atualizar site em Cafelândia

Encontre atualizar site em Cafelândia na Web4business - Desenvolvimento de Sistemas e Sites Personalizados.

Cafelândia

Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.?Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Município de Cafelândia
Descida do Córrego Soltinho e acesso a cidade de Cafelândia no Km-422 da Rodovia Marechal RondonBandeiraBrasãoHino
Aniversário11 de abril
Fundação11 de abril de 1926 (93 anos)
Gentílicocafelandense
LemaCofea divitia nostra"Café riqueza nossa"
Prefeito(a)Luiz Zampieri e Rogério Castilho (PTB)(2017 – 2020)
Localização
Localização de Cafelândia em São PauloCafelândia Localização de Cafelândia no Brasil
21° 48' 10" S 49° 36' 36" O21° 48' 10" S 49° 36' 36" O
Unidade federativaSão Paulo
MesorregiãoBauru IBGE/2008[1]
MicrorregiãoLins IBGE/2008[1]
Municípios limítrofesNovo Horizonte, Júlio Mesquita, Pongaí, Guarantã, Guaimbê, Lins, Sabino
Distância até a capital411 km[2]
Características geográficas
Área919,860 km² [3]
População12,462 hab. Censo IBGE/2014[4]
Densidade0,01 hab./km²
Altitude445 m
ClimaTropical de altitude Cwa
Fuso horárioUTC?3
Indicadores
IDH-M0,788 alto PNUD/2000[5]
PIBR$ 169 583,369 mil IBGE/2008[6]
PIB per capitaR$ 10 155,30 IBGE/2008[6]Cafelândia é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 21º04'09" sul e a uma longitude 49º36'16" oeste, estando a uma altitude de 445 metros. Sua população estimada em 2014 era de 12.462 habitantes e possui uma área de 920,280 km². O município é formado pela sede e pelos distritos de Bacuriti, Cafesópolis e Simões[7][8].Índice1 História
2 Economia
3 Turismo3.1 Carnaval de Cafelândia
3.2 Rodeio em Cafelândia
3.3 Cafeartes
4 Geografia4.1 Demografia
4.2 Hidrografia
4.3 Rodovias
5 Administração
6 Comunicações
7 Personalidades nascidas em Cafelândia
8 Referências
9 Ligações externasHistória[editar | editar código-fonte]
Com muitos desbravadores pioneiros já instalados nestas paragens, Cafelândia tem sua origem, como comunidade, na Estação da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil (NOB), inaugurada no ano de 1906. Ostentando o nome da Estação, ou seja, "Presidente Afonso Pena", veio se formando um povoado em terras que foram de propriedade das famílias Zucchi, Guedes e Beraldo Arruda, divididas e separadas pelo córrego Saltinho. De um lado, Zucchi e Guedes, de outro, Beraldo Arruda.
O nome atual do município decorre da pujança dos então muitos milhões de pés que cobriam grandes áreas de terras outras, inclusive, pertencentes às famílias Simões, Junqueira, Mesquita, Moraes Barros, entre os maiores proprietários da época. Em outras palavras, esse avanço extraordinário, em solo que se desbravava apressadamente, inspirou o nome de Cafelândia, passando assim predominância para o mapa.
Dos pioneiros estão entre os mais antigos, os Simões, desde que seu líder e tronco da família, coronel Manoel Rodrigues Simões, navegando pelo Tietê, aportou na região do Bacurí, hoje território do distrito de Bacurití, sendo que, ao que consta, foi o precursor de todo o município. Desde a chegada dos pioneiros Simões, em 1896.
Quanto ao tamanho, Cafelândia é o maior município da região, em extensão territorial, com 982 quilômetros quadrados. A população é de 17.000 habitantes, aproximadamente, com prevalência na zona urbana. Está localizada a 432 quilômetros da capital do Estado e sua altitude é de 416 metros. De vila, Cafelândia passou a distrito de paz, em 1919. O município data de 11 de Abril de 1926, tendo sido elevado à categoria de comarca em 1934, instalada no dia 24 de agosto daquele ano. Cafelândia sediou o bispado que aqui se instalou no ano de 1929, com o que foi seu primeiro bispo, dom Ático Eusébio da Rocha, e perdurou até a transferência de sua sede para a vizinha cidade de Lins, isto em 1950.
O primeiro juiz de direito foi o doutor Arnaldo Ferreira Lima, e a primeira promotoria de justiça coube ao doutor Wesley Gabriel de Souza Soler. O primeiro prefeito de Cafelândia (1926) foi o coronel Maurício Gonçalves Moreira, então escolhido juntamente com o primeiro vice-prefeito, Ajax Furquim Leite. O coronel Juvêncio de Oliveira ocupou o cargo de primeiro presidente da Câmara de Vereadores.
Cafelândia tinha toda sua economia sustentada, exclusivamente, no café, até que no ano de 1929 veio a detonar a catastrófica "CRISE DO CAFÉ", produto que, via de conseqüência, passou a valer NADA! O cataclismo, cujos efeitos perduraram alguns anos, deu causa à, no mínimo estranha, incineração do café funcionando dia e noite, ininterruptamente. Cafelândia obviamente, face à inexistência absoluta de outros recursos econômicos, inexoravelmente parou no tempo durante longo período. Foi tão profunda a agressão sofrida no passado que até hoje tem sido difícil e demorada a reparação dos danos.
Contudo, como é público e notório, a esperança se robustece a cada dia, de modo que o desânimo jamais prosperou. Destarte, como se verifica, insiste em se refazer, procurando superar as dificuldades, que são muitas. Estas, tudo indica, vêm de tempos, digamos, remotos, com certeza como reflexos das gigantescas e pavorosas perdas impostas abruptamente, como se, da noite para o dia, sem possibilidade de defesa, pela degringolada do café, ocorrida em 1929.
São coisas da vida, simplesmente, sem alardear otimismo e muito menos, isto é, sem mínimos e nauseantes laivos de pessimismo. O realismo, eis a alternativa. Aquelas experiências, às vezes muito duras, drásticas, pela quais o homem ou algo tem de passar, aceitando-as, todavia, com resignação, porém sobranceiramente, sem capitular.
Em suma, apesar dos pesares, vive-se em Cafelândia como se no melhor dos mundos possíveis, graças a Deus, no seio aconchegante de uma comunidade generosa, acolhedora e solidária, feliz e realizada por viver num solo de cujas entranhas brota e jorra abundantemente, a melhor ÁGUA do planeta... Falou-se em não alardear otimismo, e parece até contradição, mas verificam-se razões plausíveis, de algum tempo a esta parte, para referir-se a Cafelândia com alto astral, sim senhor. Embora deixe ainda muito a desejar a restauração da vida no campo, espaço que alcançou o clímax na época do reinado do café, o perímetro urbano dá sinais inequívocos de boas e inegáveis melhorias.
O comércio e a indústria têm avançado razoavelmente. Existem, incorporados à cidade, vários núcleos populacionais, inclusive 2 COHABs, em franco desenvolvimento. Além de muitas construções, umas em fase de acabamento e outras iniciadas, demonstrando interesse das pessoas, cuja confiança em Cafelândia é evidente e aumenta a cada dia.
Incontrastável expansão, embora lenta e modesta (mas não deixa de ser expansão e com movimentação bem transparente), do comércio e da indústria. Entre outros indícios inequívocos do progresso em Cafelândia, e com este a cidade chega a "esnobar", é o número incrível de automóveis. Fenômeno jamais visto, em qualquer época ou fase progressiva. Mas isto é muito bom, como será bom tudo que vier a ser bom para o bem de Cafelândia, como conquista perene e inalienável da dedicação e do desprendimento.
(por: Ângelo Palmezam)
HISTÓRICO
A fundação de Cafelândia coincide com a inauguração da Estação Afonso Pena, da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, a antiga NOOB.
Seu nome é devido ao grande plantio de café, que fez deste município, um dos maiores produtores mundiais.
Seus primeiros moradores foram: os irmãos José e Jacob Zucchi, Coronel Maurício Gonçalves Moreira, Pedro Theodoro Raposo dos Santos, José de Oliveira Guedes, Coronel Beraldo Arruda e Isadora Pinto de Carvalho.
O coronel Beraldo Arruda e José Zucchi, pretendendo colonizar as terras de sua propriedade, doaram glebas aos povoadores que aí chegassem. Surgiu, assim, um núcleo, sendo os primeiros moradores, além dos fundadores, Jacob Zucchi, coronel Maurício Moreira, Pedro Teodoro Raposo dos Santos e José Guedes.
Em 1916, a Estrada de Ferro Noroeste do Brasil inaugurou a estação Afonso Pena, em terrenos doados pela firma J. Zucchi & irmãos e, como essa Estação ficasse distante do povoado, José Zucchi mandou edificar a povoação de Afonso Pena, à margem esquerda do córrego Saltinho. Na outra margem, em terras doadas por Beraldo Arruda, surgiu o povoado de Cafelândia, assim denominada, por ser grande a cafeicultura da região.
A rivalidade entre as duas vilas, Pena e Cafelândia, propiciou o progresso de ambas.
Em 1919, com a criação do Distrito de Cafelândia houve a união dos dois núcleos.
GENTÍLICO: CAFELANDENSE.
FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA
Distrito criado, com a denominação de Cafelândia, por Lei no 1663, de 27 de novembro de 1919, no Município de Pirajuí.
Nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1-IX-1920, a vila de Cafelândia figura como Distrito do Município de Pirajuí.
Elevado à categoria de Município com a denominação de Cafelândia, por Lei Estadual no 2113, de 30 de julho de 1925, desmembrado de Pirajuí. Constituído do Distrito Sede. Sua instalação verificou-se no dia 28 de fevereiro de 1926.
Segundo a divisão administrativa referente ao ano de 1933, Cafelândia se compõe unicamente do Distrito deste nome. Lei no 2650, de 17 de janeiro de 1936, cria o Distrito de Vila Simões e incorpora ao Município de Cafelândia.
Nas divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, e no quadro anexo ao Decreto-lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o referido Município figura com o Distrito da Sede e o de Vila Simões.
Pelo Decreto Estadual n.º 9775, de 30 de novembro de 1938, que fixou o quadro territorial para vigorar no qüinqüênio 1939-1943, o Município de Cafelândia passou a abranger o novo Distrito de Mesquita, constituído com parte do território do Distrito sede. Assim, por força desse Decreto, o referido Município ficou composto pelos Distritos de Cafelândia, Mesquita e Simões (Ex-Vila Simões).
De acordo com o Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, que fixou o quadro da divisão territorial administrativo-judiciária do Estado de São Paulo, em vigência no período 1945-1948, Cafelândia perdeu parte do território do Distrito da sede, anexada ao de Guarantã, do novo Município deste nome, e adquiriu os Distritos de Bacuriti e Cafesópolis; o primeiro formado com partes dos territórios dos Distritos de Simões e Sabino, respectivamente, dos Municípios de Cafelândia e Lins, e o segundo, criado com parte do território do Distrito de Inhema (ex-Mesquita), do Município de Cafelândia.
Pelo citado Decreto, Cafelândia se compõe dos Distritos de Cafelândia, Bacuriti, Cafesópolis, Inhema (ex-Mesquita) e Simões.
Lei Estadual no 233, de 24 de dezembro de 1948, desmembra do Município de Cafelândia o Distrito de Julio Mesquita (ex-Inhema).
Assim permanece o quadro territorial para vigorar no período de 1949-1953. O Município de Cafelândia é constituído de 4 distritos. Cafelândia, Bacuriti, Cafesópolis e Simões (ex-Vila Simões).
Em divisao territorial datada de 01-VII-1960, o Município de Cafelândia é constituído de 4 Distritos: Cafelândia, Bacuriti, Cafesópolis e Simões.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1997.Economia[editar | editar código-fonte]
O café há muito tempo deixou de ser o carro-chefe da agricultura cafelandense. No passado predominou a monocultura do café, que na época era um produto de grande aceitação no mercado mundial. Com o correr dos anos, outros países começaram a cultivar a rubiácea e então, começamos a enfrentar a concorrência. Além da concorrência internacional, as terras começaram a ficar gastas, sendo necessária a adubação do solo para produzir e isso fez com que começassem a surgir também várias pragas e doenças, sendo a ferrugem e a broca as piores. A terra já esgotada e os preços dos insumos atingindo cifras exorbitantes, assim como o baixo preço de café, levaram os cafeicultores a abandonarem a cultura.
A economia do município de Cafelândia tem como base a agricultura e a pecuária. Atualmente, com a instalação de uma usina de álcool no município e várias outras na região, o cultivo de cana-de-açúcar vem se destacando fortemente.
Cafelândia ainda conta com um moderno distrito industrial e nele diversas indústrias principalmente de pequeno e médio porte ajudam a sustentar a economia local. Aramefício, indústria têxtil entre outras levaram o município, segundo dados dos Ministério do Trabalho a gerar um dos maiores índices de emprego durante o ano de 2008. Com o centro comercial totalmente remodelado, o comércio local também vem reagindo de maneira positiva proporcionando aos moradores locais e visitantes oportunidades de bons negócios.Turismo[editar | editar código-fonte]
Carnaval de Cafelândia[editar | editar código-fonte]
Preponderantemente nas décadas de 50, 60 e 70, e até meados dos anos oitenta, o carnaval cafelandense era data de destaque no calendário turístico do Estado de São Paulo. Blocos, escolas de samba e carros alegóricos saiam às ruas da cidade durante os 04 dias de folia, para diversão dos moradores e milhares de turistas que prestigiavam a festa. A turma do bolinha, brasinha, o ronco do sapo, morro do querosene, baixada das cobras, lancha perfume entre outras dezenas de agremiações protagonizavam o "esquenta" no corso que era organizado pela Prefeitura Municipal. Após a festa nas ruas, os foliões tinham as opções de curtir o restante da noite em 3 clubes: Cafelândia Clube, Kai Kan e Panela de Pressão. Os Bailes atravessavam as noites de sexta, sábado, domingo, segunda e terça feira, além é claro dos matines no domingo e terça feira, e eram marcados pelos concursos de fantasias, em diversas modalidades, blocos, foliões mais animados entre outros ao som de marchinhas, sambas enredos.Rodeio em Cafelândia[editar | editar código-fonte]
Cafelândia tem a Festa do Peão de Cafelândia, promovida pela Comissão Organizadora da festa. É realizada geralmente na primeira semana de abril, coincidindo com o aniversario da cidade. São de 4 a 5 dias de um grande espetáculo do mundo de rodeio, além de grandes shows, bailes e apresentações com os melhores artistas da região e do pais.Cafeartes[editar | editar código-fonte]
Atualmente a maior festa cafelandense, que em 2010 completou trinta anos, a Feira de Artesanato de Cafelândia (CAFEARTES), é promovida pela Prefeitura Municipal de Cafelândia, sempre foi uma grande festa que todos os cafelandenses esperam com muita ansiedade. Atualmente durante os 4 ou 5 dias de festa passam pelo recinto aproximadamente 150 mil pessoas entre locais e turistas. A exposição de artesanato conta com itens que vão desde bordados até móveis em madeira e couro, além do pavilhão de artes plásticas que conta com peças de artistas da região e do país. Um dos motivos pelo qual o cafelandense se orgulha de sua maior festa, além da excelência e grandiosidade da mesma, está no palco do recinto. Chitãozinho e Xororó, Roupa Nova, Jorge Aragão, Gian e Giovani, Benito de Paula, Beth Carvalho, Almir Sater, Inimigos da HP entre outros grandes nomes da MPB já se apresentaram na festa, muitos deles mais de uma vez. Outros grandes atrativos oferecidos pela Cafeartes são a praça de alimentação e o parque de diversões, que faz a alegria da criançada. Durante a festa os visitantes também podem assistir apresentações diversas de grupos formados por jovens que participam de projetos sociais locais, fanfarras e grupos teatrais, além de apresentações de grupos musicais da região.[carece de fontes?]
A festa é geralmente realizada no começo de setembro, coincidindo com o Feriado da Independência (7 de Setembro). mais informações no site www.cafelandia.sp.gov.br (site oficial do município) na época da festa.Geografia[editar | editar código-fonte]
Cafelândia chegou a possuir área de 982 km², hoje possui 919,86 km², pois teve territórios alagados pelo lago da Usina Hidrelétrica de Promissão. A Sede do Município está localizada a 416 metros de altitude e distância de 412 km da capital do Estado. O seu solo é do tipo cretáceo superior, grupo Bauru-arenitos, silitos, calcários, argilitos, conglomeratos. O clima é quente com inverno seco. A média das máximas é 36 °C e a média das mínimas é de 12 °C. A média pluviométrica é de l.OOO mm anuais.Demografia[editar | editar código-fonte]
População total: 14.793Urbana: 12.056
Rural: 2.737
Homens: 7.808
Mulheres: 7.985
Densidade demográfica (hab./km²): 17,17
Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 14,72
Expectativa de vida (anos): 71,84
Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,49
Taxa de alfabetização: 89,09%
Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,788IDH-M Renda: 0,732
IDH-M Longevidade: 0,781
IDH-M Educação: 0,851
(Fonte: IPEADATA)Hidrografia[editar | editar código-fonte]
Rio Dourado (São Paulo)
Rio Tietê
Rio Feio
Rodovias[editar | editar código-fonte]
SP-300
SP-333
Administração[editar | editar código-fonte]
Prefeito: Luis Zampieri Ribeiro Pauliquevis (2017/2020) - (PTB)
Vice-prefeito: Rogério Antônio Castilho (2017/2020) - (PTB)
Presidente da câmara: Adilson Cirilo de Paula (2017) - (PMDB)
Comunicações[editar | editar código-fonte]
A cidade foi atendida pela Companhia Telefônica Brasileira (CTB) até 1973[9], quando passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP), que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[10], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[11] para suas operações de telefonia fixa.Personalidades nascidas em Cafelândia[editar | editar código-fonte]
Cafelândia também apresenta celebridades que nasceram no interior de São Paulo. Entre eles, o técnico de futebol Estevam Soares, o célebre médico clínico-radiologista e CEO Dr. Paulo Parra,o médico ortopedista Dr. Haruki Matsunaga, que atualmente é o coordenador da copa do mundo em Cuiabá e o pregador José Datrino, mais conhecido como Profeta Gentileza.Referências? a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 ? «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 10 de março de 2011 ? IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 ? «Censo Populacional 2014». Censo Populacional 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2014. Consultado em 30 de janeiro de 2015 ? «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 ? a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 ? «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico ? «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ? «Relação do patrimônio da CTB incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo ? «Nossa História». Telefônica / VIVO ? GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1
Ligações externas[editar | editar código-fonte]
Página da prefeitura
Este artigo sobre municípios do estado de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Portal de São Paulo
vde Telecomunicações em São PauloEmpresaspaulistas
CETERP
COTESP
CTB
CTBC-Borda do Campo
TELESP
Telesp Celular
Código de área(DDD) 11
Alumínio
Araçariguama
Arujá
Atibaia
Barueri
Biritiba Mirim
Bom Jesus dos Perdões
Bragança Paulista
Cabreúva
Caieiras
Cajamar
Campo Limpo Paulista
Carapicuíba
Cotia
Diadema
Embu das Artes
Embu-Guaçu
Ferraz de Vasconcelos
Francisco Morato
Franco da Rocha
Guararema
Guarulhos
Igaratá
Itapecerica da Serra
Itapevi
Itaquaquecetuba
Itatiba
Itu
Itupeva
Jandira
Jarinu
Joanópolis
Jundiaí
Juquitiba
Mairinque
Mairiporã
Mauá
Mogi das Cruzes
Morungaba
Nazaré Paulista
Osasco
Pedra Bela
Pinhalzinho
Piracaia
Pirapora do Bom Jesus
Poá
Ribeirão Pires
Rio Grande da Serra
Salesópolis
Salto
Santa Isabel
Santana de Parnaíba
Santo André
São Bernardo do Campo
São Caetano do Sul
São Paulo
São Roque
Suzano
Taboão da Serra
Tuiuti
Vargem
Vargem Grande Paulista
Várzea Paulista
Código de área(DDD) 12
Aparecida
Arapeí
Areias
Bananal
Caçapava
Cachoeira Paulista
Campos do Jordão
Canas
Caraguatatuba
Cruzeiro
Cunha
Guaratinguetá
Ilhabela
Jacareí
Jambeiro
Lagoinha
Lavrinhas
Lorena
Monteiro Lobato
Natividade da Serra
Paraibuna
Pindamonhangaba
Piquete
Potim
Queluz
Redenção da Serra
Roseira
Santa Branca
Santo Antônio do Pinhal
São Bento do Sapucaí
São José do Barreiro
São José dos Campos
São Luís do Paraitinga
São Sebastião
Silveiras
Taubaté
Tremembé
Ubatuba
Código de área(DDD) 13
Bertioga
Cajati
Cananeia
Cubatão
Eldorado
Guarujá
Iguape
Ilha Comprida
Itanhaém
Itariri
Jacupiranga
Juquiá
Miracatu
Mongaguá
Pariquera-Açu
Pedro de Toledo
Peruíbe
Praia Grande
Registro
Santos
São Vicente
Sete Barras
Vicente de Carvalho
Código de área(DDD) 14
Águas de Santa Bárbara
Agudos
Álvaro de Carvalho
Alvinlândia
Anhembi
Arandu
Arco-Íris
Arealva
Areiópolis
Avaí
Avaré
Balbinos
Bariri
Barra Bonita
Bastos
Bauru
Bernardino de Campos
Bocaina
Bofete
Boraceia
Borebi
Botucatu
Brotas
Cabrália Paulista
Cafelândia
Campos Novos Paulista
Canitar
Cerqueira César
Chavantes
Conchas
Coronel Macedo
Dois Córregos
Duartina
Espírito Santo do Turvo
Fartura
Fernão
Gália
Garça
Getulina
Guaiçara
Guaimbê
Guarantã
Herculândia
Iacanga
Iacri
Iaras
Ibirarema
Igaraçu do Tietê
Ipaussu
Itaí
Itapuí
Itatinga
Jaú
Julio Mesquita
Lençóis Paulista
Lins
Lucianópolis
Lupércio
Macatuba
Manduri
Marília
Mineiros do Tietê
Ocauçu
Óleo
Oriente
Oscar Bressane
Ourinhos
Paranapanema
Pardinho
Paulistânia
Pederneiras
Piraju
Pirajuí
Piratininga
Pompeia
Pongaí
Pratânia
Presidente Alves
Promissão
Queiroz
Quintana
Reginópolis
Ribeirão do Sul
Sabino
Salto Grande
Santa Cruz do Rio Pardo
São Manuel
São Pedro do Turvo
Sarutaiá
Taguaí
Taquarituba
Tejupá
Timburi
Torrinha
Tupã
Ubirajara
Uru
Vera Cruz
Código de área(DDD) 15
Alambari
Angatuba
Apiaí
Araçoiaba da Serra
Barão de Antonina
Barra do Chapéu
Barra do Turvo
Boituva
Bom Sucesso de Itararé
Buri
Campina do Monte Alegre
Capão Bonito
Capela do Alto
Cerquilho
Cesário Lange
Guapiara
Guareí
Ibiúna
Iperó
Iporanga
Itaberá
Itaoca
Itapetininga
Itapeva
Itapirapuã Paulista
Itaporanga
Itararé
Jumirim
Laranjal Paulista
Nova Campina
Piedade
Pilar do Sul
Porangaba
Porto Feliz
Quadra
Ribeira
Ribeirão Branco
Ribeirão Grande
Riversul
Salto de Pirapora
São Miguel Arcanjo
Sarapuí
Sorocaba
Tapiraí
Taquarivaí
Tatuí
Tietê
Torre de Pedra
Votorantim
Código de área(DDD) 16
Altinópolis
Américo Brasiliense
Aramina
Araraquara
Barrinha
Batatais
Boa Esperança do Sul
Borborema
Brodowski
Buritizal
Cajuru
Cândido Rodrigues
Cássia dos Coqueiros
Cravinhos
Cristais Paulista
Dobrada
Dourado
Dumont
Fernando Prestes
Franca
Guará
Guariba
Guatapará
Ibaté
Ibitinga
Igarapava
Ipuã
Itápolis
Itirapuã
Ituverava
Jaboticabal
Jardinópolis
Jeriquara
Luiz Antônio
Matão
Miguelópolis
Monte Alto
Morro Agudo
Motuca
Nova Europa
Nuporanga
Orlândia
Patrocínio Paulista
Pedregulho
Pitangueiras
Pontal
Pradópolis
Ribeirão Bonito
Ribeirão Corrente
Ribeirão Preto
Rifaina
Rincão
Sales Oliveira
Santa Cruz da Esperança
Santa Ernestina
Santa Lúcia
Santa Rosa do Viterbo
Santo Antônio da Alegria
São Carlos
São Joaquim da Barra
São José da Bela Vista
São Simão
Serra Azul
Serrana
Sertãozinho
Tabatinga
Taiaçu
Taiuva
Taquaral
Taquaritinga
Trabiju
Vista Alegre do Alto
Código de área(DDD) 17
Adolfo
Altair
Álvares Florence
Américo de Campos
Aparecida d'Oeste
Ariranha
Aspásia
Auriflama
Bady Bassitt
Bálsamo
Barretos
Bebedouro
Cajobi
Cardoso
Catanduva
Catiguá
Cedral
Colina
Colômbia
Cosmorama
Dirce Reis
Dolcinópolis
Elisiário
Embaúba
Estrela d'Oeste
Fernandópolis
Floreal
Gastão Vidigal
General Salgado
Guaíra
Guapiaçu
Guaraci
Guarani d'Oeste
Guzolândia
Ibirá
Icém
Indiaporã
Ipiguá
Irapuã
Itajobi
Jaborandi
Jaci
Jales
José Bonifácio
Macaubal
Macedônia
Magda
Marapoama
Marinópolis
Mendonça
Meridiano
Mesópolis
Mira Estrela
Mirassol
Mirassolândia
Monções
Monte Aprazível
Monte Azul Paulista
Neves Paulista
Nhandeara
Nipoã
Nova Aliança
Nova Canaã Paulista
Nova Castilho
Nova Granada
Nova Luzitânia
Novais
Novo Horizonte
Olímpia
Onda Verde
Orindiúva
Ouroeste
Palestina
Palmares Paulista
Palmeira d'Oeste
Paulo de Faria
Pedranópolis
Pindorama
Pirangi
Poloni
Pontalinda
Pontes Gestal
Populina
Potirendaba
Riolândia
Rubineia
Sales
Santa Adélia
Santa Albertina
Santa Clara d'Oeste
Santa Fé do Sul
Santa Rita d'Oeste
Santa Salete
Santana da Ponte Pensa
São Francisco
São João das Duas Pontes
São João de Iracema
São José do Rio Preto
Sebastianópolis do Sul
Severinia
Tabapuã
Tanabi
Terra Roxa
Três Fronteiras
Turmalina
Ubarana
Uchoa
União Paulista
Urânia
Urupês
Valentim Gentil
Viradouro
Vitória Brasil
Votuporanga
Código de área(DDD) 18
Adamantina
Alfredo Marcondes
Alto Alegre
Álvares Machado
Andradina
Anhumas
Araçatuba
Assis
Avanhandava
Barbosa
Bento de Abreu
Bilac
Birigui
Borá
Braúna
Brejo Alegre
Buritama
Caiabu
Caiuá
Cândido Mota
Castilho
Clementina
Coroados
Cruzália
Dracena
Echaporã
Emilianópolis
Estrela do Norte
Euclides da Cunha Paulista
Flora Rica
Flórida Paulista
Florínea
Gabriel Monteiro
Glicério
Guaraçaí
Guararapes
Iepê
Ilha Solteira
Indiana
Inúbia Paulista
Irapuru
Itapura
João Ramalho
Junqueirópolis
Lavínia
Lourdes
Lucélia
Luziânia
Lutécia
Marabá Paulista
Maracaí
Mariápolis
Martinópolis
Mirandópolis
Mirante do Paranapanema
Monte Castelo
Murutinga do Sul
Nantes
Narandiba
Nova Guataporanga
Nova Independência
Osvaldo Cruz
Ouro Verde
Pacaembu
Palmital
Panorama
Paraguaçu Paulista
Parapuã
Pauliceia
Pedrinhas Paulista
Penápolis
Pereira Barreto
Piacatu
Piquerobi
Pirapozinho
Planalto
Platina
Pracinha
Presidente Bernardes
Presidente Epitácio
Presidente Prudente
Presidente Venceslau
Quatá
Rancharia
Regente Feijó
Ribeirão dos Índios
Rinópolis
Rosana
Rubiácea
Sagres
Salmourão
Sandovalina
Santa Mercedes
Santo Anastácio
Santo Antônio do Aracanguá
Santo Expedito
Santópolis do Aguapeí
São João do Pau-d'Alho
Sud Mennucci
Suzanápolis
Taciba
Tarabai
Tarumã
Teodoro Sampaio
Tupi Paulista
Turiúba
Valparaíso
Zacarias
Código de área(DDD) 19
Aguaí
Águas da Prata
Águas de Lindoia
Águas de São Pedro
Americana
Amparo
Analândia
Araras
Artur Nogueira
Caconde
Campinas
Capivari
Casa Branca
Charqueada
Conchal
Cordeirópolis
Corumbataí
Cosmópolis
Descalvado
Divinolândia
Elias Fausto
Engenheiro Coelho
Espírito Santo do Pinhal
Estiva Gerbi
Holambra
Hortolândia
Indaiatuba
Ipeúna
Iracemápolis
Itapira
Itirapina
Itobi
Jaguariúna
Leme
Limeira
Lindoia
Louveira
Mococa
Mogi Guaçu
Mogi Mirim
Mombuca
Monte Alegre do Sul
Monte Mor
Nova Odessa
Paulínia
Pedreira
Piracicaba
Pirassununga
Porto Ferreira
Rafard
Rio Claro
Rio das Pedras
Saltinho
Santa Bárbara d'Oeste
Santa Cruz da Conceição
Santa Cruz das Palmeiras
Santa Gertrudes
Santa Maria da Serra
Santa Rita do Passa Quatro
Santo Antônio de Posse
Santo Antônio do Jardim
São João da Boa Vista
São José do Rio Pardo
São Pedro
São Sebastião da Grama
Serra Negra
Socorro
Sumaré
Tambaú
Tapiratiba
Valinhos
Vargem Grande do Sul
Vinhedo
Relacionados
Códigos de área (DDD) de todos os municípios paulistas