atualizar site em Cantagalo

Encontre atualizar site em Cantagalo na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

Cantagalo

Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.?Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Município de Cantagalo
Vista parcial de CantagaloBandeiraBrasãoHino
Aniversário9 de março
Fundação9 de março de 1814 (205 anos)
Gentílicocantagalense
Padroeiro(a)Santíssimo Sacramento
CEP28500-000
Prefeito(a)Joaquim Augusto Carvalho de Paula (PP)(2017 – 2020)
Localização
Localização de Cantagalo no Rio de JaneiroCantagalo Localização de Cantagalo no Brasil
21° 58' 51" S 42° 22' 04" O21° 58' 51" S 42° 22' 04" O
Unidade federativaRio de Janeiro
MesorregiãoCentro Fluminense IBGE/2008 [1]
MicrorregiãoCantagalo-Cordeiro IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofesCarmo, Cordeiro, Duas Barras, Estrela Dalva (MG), Itaocara, Macuco, Pirapetinga (MG), Santo Antônio de Pádua e São Sebastião do Alto
Distância até a capital200 km
Características geográficas
Área749,279 km² [2]
População19 830 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade26,47 hab./km²
Altitude391 m
ClimaTropical de Altitude Cwa
Fuso horárioUTC?3
Indicadores
IDH-M0,779 (28º) ? alto PNUD/2000 [4]
PIBR$ 563 461 mil IBGE/2010[5]
PIB per capitaR$ 28 420,30 IBGE/2010[5]
Página oficial
Prefeiturawww.cantagalo.rj.gov.br
Câmarawww.cmcantagalo.rj.gov.brCantagalo é um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro. Sua população em 2010 era de 19 830 habitantes, dividida nos distritos de Cantagalo (sede), Santa Rita da Floresta (2º Ditrito), Euclidelândia (3º Distrito), São Sebastião do Paraíba (4° distrito) e Boa Sorte (5° distrito).Índice1 História
2 Geografia2.1 Meio ambiente
2.2 Clima
3 Economia
4 Subdivisões4.1 Distritos
4.2 Bairros
5 Infraestrutura5.1 Saúde
5.2 Educação
5.3 Transportes
6 Personalidades cantagalenses
7 Turismo Histórico
8 ReferênciasHistória[editar | editar código-fonte]
Pintura de Jean-Baptiste Debret do século XIX intitulada "Aldeia de caboclos em Cantagalo"
Os primeiros habitantes do território de Cantagalo foram os índios Coroados e Goitacases, que desapareceram da região por volta de 1855. A colonização não indígena do local teve início em meados do século XVIII, em função da chamada "febre do ouro", que atraiu aventureiros de todos os cantos, entre eles o português Manoel Henriques, conhecido como "Mão de Luva". Ele deixou Minas Gerais acompanhado pelo seu bando em busca de vertentes dos córregos afluentes dos rios Macuco, Negro e Grande, com objetivo de conseguir riqueza fácil, através da garimpagem clandestina.
O bando de "Mão de Luva" localizou o lugar onde hoje se ergue a Usina Cantagalo, dando origem à formação de um núcleo que, em 1794, já possuía cerca de 200 moradias, formando uma mistura de aventureiros efetivos do local.
Porém, a Coroa Portuguesa mantinha o monopólio de exploração dos garimpos. Por isso, por ordem de dom Luiz de Vasconcelos e Souza, vice-rei do Brasil, diversas diligências foram efetuadas contra o grupo, o que culminou com a captura do renegado português e de seu bando.
A prisão dos aventureiros foi ocasionada por uma situação curiosa, que acabou por dar origem à atual denominação do município. Depois de inúmeras batidas pelo mato, já bastantes cansados e desanimados, os agentes se preparavam para voltar, quando ouviram um galo cantar. Penetrando mais fundo na mata, encontraram, dormindo à sombra de uma árvore, um dos companheiros de "Mão de Luva". Preso, mas diante da promessa de liberdade e dinheiro, ele denunciou seus companheiros, que foram capturados quase sem oferecer resistência. Manoel Henriques, o "Mão de Luva", foi enviado, em degredo, para a África.
Verdade ou não, foi a partir de 1786 que a localidade passou a ser denominada de "Cantagalo", em substituição ao seu antigo nome de "Sertões de Macacu". Cantagalo, 1971. Arquivo Nacional.
Ainda motivados pela fama de possuir veios de ouro riquíssimos, outros aventureiros continuaram a chegar à localidade. Porém, apenas uma profunda decepção os esperava, pois constataram que os bandoleiros já haviam quase que esgotado completamente os pobres filões existentes na região.
Porém, o crescimento de Cantagalo não foi interrompido pelo fim da febre do ouro. Se a terra era pobre em metais, por outro lado era extremamente fértil. Por isso, sua região cobriu-se de imensas plantações de café, milho, feijão, cana-de-açúcar, mandioca etc., transformando a localidade em uma das mais importantes da província.
Tanto que, no seu período áureo, ela chegou a ser chamada de "Celeiro da Terra Fluminense".
Com o crescimento do setor agrícola, entrou em cena a mão-de-obra escrava e o elemento negro, que representou papel importante na formação do patrimônio social e econômico da região.Geografia[editar | editar código-fonte]
Tem presença de um relevo fortemente ondulado ("mar-de-morros"), constituindo as serras de Santa Rita da Floresta, Quilombo, da Batalha, Água Quente e Bela Vista.
Apresenta vegetação pobre, predominando os pastos, resultado do desmatamento das florestas de Mata Atlântica que outrora dominavam o espaço do município. Cantagalo faz, ainda, parte do sistema hidrográfico do Rio Paraíba do Sul, com a presença do Rio Negro, do Ribeirão das Areias e do Córrego Itaoca.Meio ambiente[editar | editar código-fonte]
Em 2008, um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística apontou Cantagalo como o terceiro município em potencial poluidor da atmosfera no estado do Rio de Janeiro, com elevados índices de particulados finos (PM10), substâncias que causam danos à saúde respiratória e ao meio ambiente. São mais de 3,4 mil toneladas por ano de PM10 lançados no ar, além de outras cerca de 4 toneladas de dióxido de enxofre (SO2). IBGE/2007 [6].
Há forte preocupação quanto aos danos cumulativos à saúde da população e ao meio ambiente de Cantagalo, Cordeiro e Macuco sobre os resíduos químicos tóxicos perigosos que têm sido diariamente trazidos (até de São Paulo) desde o início da década de 1990 para essa região. Representantes da Sociedade Civil Regional e diversos pesquisadores da Escola Nacional de Saúde Pública - Fundação Oswaldo Cruz indagam há muito tempo sobre qual seria a composição química desses resíduos químicos tóxicos que são destinados aos fornos, infelizmente sem nenhuma resposta. Em 2009, foi realizada uma audiência pública municipal, com ampla presença da população local sobre este problema.[7]Clima[editar | editar código-fonte]
O clima é Tropical de Altitude. Apresenta regime alternado de estação chuvosa com estação seca, com mais de 80 por cento de precipitações no verão, enquanto que a temperatura, na média, oscila entre 19 e 26 graus centígrados. Já no inverno a temperatura varia de 10 a 18 graus centígrados.Economia[editar | editar código-fonte]
Eatação Cantagallo (Estrada de Ferro Leopoldina), 1970. Arquivo Nacional.
Hoje tem, na extração de calcários cristalinos, a principal riqueza mineral, sendo explorado não só para a produção de cimento e cal, mas também como corretivo de solo.
A cidade de Cantagalo conta com quatro agências bancárias, sendo uma do Banco do Brasil, uma da Caixa Econômica Federal, uma do Bradesco e uma do Itaú.Subdivisões[editar | editar código-fonte]
Distritos[editar | editar código-fonte]
Cantagalo (1º distrito - sede)
Santa Rita da Floresta (2º distrito)
Euclidelândia (3º distrito)
São Sebastião do Paraíba (4º distrito)
Boa Sorte (5º distrito)
Bairros[editar | editar código-fonte]
Fachada da Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento.
Passos dos Reis;
São José;
Santo Antônio;
Cantelmo;
Quinta dos Lontras;
Parque das Árvores;
Novo Horizonte;
Triângulo;
São Pedro 1 e 2;
Chácara da Banheira;
São João;
Morada do Sol;
Nova Era;
Vila Bella;
Flamenguinho;
Planalto.
Mão de Luva
Cruzeiro
Felipe João
Adão Salgado
Vilage Barão de Cantagalo
Batalha
Aldeia
São Vicente de Paulo
Infraestrutura[editar | editar código-fonte]
Saúde[editar | editar código-fonte]
Segundo dados do ano de 2008, a cidade possui uma unidade Hospitalar contando com 24 leitos hospitalares e 24 Unidades Ambulatoriais.Educação[editar | editar código-fonte]
A cidade conta com 24 escolas municipais, estaduais e particulares.
A população residente com 10 anos ou mais, alfabetizadas, é de 14 487. A taxa de alfabetização das pessoas residentes com 10 anos ou mais é 88,60 por cento.Transportes[editar | editar código-fonte]
Foi inaugurada, no dia 2 de outubro de 1982, com 5 plataformas, a Rodoviária de Cantagalo.Personalidades cantagalenses[editar | editar código-fonte]Ver também a categoria: Naturais de Cantagalo (Rio de Janeiro)
Turismo Histórico[editar | editar código-fonte]
O centro do município de Cantagalo é rico em construções históricas do ciclo do café no Vale do Paraíba. Exemplos são:a Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento, com painéis do artista plástico italiano Antonio Maria Nardi; Elevada a Santuário Diocesano do Santíssimo Sacramento em 04 de Junho de 2015;
o prédio da Câmara Municipal (onde antes era um famoso hotel),
a antiga Rua Direita e alguns dos seus casarões remanescentes,
o Templo Maçônico, reconhecido Palácio Maçônico denominado Confraternidade Beneficente situado na Avenida Barão de Cantagalo, nº115,
a Casa de Caridade (Hospital Filantrópico),
o Jardim no centro da cidade, a praça XV de Novembro (hoje denominada João XXIII) e
o Fórum .
O Palacete do Gavião, distante cerca de 2 km do centro, é um imponente prédio onde se hospedou o imperador brasileiro dom Pedro II quando em visita à região (atualmente fechado a visitação, propriedade particular). Pertencia ao fazendeiro Clemente Pinto (Barão de Nova Friburgo), dono de várias outras fazendas de café na região. O projeto arquitetônico do Palacete do Gavião foi realizado pelo mesmo arquiteto que projetou o Palácio do Catete (hoje, Museu da República), no bairro do Catete,[8] no Rio de Janeiro.
Casa de Euclides da Cunha, museu dedicado ao autor de OS SERTÕES, escritor nascido no município.
Balneários no Distrito de Boa Sorte, Rio Paraíba do Sul e suas prainhas.
A Fazenda São Clemente, localizada em Boa Sorte, 5º distrito do município de Cantagalo, no estado do Rio de Janeiro; acesse: http://fazendasaoclemente.com.br/
Referências? a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 ? IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 ? «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 ? «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 ? a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 ? «Potencial de poluição industrial do ar no estado do Rio concentra-se em 4 municípios». IBGE. Consultado em 5 de junho de 2008 ? «Prefeitura Municipal de Cantagalo: Audiência pública sobre queima de resíduos industriais leva à criação de comissão para acompanhar o processo» recuperado 5 de agosto 2011? ALEM, Adriano. Breve relato sobre a Formação das Divisões Administrativas na Cidade do Rio de Janeiro - Período de 1961 a 2007, novembro 2007.
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Cantagalo (Rio de Janeiro)vde Cidades históricas do Brasil segundo o IPHANRegião Centro-Oeste
Acorizal
Barão de Melgaço
Brasília
Cáceres
Cavalcante
Corumbá de Goiás
Corumbá
Crixás
Cuiabá
Diamantino
Goiás
Jaraguá
Luziânia
Miranda
Niquelândia (Tupiraçaba)
Pilar de Goiás
Pirenópolis
Poconé
Santa Cruz de Goiás
Vila Bela da Santíssima Trindade
Região Nordeste
Acaraú
Alcântara
Andaraí
Aquiraz
Aracati
Aratuípe
Areia
Bom Jesus da Lapa
Brejo da Madre de Deus
Cabo de Santo Agostinho
Cachoeira
Cairu (Morro de São Paulo)
Camamu
Campo Maior
Canavieiras
Caravelas
Caruaru
Feira de Santana
Flores
Fortaleza
Garanhuns
Goiana
Icó
Igarassu
Ilha de Itamaracá
Ilhéus
Ipojuca
Itaparica
Jaboatão dos Guararapes
Jacobina
Jaguaripe
João Pessoa
Juazeiro
Laranjeiras
Lençóis
Maragogipe
Marechal Deodoro
Monte Santo
Moreno
Natal
Nazaré
Nazaré da Mata
Oeiras
Olinda
Parnaíba
Penedo
Pesqueira
Petrolina
Piracuruca
Piranhas
Porto Calvo
Porto de Pedras
Porto Seguro (Arraial d'Ajuda)
Recife
Rio de Contas
Rio Formoso
Russas
Salvador
Santa Cruz Cabrália
Santa Luzia do Norte
Santa Rita
Santo Amaro
Santo Antônio de Jesus
São Cristóvão
São Félix
São Francisco do Conde
São Lourenço da Mata
São Luís
Sirinhaém
Sobral
Tamandaré
Tracunhaém
Triunfo
Valença
Vera Cruz
Vicência
Viçosa do Ceará
Vitória de Santo Antão
Região Norte
Almas
Pontal
Arraias
Barcelos
Belém
Boa Vista
Borba
Bragança
Cametá
Chapada da Natividade
Conceição do Tocantins
Costa Marques
Dianópolis
Itacoatiara
Macapá
Manaus
Monte do Carmo
Natividade
Paranã
Porto Nacional
Rio Branco
Santarém
Tefé
Região Sudeste
Angra dos Reis
Areias
Bananal
Barão de Cocais
Belo Vale
Cabo Frio
Caeté
Campos dos Goytacazes
Cananeia
Cantagalo
Catas Altas
Conceição da Barra
Congonhas
Coronel Xavier Chaves
Cunha
Diamantina
Embu das Artes
Guaratinguetá
Iguape
Ilhabela
Itabirito
Itanhaém
Itu
Jacareí
Jundiaí
Mariana
Mogi das Cruzes
Ouro Preto
Paraty
Petrópolis
Pindamonhangaba
Piranga
Pitangui
Prados
Resende
Resende Costa
Rio de Janeiro
Sabará
Sacramento
Santa Bárbara
Santa Luzia
Santana de Parnaíba
Santos
São Gonçalo do Rio Preto
São João del-Rei
São João Marcos
São José do Barreiro
São Luiz do Paraitinga
São Mateus
São Paulo
São Pedro da Aldeia
São Sebastião
São Vicente
Serro (Milho Verde)
Sorocaba
Taubaté
Teresópolis
Tiradentes
Ubatuba
Valença
Vila Velha
Vitória
Região Sul
Antonina
Castro
Curitiba
Florianópolis
Guaraqueçaba
Laguna
Lapa
Morretes
Paranaguá
Pelotas
Rio Grande
São Borja
São Francisco do Sul
São Miguel das Missões
Temas afins
Programa de Aceleração do Crescimento das Cidades Históricas
Lista do patrimônio histórico no Brasil Portal do Brasil Portal do Rio de Janeiro