Americanos (OEA). «The Brazilian Legal System» (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2010 ? Matos, Jurandir Batista de (24 de agosto de 2010). «Lei Orgânica dos Municípios». Leis municipais. Consultado em 24 de agosto de 2010. Arquivado do original (pl) em 8 de setembro de 2012 ? «Raul Filho». Prefeitura de Palmas. Consultado em 26 de maio de 2012. Arquivado do original em 5 de abril de 2012 ? «Home page - Center for International Relations». Center for International Relations ? «História de Araguaína». Scribd ? «Conheça os Deputados». Portal da Câmara do Deputados ? «Serviços de Saúde». IGBE. Consultado em 4 de julho de 2012 ? «Município: Palmas - TO» (xls). DATASUS. Consultado em 27 de maio de 2012 ? «"Palmas caminha para se tornar referência também na saúde"». Jornal Opção. Consultado em 26 de maio de 2012 ? «Palmas - Educação». IGBE. Consultado em 4 de julho de 2012 ? «IDEB - Brasil». UOL. Consultado em 27 de maio de 2012 ? Bem Paraná (19 de julho de 2010). «Só UTFPR aparece na lista das 50 melhores escolas do País». Consultado em 19 de fevereiro de 2011 ? «Mapa da violência 2010» (PDF). Consultado em 4 de julho de 2012 ? «Censo Demográfico 2010: Resultados gerais da Amostra». 2010. Consultado em 4 de julho de 2012 ? «Aterro Sanitário de Palmas é considerado modelo nacional». Prefeitura de Palmas. Consultado em 4 de julho de 2012 ? «Frota de veículos cresce até 240% em oito anos nas maiores cidades do país». G1. Consultado em 4 de junho de 2012 ? «Frota do município de Palmas (2012)». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2012. Consultado em 6 de setembro de 2013
Ligações externas[editar | editar código-fonte]
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre PalmasPrefeitura de Palmas (em português)
Câmara Municipal (em português)
Palmas no Wikimapia
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins (em português)
Dados e informações do município no site do Ministério das Comunicações (em português)
Palmasvde Capitais do BrasilCapital Federal (DF) NorteBelém (PA) · Boa Vista (RR) · Macapá (AP) · Manaus (AM) · Palmas (TO) · Porto Velho (RO) · Rio Branco (AC)NordesteAracaju (SE) · Fortaleza (CE) · João Pessoa (PB) · Maceió (AL) · Natal (RN) · Recife (PE) · Salvador (BA) · São Luís (MA) · Teresina (PI)Centro-OesteCampo Grande (MS) · Cuiabá (MT) · Goiânia (GO)SudesteBelo Horizonte (MG) · Rio de Janeiro (RJ) · São Paulo (SP) · Vitória (ES)SulCuritiba (PR) · Florianópolis (SC) · Porto Alegre (RS)vde Hierarquia urbana do Brasil
Demografia do Brasil
Municípios do Brasil
vdeMetrópolesMetrópoles globais
São Paulo
Metrópoles nacionais
Brasília
Rio de Janeiro
Metrópoles regionais
Belém
Belo Horizonte
Curitiba
Fortaleza
Goiânia
Manaus
Porto Alegre
Recife
Salvador
vdeCapitais regionaisCapitais regionais A
Aracaju
Campinas
Campo Grande
Cuiabá
Florianópolis
João Pessoa
Maceió
Natal
São Luís
Teresina
Vitória
Capitais regionais B
Blumenau
Campina Grande
Cascavel
Caxias do Sul
Chapecó
Feira de Santana
Ilhéus/Itabuna
Joinville
Juiz de Fora
Londrina
Maringá
Ribeirão Preto
São José do Rio Preto
Uberlândia
Montes Claros
Palmas
Passo Fundo
Porto Velho
Santa Maria
Vitória da Conquista
Capitais regionais C
Araçatuba
Araguaína
Arapiraca
Araraquara
Barreiras
Bauru
Boa Vista
Cachoeiro de Itapemirim
Campos dos Goytacazes
Caruaru
Criciúma
Divinópolis
Dourados
Governador Valadares
Ijuí
Imperatriz
Ipatinga/Coronel Fabriciano/Timóteo
Juazeiro do Norte/Crato/Barbalha
Macapá
Marabá
Marília
Mossoró
Novo Hamburgo/São Leopoldo
Pelotas/Rio Grande
Petrolina/Juazeiro
Piracicaba
Ponta Grossa
Pouso Alegre
Presidente Prudente
Rio Branco
Santarém
Santos
São José dos Campos
Sobral
Sorocaba
Teófilo Otoni
Uberaba
Varginha
Volta Redonda/Barra Mansa
vdeCentros sub-regionaisCentros sub-regionais A
Alfenas
Anápolis
Apucarana
Bacabal
Bagé
Barbacena
Barra do Garças
Barretos
Bento Gonçalves
Botucatu
Cabo Frio
Caçador
Cáceres
Caicó
Cajazeiras
Campo Mourão
Castanhal
Catanduva
Caxias
Colatina
Crateús
Erechim
Floriano
Foz do Iguaçu
Franca
Francisco Beltrão
Garanhuns
Guanambi
Guarabira
Guarapuava
Iguatu
Irecê
Itajaí
Itaperuna
Itumbiara
Jacobina
Jaú
Jequié
Ji-Paraná
Joaçaba
Lages
Lajeado
Lavras
Limeira
Macaé
Manhuaçu
Muriaé
Nova Friburgo
Ourinhos
Paranaguá
Paranavaí
Parnaíba
Passos
Pato Branco
Patos
Patos de Minas
Pau dos Ferros
Paulo Afonso
Picos
Pinheiro
Poços de Caldas
Ponte Nova
Quixadá
Redenção
Rio Claro
Rio do Sul
Rio Verde
Rondonópolis
Santa Cruz do Sul
Santa Inês
Santa Rosa
Santo Ângelo
Santo Antônio de Jesus
São Carlos
São João da Boa Vista
São Mateus
Serra Talhada
Sinop
Sousa
Teixeira de Freitas
Toledo
Tubarão
Ubá
Umuarama
Uruguaiana
Centros sub-regionais B
Abaetetuba
Assu
Afogados da Ingazeira
Alagoinhas
Altamira
Andradina
Angra dos Reis
Araranguá
Araras
Araripina
Arcoverde
Ariquemes
Assis
Avaré
Balneário Camboriú
Balsas
Bom Jesus da Lapa
Bragança
Bragança Paulista
Breves
Brumado
Brusque
Cacoal
Cametá
Campo Maior
Capanema
Caratinga
Carazinho
Cataguases
Chapadinha
Cianorte
Concórdia
Conselheiro Lafaiete
Cruz Alta
Cruz das Almas
Cruzeiro do Sul
Currais Novos
Eunápolis
Frederico Westphalen
Guaratinguetá
Gurupi
Itabaiana
Itaberaba
Itaituba
Itajubá
Itapetininga
Itapeva
Itapipoca
Itaporanga
Ituiutaba
Ivaiporã
Janaúba
Linhares
Mafra
Palmares
Paragominas
Parintins
Pedreiras
Presidente Dutra
Registro
Resende
Ribeira do Pombal
Santana do Ipanema
Santo Antônio da Platina
São João del-Rei
São Lourenço
São Miguel do Oeste
São Raimundo Nonato
Senhor do Bonfim
Tefé
Teresópolis
Tucuruí
União da Vitória
Valença
Viçosa
Videira
Vilhena
Vitória de Santo Antão
Xanxerê
vdeCentros de zonaCentros de zona A
Acaraú
Açailândia
Adamantina
Além Paraíba
Almeirim
Almenara
Alta Floresta
Amparo
Aquidauana
Aracati
Aracruz
Araçuaí
Arapongas
Araxá
Assis Chateubriand
Barra do Corda
Barreiros
Bebedouro
Belo Jardim
Birigui
Bom Jesus
Caçapava do Sul
Cachoeira do Sul
Caetité
Caldas Novas
Camacan
Camaquã
Campo Belo
Campos Novos
Canindé
Canoinhas
Capelinha
Carangola
Carpina
Catalão
Catolé do Rocha
Caxambu
Ceres
Cerro Largo
Codó
Colinas do Tocantins
Conceição do Araguaia
Conceição do Coité
Cornélio Procópio
Corumbá
Corrente
Cruzeiro
Curitibanos
Cururupu
Curvelo
Diamantina
Diamantino
Dianópolis
Dois Vizinhos
Dracena
Encantado
Esperantina
Estância
Estrela
Fernandópolis
Formiga
Frutal
Governador Nunes Freire
Goiana
Goiás
Guanhães
Guaporé
Guaraí
Guaxupé
Ibaiti
Ibirubá
Icó
Imbituba
Ipiaú
Iporá
Irati
Itabaiana
Itabira
Itacoatiara
Itamaraju
Itapetinga
Ituverava
Jacarezinho
Jales
Jandaia do Sul
Januária
Jaru
Jataí
João Câmara
João Monlevade
Juína
Jundiaí
Lagarto
Lagoa Vermelha
Laranjeiras do Sul
Limoeiro
Limoeiro do Norte
Lins
Loanda
Macau
Macaúbas
Mamanguape
Marau
Maravilha
Marechal Cândido Rondon
Medianeira
Mineiros
Mirassol d'Oeste
Mogi Guaçu
Monteiro
Montenegro
Morrinhos
Mundo Novo
Naviraí
Nossa Senhora da Glória
Nova Andradina
Nova Prata
Nova Venécia
Oeiras
Olímpia
Osório
Ouricuri
Palmas
Palmeira das Missões
Palmeira dos Índios
Pará de Minas
Paraíso do Tocantins
Parauapebas
Patrocínio
Penápolis
Penedo
Pesqueira
Pinhalzinho
Pirapora
Pires do Rio
Piripiri
Pombal
Ponta Porã
Porangatu
Porto Nacional
Porto Seguro
Primavera do Leste
Propriá
Quirinópolis
Rolim de Moura
Russas
Salgueiro
Salinas
Santa Fé do Sul
Santa Inês
Santa Maria da Vitória
Santo Antônio de Pádua
Santiago
São Bento do Sul
São Borja
São Félix do Araguaia
São Gabriel
São Jerônimo
São José do Rio Pardo
São Luís de Montes Belos
São Luiz Gonzaga
São Miguel dos Campos
Sarandi
Seabra
Serrinha
Soledade
Sorriso
Surubim
Tabatinga
Taquara
Tatuí
Telêmaco Borba
Tijucas
Timbaúba
Timbó
Tocantinópolis
Torres
Três Corações
Três de Maio
Três Lagoas
Três Passos
Três Rios
Tupã
Unaí
União dos Palmares
Uruaçu
Vacaria
Venâncio Aires
Votuporanga
Xique-Xique
Centros de zona B
Abaeté
Abelardo Luz
Abre Campo
Afonso Cláudio
Água Boa
Água Branca
Águas Formosas
Aimorés
Alegrete
Alexandria
Alto Araguaia
Alto Longá
Alto Parnaíba
Amambai
Amarante
Amargosa
Andirá
Andradas
Anicuns
Anísio de Abreu
Aparecida
Apiaí
Apodi
Araguaçu
Araguari
Araguatins
Araioses
Araputanga
Arara
Araruama
Araruna
Arcos
Arinos
Arroio do Meio
Arvorezinha
Auriflama
Avelino Lopes
Baependi
Bambuí
Bariri
Barra
Barra Bonita
Barra de São Francisco
Barra do Bugres
Barras
Barracão
Bataguassu
Batalha
Bela Vista
Belém do São Francisco
Bicas
Boa Esperança
Boa Vista do Buricá
Bom Jardim de Minas
Bom Jesus do Itabapoana
Boquira
Braço do Norte
Brasileia
Brejo Santo
Buritis
Caculé
Camapuã
Cambuí
Camocim
Campina da Lagoa
Campo Novo do Parecis
Campos Altos
Campos Belos
Canguaretama
Canindé de São Francisco
Canto do Buriti
Capanema
Capão da Canoa
Capim Grosso
Capinzal
Capitão Poço
Capivari
Caracol
Carauari
Carmo do Paranaíba
Carutapera
Casca
Cassilândia
Castelo
Castelo do Piauí
Cerejeiras
Chapadão do Sul
Chopinzinho
Cícero Dantas
Coelho Neto
Colíder
Colinas
Coluna
Comodoro
Confresa
Congonhas
Constantina
Coronel Vivida
Coxim
Cristal do Sul
Crixás
Cruz
Cruzília
Curimatá
Delmiro Gouveia
Desterro
Dores do Indaiá
Entre Rios de Minas
Esperantinópolis
Espírito Santo do Pinhal
Espumoso
Euclides da Cunha
Eirunepé
Extrema
Fátima
Faxinal
Floresta
Fortaleza dos Nogueiras
Fronteiras
Gandu
Garça
Garibaldi
General Salgado
Getúlio Vargas
Gilbués
Goianésia
Goiatuba
Goioerê
Grajaú
Guaíra
Guajará-Mirim
Guaraciaba do Norte
Guararapes
Horizontina
Ibicaraí
Ibirama
Ibotirama
Ilha Solteira
Indaial
Inhumas
Ipanema
Ipu
Iracema
Itaberaí
Itacarambi
Itamonte
Itaocara
Itapaci
Itapajé
Itapiranga
Itápolis
Itapuranga
Itaqui
Itararé
Itaúna
Ituporanga
Iturama
Jaciara
Jacutinga
Jaguaquara
Jaguariaíva
Jaguaribe
Jaicós
Jardim
Joaíma
João Pinheiro
Juara
Jussara
Lábrea
Lago da Pedra
Lagoa da Prata
Lambari
Leme
Leopoldina
Livramento de Nossa Senhora
Lorena
Lucas do Rio Verde
Lucélia
Luzilândia
Machado
Malacacheta
Manga
Mantena
Maracaçumé
Matão
Matinhos
Miranda
Miracema do Tocantins
Mirinzal
Mococa
Monte Alegre
Monte Alto
Monte Aprazível
Monte Carmelo
Mostardas
Muçum
Nanuque
Natividade
Nazaré
Neópolis
Niquelândia
Nonoai
Nossa Senhora das Dores
Nova Londrina
Nova Mutum
Nova Petrópolis
Oliveira
Orlândia
Osvaldo Cruz
Olho d'Água das Flores
Ouro Fino
Ouro Preto do Oeste
Palmeira
Palmeira d'Oeste
Palmeirópolis
Pão de Açúcar
Paracatu
Paraguaçu Paulista
Paraisópolis
Paramirim
Paranacity
Paranaíba
Parelhas
Passa-e-Fica
Patu
Paulistana
Peçanha
Pedra Azul
Pedro II
Pedro Afonso
Peixoto de Azevedo
Piancó
Pinheiro Machado
Pio XII
Piraju
Piracuruca
Pitanga
Pitangui
Piumhi
Poções
Ponte Serrada
Pontes e Lacerda
Porteirinha
Porto Calvo
Porto União
Posse
Presidente Epitácio
Presidente Getúlio
Presidente Juscelino
Presidente Venceslau
Princesa Isabel
Prudentópolis
Quatis
Quedas do Iguaçu
Rancharia
Resplendor
Riachão do Jacuípe
Rio Bonito
Rio Negro
Rio Pomba
Rio Real
Rodeio Bonito
Roncador
Rubiataba
Salto do Jacuí
Salvador do Sul
Sananduva
Sanclerlândia
Santa Bárbara
Santa Cruz
Santa Cruz da Baixa Verde
Santa Cruz do Rio Pardo
Santa Filomena
Santa Helena
Santa Luzia
Santa Luzia do Paruá
Santa Maria do Suaçuí
Santa Vitória do Palmar
Santana
Santana do Livramento
Santo Antônio
Santo Antônio da Patrulha
Santo Augusto
Santos Dumont
São Bento (Maranhão)
São Bento (Paraíba)
São Benedito
São Domingos
São Francisco
São Gabriel da Palha
São Gotardo
São João Batista
São João do Ivaí
São João do Piauí
São João dos Patos
São João Nepomuceno
São Joaquim da Barra
São José do Cedro
São José do Egito
São João do Rio do Peixe
São João Evangelista
São José do Cedro
São Lourenço do Oeste
São Mateus do Sul
São Miguel
São Miguel do Araguaia
São Miguel do Tapuio
São Paulo do Potengi
São Sebastião
São Sebastião do Caí
São Valentim
São Vicente Férrer
Sapé
Seara
Sena Madureira
Senador Pompeu
Serafina Corrêa
Serra Dourada
Serro
Simões
Simplício Mendes
Sinimbu
Siqueira Campos
Sobradinho
Sombrio
Sumé
Tabira
Taguatinga
Taió
Taiobeiras
Tangará
Tapejara
Tapes
Taquaritinga
Tarauacá
Tauá
Tenente Portela
Terra Nova do Norte
Teutônia
Tietê
Tramandaí
Três Pontas
Tucumã
Tucunduva
Turmalina
Tutóia
Uiraúna
Umarizal
União
Uruçuí
Valença
Valença do Piauí
Valente
Várzea da Palma
Vazante
Venda Nova do Imigrante
Veranópolis
Viana
Vigia
Vila Rica
Virginópolis
Visconde do Rio Branco
Vitorino Freire
Xaxim
Xinguara
Wenceslau Braz
Zé Doca
Referências: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Regiões de Influência das Cidades 2007 (10 de outubro de 2008), [1] Configuração da Rede Urbana do Brasil (junho de 2001)vde Tocantins Portal ? Geografia, Política, Cultura, EsportesCapitalPalmasDivisão regional vigente (desde 2017)Regiões geográficas intermediárias e imediatasDivisão regional extinta (vigente até 2017)Mesorregiões e microrregiõesRegiões Metropolitanas e RIDEsGurupi ? PalmasMais de 100.000 habitantesPalmas ? AraguaínaMais de 50.000 habitantesGurupi ? Porto NacionalMais de 25.000 habitantesParaíso do Tocantins ? Araguatins ? Colinas do Tocantins ? Guaraí ? Tocantinópolis ? DianópolisNorte, Brasil vdeRegião Metropolitana de PalmasAparecida do Rio Negro • Barrolândia • Brejinho de Nazaré • Fátima • Ipueiras • Lajeado • Miracema do Tocantins • Monte do Carmo • Oliveira de Fátima • Palmas • Paraíso do Tocantins • Porto Nacional • Pugmil • Silvanópolis • TocantíniaTocantins, Brasil
Portal do Tocantins